17 de jul de 2019

O pequeno príncipe (Antoine de Saint-Exupéry) – DLS 2019


Título: O pequeno príncipe
Autor: Antoine de Saint-Exupéry
Mês: Julho
Tema: Um livro que foi considerado “modinha”
Editora Geração Editorial, 129p.

Sinopse: Livro de criança? Com certeza.
Livro de adulto também, pois todo homem traz dentro de si o menino que foi.
Como explicar a adoção deste livro por povos tão variados, em tantos países de todos os continentes? Como explicar que ele seja lido sempre por tanto milhões e milhões de pessoas? Como explicar a atualidade deste livro traduzido em oitenta línguas diferentes?
Como compreender que uma história aparentemente tão ingênua seja comovente para tantas pessoas?
O Pequeno Príncipe devolve a cada um o mistério da infância. De repente retornam os sonhos. Reaparece a lembrança de questionamentos, desvelam-se incoerências acomodadas, quase já imperceptíveis na pressa do dia a dia. Voltam ao coração escondidas recordações. O reencontro, o homem-menino.

— Os olhos são cegos. É preciso ver com o coração.

Um verdadeiro clássico, um dos livros que nunca vai sair de moda. Apesar de ser uma leitura de linguagem leve, apresenta várias questões filosóficas que podem ser complicadas para a mente infantil (mesmo que seja um livro classificado como tal). As ilustrações como sempre são muito lindas, e esta edição em questão foi a melhor de todas que vi até hoje porque traz um relato da vida de Saint-Exupéry, com fatos que eu, pessoalmente, desconhecia, e eu adoro livros desse tipo. Recomendadíssimo.

15 de jul de 2019

Comer, rezar, amar (Elizabeth GIlbert) – DLLC 2019


Título: Comer, rezar, amar
Autora: Elizabeth GIlbert
Mês: Julho
Tema: Uma história de amor baseada em fatos reais
Editora Objetiva, 344p.

Sinopse: Em torno dos 30 anos, Elizabeth Gilbert enfrentou uma crise da meia-idade precoce. Tinha tudo que uma americana instruída e ambiciosa teoricamente poderia querer - um marido, uma casa, um projeto a dois de ter filhos e uma carreira de sucesso. Mas em vez de sentir-se feliz e realizada, foi tomada pelo pânico, pela tristeza e pela confusão. Enfrentou um divórcio, uma depressão debilitante e outro amor fracassado, até que se viu tomada por um sentimento de liberdade que ainda não conhecia. Foi quando tomou uma decisão radical - livrou-se de todos os bens materiais, demitiu-se do emprego, e partiu para uma viagem de um ano pelo mundo - sozinha.

Resolvi colocar a sinopse, ao invés de fazer o meu resumo porque se fosse fazer isso, eu colocaria a história do livro todo, essa leitura foi uma das que eu tive dificuldade em fazer um resumo que prestasse sem spoiler. Não esperava me divertir lendo ele (no sentido de ter aproveitado a leitura, não no sentido de rir). O que eu gosto nesses livros que retratam viagens é quando os personagens absorvem a cultura do lugar onde estão, o que foi o caso de Elizabeth na Itália (a melhor parada dela, na minha opinião). Livro pequeno e com uma leitura simples. Recomendo.

12 de jul de 2019

Star Wars The force awakens (Alessandro Ferrari) – DLL 2019


Título: Star Wars The force awakens
Autor: Alessandro Ferrari
Mês: Julho
Tema: Com mais de 100 páginas
Editora IDW, 80p.

A Primeira Ordem invade uma pequena vila em Jakku atrás do mapa que os levará ao lendário jedi Luke Skywalker. Mas o piloto da Resistência, Poe Dameron, consegue que seu dróide BB-8 fuja com o mapa. Ele acaba sendo resgatado pela jovem sucateira Rey no deserto. Enquanto isso, Poe recebe ajuda de um stormtrooper em fuga, Finn, mas eles acabam caindo no deserto de Jakku. Ele encontra Rey e os dois, mais o dróide, se vêem fugindo feito loucos quando a Primeira Ordem invade o planeta. Eles roubam a Millenium Falcon e acabam conhecendo Han Solo. Em sua parada no planeta de Takodana, Rey descobre que possui a habilidade lendária dos jedi, mas foge disso junto com BB-8. A Primeira Ordem invade o planeta e Kylo Ren, mestre dos cavaleiros de Ren, a sequestra. Quando a Resistência chega para ajudar, Han Solo e a general Leia Organa se encontram novamente. Enquanto os rebeldes traçam um plano para atacar a base Starkiller, Leia pede que Han recupere o filho deles. Durante o resgate de Rey, as coisas dão errado, mas a jovem percebe que sua ligação com a força é mais presente do que ela imaginava...

Como a graphic novel de Rogue One, esta aqui também traz no início uma pequena introdução sobre os personagens, todos os que vemos no filme. Como não é a HQ de adaptação, o artista manteve a caracterização dos personagens, mas as feições mudaram, o que foi exatamente a razão da minha escolha de leitura (a adaptação traz o rosto dos atores, e como eu já vi o filme, é meio sem graça ler algo assim, acaba se tornando repetitivo). Uma leitura bem rápida, mas que vale a pena, principalmente se como eu, você está gostando da nova trilogia de Star Wars. Recomendo.

10 de jul de 2019

Superpato original – DLL 2019


Título: Superpato original
Mês: Julho
Tema: HQ, mangá ou graphic novel
Editora Abril, 192p.

O Superpato nem sempre foi um herói. O personagem começou sua carreira como um vingador diabólico, inspirado no vingador italiano Diabolik. A editora Abril reescreveu o desfecho da história do personagem devido a época de censura militar e também por causa dos leitores de HQ, que não estariam preparados para uma mudança de caráter tão drástica do amado Pato Donald. Essa edição traz três histórias que compõe a versão original do super-herói de Patópolis.

Eu andava louca atrás dessa edição, e fiquei mais ainda quando soube que a editora Abril havia parado de publicar gibis da Disney. Foi uma das novas primeiras edições que consegui e valeu a pena. É sempre muito divertido saber a origem de personagens tão conhecidos, e quando a história começa com um quê de surpresa, melhor ainda. É uma edição recomendada para todo fã da Disney

19 de jun de 2019

Lendo o Brasil: RIO GRANDE DO NORTE – Cabra das rocas (Homero Homem)

Joãozinho vive nas Rocas da Frente, um lugar muito pobre. Ele resolve estudar para melhorar de vida, enquanto lida com as dúvidas do pai (que não sabe se deve encorajar o filho ou coloca-lo para trabalhar junto com ele no ofício da família) e com a quase indiferença de sua madrasta. Seu Eustáquio, o único morador estudado das Rocas, é também a única pessoa que o ajuda em seus planos de estudo.


Como foi DIFÍCIL encontrar um livro de um autor nascido nesse estado. Mais uma vez a coleção Vagalume vem em meu socorro, pois foi lá que encontrei dois títulos de Homero Homem, o escritor de ficção mais lido do Rio Grande do Norte (na verdade, essa coleção só tem tesouro, então não sei como não pensei nela antes). O livro é pequeno, mas também é uma obra de arte que mostra a determinação e força de vontade para melhorar de vida de uma criança e tudo que ela sofre nesse caminho. Completamente indicado.

Editora Ática.
95 páginas.

17 de jun de 2019

198 livros – GRÉCIA - Vidas paralelas: Alexandre e César (Plutarco)

Alexandre, o Grande e Júlio César. Dois grandes generais da Antiguidade, que realizaram grandes feitos dentro e fora do campo de batalha. Suas vidas e seus legados são colocados lado a lado nesta publicação escrita por Plutarco, que recupera dados e fatos de suas vidas públicas e privadas, colocando-os lado a lado e comparando-os, não com a intenção de apontar um melhor que o outro, mas com o objetivo de revelar o caráter dos biografados.


Esse livro não é nada do que eu pensei que fosse. Quando encontro livros por aí que tem a intenção de serem biografias de personalidades histórias antigas, sempre são romanceadas, então na maioria das vezes eu só dou o crédito depois de pesquisar em todo canto os fatos que eu desconheço e que o autor aborda no livro. Dessa vez foi diferente. Não que eu achasse que seria uma obra romanceada sobre Alexandre e Júlio César, mas também não esperava que seria o que é: uma biografia. Verdadeiramente. Um livro que reúne os fatos da vida de dois homens que fazem parte da história mundial, sem enrolação. Plutarco é objetivo, narra o que aconteceu de forma simples e direta. As minhas partes favoritas foram justamente a descrição das mortes desses dois homens, porque são acontecimentos tão fantasiados em todas as fontes que já li sobre o assunto que foi ótimo encontrar uma discrição seca dos acontecimentos. Já está como um dos favoritos da minha seção de biografias.

Editora L&PM Pocket.
192 páginas.

14 de jun de 2019

Vinte poemas de amor e uma canção desesperada (Pablo Neruda) – DC 2019


Título: Vinte poemas de amor e uma canção desesperada
Autor: Pablo Neruda
Mês: Junho
Tema: Uma obra latino-americana
Editora José Olympio, 80 páginas.

Sinopse: Vinte Poemas de Amor e uma Canção Desesperada" é um relançamento por conta da comemoração do centenário do poeta chileno. A despeito da aguda melancolia presente nos poemas, é uma obra que celebra o prazer de viver. Terceiro livro do escritor, o volume constitui o primeiro grande momento de Neruda - em que o poeta alcança o equilíbrio entre contenção retórica e riqueza vocabular.

O mês mais difícil de encontrar um livro e quando encontro, ainda acaba sendo de um gênero que eu sempre tive dificuldade em ler: poesia. Apesar de não ser meu gênero favorito, gostei da leitura por causa do tom de nostalgia e porque Neruda constrói as imagens do corpo feminino comparando-as com imagens da natureza. O livro é bem curto, o que foi uma escolha proposital. Valeu para que eu conhecesse a obra e o estilo de escrita do autor.

10 de jun de 2019

Uma força medonha (C.S. Lewis) – DLS 2019


Título: Uma força medonha
Autor: C.S. Lewis
Mês: Junho
Tema: Um livro com mais de 500 páginas
Editora Martins Fontes, 556p.

Mark e Jane Studdock são recém-casados. Suas vidas mudam de repente quando são arrastados para acontecimentos completamente estranhos e fora de controle. Após ter um pesadelo com uma cabeça decapitada, Jane vê o rosto do seu sonho no jornal e fica com a sensação cada vez maior de estar sendo alertada de algum fato real e ameaçador. Enquanto isso, Mark é induzido a entrar para o Instituto Nacional de Experimentos Coordenados, cujo objetivo real é controlar a sociedade humana.

O terceiro livro da Trilogia Cósmica de C.S. Lewis e um dos livros mais difíceis de engatar na leitura. Logo no início se diz que ele pode ser lido independentemente de já ter lido (ou não) os dois primeiros, e pelo que vi, dá certo (um pouco) porque quem aparece no início da trilogia não é tão presente neste livro. Diferente dos outros, eu achei esse livro bem complicado, só lá pela metade consegui captar o teor da história. Eu sempre fico abismada pela paixão que Lewis e Tolkien tinham pelos mitos arturianos, e como eles conseguem “encaixá-los” em suas histórias, seja utilizando elementos presentes nos mitos, seja utilizando os personagens principais. Indico o livro só por isso, mesmo que a leitura seja obrigatória para poder continuar a história.

5 de jun de 2019

O alerta dos irmãos Grimm (Chris Colfer) – DLL 2019


Título: O alerta dos irmãos Grimm
Autor: Chris Colfer
Mês: Junho
Tema: Com a capa vermelha
Editora Benvirá, 456p.

Os portais que ligam os mundos foram fechados. Todos. Ou ao menos era o que Conner e Bailey pensavam até que uma nova ameaça, um exército francês perdido em um vórtice temporal, ameace conquistar o mundo dos contos de fadas. Os gêmeos agora vivem separados: Conner voltou para o mundo real e continua com o sonho de se tornar escritor, enquanto Alex se prepara na Terra de Histórias para ser a próxima fada madrinha. Em uma viagem para a Alemanha para um evento sobre os irmãos Grimm, Conner se vê novamente metido em problemas ao perceber que um dos contos dos famosos contadores de histórias pode ser um aviso as pessoas do mundo mágico. 
Com as instruções da Mamãe Ganso e ao lado de sua colega Bree, ele viaja pela Europa atrás do portal que irá leva-lo novamente a Terra de Histórias para que possa alertar todo mundo. Quando Alex é avisada, ela decide unir todos os povos mágicos na luta contra os invasores, e acaba descobrindo muito mais do que gostaria sobre a nova ameaça.

Esse livro é uma delícia, apesar dos gêmeos estarem separados. Eu achei meio estranha essa separação, na verdade foi um pouco difícil de se acostumar vendo Conner no mundo real e Alex virando uma fada. Mas o que me chamou atenção mesmo foi o evento sobre os irmãos Grimm, nossa, minha imaginação correu solta. Esse livro veio com tanta novidade e coisa inesperada que falar mais do que isso é dar spoiler escancarado, então eu só posso dizer que o final foi muito, muito louco, e me deixou roendo as unhas para poder entender as motivações por trás do novo personagem. Continuando uma série maravilhosa totalmente indicada.

3 de jun de 2019

Animais fantásticos e onde habitam: o roteiro original (J.K. Rowling) – DLL 2019


Título: Animais fantásticos e onde habitam: o roteiro original
Autora: J.K. Rowling
Mês: Junho
Tema: Que virou filme ou série
Editora Rocco, 304p.

Newt Scamander está em Nova York para uma pequena parada. Mas quando algumas de suas criaturas mágicas fogem de sua maleta, ele se mete nas maiores confusões para recuperá-las e acaba se envolvendo na situação de ataques misteriosos a não-bruxos que ameaçam revelar a existência do mundo mágico.

Se você viu o filme Animais fantásticos e onde habitam, esse livro meramente vem complementar o que você viu, não no sentido de adicionar mais informações, mas no sentido de fazer perceber detalhes que passaram em branco na hora que você viu o filme. Porque isso acontece, tiveram duas coisas que, mesmo depois de ver o filme várias vezes, só percebi agora depois de ler esse livro. A diagramação é uma maravilha, assim como as ilustrações. Um livro para fãs que vale a pena.

29 de mai de 2019

Lendo o Brasil: SÃO PAULO - A menina feita de espinhos (Fabiane Ribeiro)

Kat foi uma criança surpresa. Sua mãe engravidou dela quando não mais esperava, e acaba morrendo quando ela nasce, pois Kat nasceu com uma anomalia epidérmica rara: a camada superficial de sua pele apresenta elevações em formato de espinhos que soltam um muco venenoso. Em consequência disso, Kat nunca pode ter contato físico com ninguém. Seu pai sempre fez de tudo para que ela não se sentisse excluída, ao mesmo tempo em que a manteve consciente de sua doença. Após sofrer muito preconceito, ela e seu pai se mudam para um chalé, e é nesse lugar que ela encontra um amigo inesperado e se apaixona pela primeira vez.


Para este mês, foi fácil escolher um livro no meio das autoras parceiras do blog. E como todo livro da Fabiane Ribeiro, este também me fez criar uma expectativa absurda só para ficar chorando no final. Não que não estivesse claro que a história estava se encaminhando para um final desse, mas ainda assim. O que mais me impressionou foi a doença (eu fiz uma pesquisa superficial e não encontrei nenhuma doença assim, então não sei se existe mesmo ou se foi criação da Fabiane). Uma história emocionante e cativante, que faz você pensar na sua vida e agradecer por tudo.

Editora Universo dos Livros.
343 páginas.

27 de mai de 2019

198 livros: POLÔNIA – A lista de Schindler (Mietek Pemper)

Se Schindler não tivesse comprado a empresa processadora de metal, a "lista de Schindler" não teria sido possível.


Muito se fala da famosa lista de Schindler, que salvou mais de mil judeus de morrerem em campos de concentração nazista. Do que poucas pessoas falam ou sabem é do judeu “infiltrado” no escritório do temido Amon Göth que ajudou não só a redigir as listas (sim, foram mais de uma, e os judeus cujos nomes presentes nelas não foram escolhidos da forma como o filme de Steven Spielberg mostra) mas participou muito ativamente de todos os momentos de suas redações.
Mietek Pemper tinha 23 anos quando foi feito prisioneiro no campo de trabalho forçado e depois campo de concentração de Krakau-Plaszow. Ao serem descobertas suas habilidades como estenógrafo, ele passou a trabalhar diretamente com Amon Göth, vivendo o terror de saber que não sairia daquela situação com vida por saber demais. Além de ajudar Schindler a elaborar as listas que salvaram mais de 1200 judeus da morte certa, ele acaba descobrindo sobre as operações dos nazistas e sobre o andamento da guerra.
Ao aprender a reconhecer os humores de Göth, ele conseguia ajudar as pessoas no campo e até mesmo a salvar algumas; seu trabalho bem executado o levava a receber certos “agrados” (como a permissão de não precisar usar os uniformes que o destacariam como um dos homens do serviço de ordem, os judeus que se prejudicavam mutuamente na esperança de sairem vivos); ao ler os relatórios, ele descobria quais campos continuariam funcionando e quais seriam transferidos, e foi assim que descobriu que somente os campos de trabalho cuja produção fosse “decisivo para a vitória”. E assim foi dado o pontapé inicial para a redação das listas que salvaram muitos judeus e imortalizaram Schindler como salvador desse povo.

Hoje, é impossível mensurar os riscos que Schindler correu durante anos para nos ajudar. Assim, ele e eu, cada um no âmbito de suas possibilidades muito diferentes, conseguimos algo praticamente impossível: o campo de trabalhos forçados de Cracóvia-Płaszów, no qual por volta de oitenta por cento das empresas eram produções de costura e têxteis, não foi dissolvido prematuramente no final de 1943, mas preservado. No fim do outono de 1944, Schindler deu um golpe de mestre: conseguiu transferir todo seu pesado parque de máquinas e mil de seus trabalhadores judeus para Brünnlitz. Lá, nos deparamos com mais judeus de outros campos e prisões, que foram igualmente acolhidos por Schindler. A cada admissão, a lista dos detentos tinha de ser complementada com folhas adicionais. Essa lista, então, recebia a respectiva data e seguia para o campo de concentração matriz, de Gross Rosen, porque, de acordo com ela, se calculavam as tarifas diárias que Schindler tinha de pagar por cada trabalhador declarado para a Central de Administração Econômica da SS. Schindler protegeu e salvou não apenas os judeus de Płaszów, mas também aqueles que apareceram em Brünnlitz no inverno de 1944-1945 e que, sem ele, teriam morrido. Assim, a cifra final foi de mil e duzentos detentos. Toda a ação salvadora ficou conhecida como a “lista de Schindler”, apesar de não se poder falar de uma única lista, mas de várias que se referiam reciprocamente.

Muitas vezes neste livro Mietek Pemper fala de Oskar Schindler como um grande homem, dos riscos que ele correu em suas tentativas de salvar quantos judeus pudesse. Enquanto eu lia este livro, eu pensava “Mas e você mesmo, Mietek? Como você não pode ver a sua própria coragem e o seu próprio valor, enquanto fica tão perto do inimigo?” Porque é exatamente isso que acontece. Essa foi uma das perguntas que ele ouviu muito durante o tempo em que falava com as pessoas sobre a guerra:

“Como o senhor conseguiu suportar a pressão psicológica de trabalhar durante tanto tempo em contato tão próximo com Göth?”

E a resposta clara:

Nenhum outro detento deveria ser obrigado a correr o mesmo perigo diário que eu tinha de suportar. [...] Tudo o que podia fazer era atrasar o máximo possível a execução de minha sentença de morte, no interesse de meus familiares.


Mietek é escolhido para trabalhar diretamente com Göth por suas habilidades de escrivão (que ele deve ter considerado uma maldição, até perceber que podia usar em proveito próprio dessa condição), e isso também o leva a conhecer Oskar Schindler. Através de conversas sussurradas e escondidas, eles conseguem elaborar uma lista para salvar os judeus que pudessem, sem que Göth desconfiasse disso. A sua situação dúbia fica evidente quando Mietek descreve que o nazista matava a bel prazer, portanto, mesmo tendo conhecimento de muitas coisas que nenhum judeu deveria saber sobre a guerra, ele também corria um perigo indescritível. O mais interessante é ver no seu relato um homem desinteressado, cujo único objetivo era continuar vivo e manter vivo quantas pessoas fosse capaz. 
Uma coisa que eu sempre pensei que seria imediata: todo mundo saberia do papel de Schindler na salvação dos judeus, mas não foi assim que aconteceu. Somente algum tempo depois, e apesar da divulgação das pessoas salvas, que se teve uma dimensão do papel dele na guerra. Foi encontrada uma maleta com fotos e documentos de Schindler, incluindo algumas versões das listas na Alemanha. Quando de sua descoberta, Emilie Schindler tentou adquirir a posse do material legalmente, mas a Yad Vashem (organização encarregada por lei de conservar e estudar todos os documentos relacionados à história do Holocausto) já tinha sua posse.
A melhor parte do livro é quando ele descreve os julgamentos dos nazistas, em que por mais que os prisioneiros tentassem se safar de alguma acusação, Mietek sempre estava pronto pra comprovar o que eles negavam, causando até mesmo surpresa neles, pois como um judeu poderia saber de segredos que só o comando deveria conhecer? Esse livro é uma preciosidade, vale cada minuto de leitura.

Editora Geração Editorial.
277 páginas.

22 de mai de 2019

Vader (Kieron Gillen) – DC 2019


Título: Vader
Autor: Kieron Gillen
Mês: Maio
Tema: Um livro com um protagonista anti-herói/vilão
Editora Panini Comics, 152p.

Luke Skywalker conseguiu destruir a Estrela da Morte. Como não poderia ser diferente, o imperador culpa Darth Vader pela perda de sua maior arma. Enquanto parte em busca dos rebeldes responsáveis, principalmente do piloto que disparou o tiro que destruiu a base imperial, Darth Vader investiga as maquinações do imperador e parte em busca de recursos próprios. O que ele não esperava era descobrir um segredo pessoal em sua caçada a Luke Skywalker....

Estas HQs do Darth Vader são um verdadeiro primor. Desde que essa fanbase “renasceu” com a nova trilogia e Star Wars entrou em voga novamente depois da venda para a Disney, surgiu uma quantidade enorme de material novo. Depois que eu consegui entender a divisão entre o que é cânone e o que é Legends, me foquei em procurar os livros e HQs que mais me chamaram atenção, e essa coleção de Darth Vader só conseguiu me deixar mais ansiosa para ler tudo que ainda tem por aí sobre o vilão mais famoso do cinema. Como são vários volumes, decidi comprar as edições em brochura, que englobam de 5 a 6 volumes de cada vez. 
 Esta edição é o Livro 1, Vader, que engloba dos volumes 1 a 6 das HQs Darth Vader publicadas em 2015 e 2016 (até isso temos que prestar atenção, se você não quiser misturar tudo, porque essa coleção teve 25 volumes, e em 2017 resolveram começar uma nova, que finalizou em 2018 com também 25 volumes). Eu priorizo as edições em formato brochura porque, além de saírem mais baratas, elas também incluem as várias capas alternativas. HQ completamente indicada.

20 de mai de 2019

A mulher na janela (A.J. Finn) – DLS 2019


Título: A mulher na janela
Autor: A.J. Finn
Mês: Maio
Tema: Um livro de thriller
Editora Arqueiro, 352p.

Anna Fox sofre de Agorafobia, um distúrbio que faz as pessoas terem medo, dentre outras coisas, de sair sozinho de casa e de ficar cercado por multidões. Ela antes tinha uma família feliz, mas agora vive sozinha com seu gato, enquanto o marido e a filha se mudaram. Ela passa seus dias bebendo, vendo filmes antigos e espiando a vida dos vizinhos. Anna é pega pela vizinha Jane Russell no flagra espionando, mas a vergonha de Anna logo diminui quando percebe que a vizinha quer se tornar sua amiga. Mas uma noite, ao ouvir gritos vindos da casa dos Russell, ela busca informações, mas ninguém parece saber de nada (e quem sabe se recusa a falar). Quando ela testemunha o que parece ser uma briga de casal entre os Russell e logo em seguida Jane ser esfaqueada, Anna precisa vencer seus medos interiores e tentar ajudar. Mas ela não consegue e acaba sendo tachada de alucinada. Agora Anna precisa provar que o que viu foi real.

Sabem aquela vontade que dá de esbofetear um personagem? Foi exatamente assim que me senti lendo esse livro. Passei a leitura inteira num estado de raiva e estupefação completas, da mesma forma que fiquei assistindo A garota no trem. A premissa basicamente é a mesma: mulher com problemas (de ansiedade e com álcool) que testemunha/sabe (de) um crime, mas que é desacreditada justamente por causa de seus problemas psicológicos. A irritação crescia a cada capítulo, pois eu ficava querendo que Anna percebesse o que estava fazendo, o quanto ela estava se prejudicando, mesmo sabendo que a autora só estava retratando uma situação real (tipo o fumante que sabe o dano do cigarro, mas mantém o mau hábito, Anna mistura os remédios com álcool sabendo que pode passar muito mal, mas não tem capacidade de parar).
No caso, a situação de Anna é bem pior, ela acaba sendo muito mais inconsequente, porque ela é psicóloga, consegue captar as mentiras ensaiadas ao seu redor, mas por causa do seu alcoolismo, é desacreditada. E ela não sabe fazer nada para mudar a situação, então se afunda mais ainda na bebida. Até quando ela tenta começar a tentar descobrir todo o mistério, o cérebro não funciona porque ela vive confusa por causa da bebida. Enfim, isso eu achei chato e completamente irritante, a história parecia que não saia do mesmo lugar, rodando e rodando até voltar o mesmo ponto. Eu não sou de desistir de leitura nenhuma, sempre termino um livro seja a história o que for, mas posso dizer com certeza que a ÚNICA coisa que salvou esse livro (até porque eu não estava esperando mais nenhuma grande reviravolta) acontece lá para o final (e não, não é a solução do mistério central) e me deixou em choque, porque nesse tipo de situação, o leitor espera que o personagem lembre só naquele minuto do acontecimento, mas Anna sempre lembrou, sempre soube. E é aí que o autor pega a gente, porque quando tudo parece confirmar uma sucessão de alucinações loucas... bom, aí que tudo começa a entrar nos eixos. Recomendo.

17 de mai de 2019

Corvos de Odin (K.L. Armstrong & M.A. Marr) – DLLC 2019


Título: Corvos de Odin
Autoras: K.L. Armstrong & M.A. Marr
Mês: Maio
Tema: Livro com mais de um ponto de vista
Editora Rocco Jovens Leitores, 304p.

Matt, Fen e Lauri estão no submundo nórdico, Hell, em busca de Baldwin, o descendente de Balder que foi envenenado e morto. Lá, eles enfrentam um gigante de fogo de duas cabeças, Garm (o cão protetor dos mortos), vikings zumbis ainda precisam convencer Helen, a filha de Loki, e portanto tia de Fen e Laurie, que comanda Hell, a deixá-los ir embora. Enquanto se recuperam dessa aventura, e com Baldwin de volta, Matt agora é quem precisa embarcar em uma viagem em busca do Martelo de Thor, enquanto precisa lidar com as descobertas chocantes sobre seu avô e seus aliados. Eles se juntam aos gêmeos Ray e Reina (descendentes de Fray e Freya), que agora sabem que foi errado não acompanha-los da primeira vez, e a Owen (descendente de Odin) em sua constante luta para evitar o fim do mundo. Enquanto Matt faz de tudo para evitar o destino de ser morto pela serpente no Ragnarok, Fen tem que lidar com as consequências de sua escolha sobre sua família.

Faz um tempo que eu li o primeiro livro dessa série, então fiquei meio perdida no início do livro e só peguei o embalo no fim dos dois primeiros capítulos. Até agora, estou gostando dessa série e quero ver o que vem por aí no último livro (se eles conseguem impedir o Ragnarok ou não). A ação é constante, os personagens saem de uma aventura para outra e isso me levou a não largar o livro. Também curti as ilustrações, como no primeiro livro, elas dão aquele complemento a história (mesmo que eu goste de imaginar as valquírias mais selvagens, ainda está valendo). Recomendo.

15 de mai de 2019

Ainda sou eu (Jojo Moyes) – DLL 2019


Título: Ainda sou eu
Autora: Jojo Moyes
Mês: Maio
Tema: Do gênero Young adult
Editora Intrínseca, 400p.

Louisa Clark agora está trabalhando em Nova York, experimentando um recomeço de vida e confiante de que consegue manter seu relacionamento a distância com Sam. Contratada como acompanhante da esposa muito jovem do milionário Leonard Gopnik, Louisa decide extrair o máximo dessa sua nova vida. Tendo que lidar com os costumes diferentes e com os variados empregados e puxa-sacos de seus novos patrões, a jovem se vê envolvida em uma rede de acontecimentos que podem influenciar na sua posição dentro da casa e, mais ainda, na situação da vida dos chefes dentro da alta sociedade nova-iorquina. Enquanto tenta manter vivo o romance com Sam, ela se vê guardando segredos que não são seus e que podem influenciar em muito na pouca estabilidade que estava conseguindo alcançar em sua vida.

O terceiro volume da trilogia de Jojo Moyes, esse livro acabou sendo melhor que o segundo. Não sei se porque neste vemos Louisa lidando melhor com a morte de Will, ou porque saímos de Londres com ela e vamos para os Estados Unidos, ou se porque aquele romance morno com Sam fica um pouco para trás, mas achei a história muito mais desenvolvida. Claro, Louisa às vezes ainda parece estar um caco emocionalmente, a morte de Will sempre presente, mas neste livro a personagem consegue amadurecer. Sua família continua sendo divertidíssima. Apesar de ter gostado dos dois livros seguintes a Como eu era antes de você por mostrar as consequências de um suicídio assistido na vida das pessoas ao redor da pessoa suicida, não achei que foram livros muito necessários. De qualquer forma, indico.

13 de mai de 2019

Parasita vermelho (Andrew Lane) – DLL 2019


Título: Parasita vermelho
Autor: Andrew Lane
Mês: Maio
Tema: Escolhido na sua estante por outra pessoa
Editora Intrínseca, 320p.

Durante uma visita de seu irmão Mycroft, Sherlock acaba escutando escondido uma conversa entre ele e seu professor, Amyus Crowe, e descobre que John Wilks Booth, o homem que matou o presidente Lincoln, ainda está vivo e escondido em Londres, e que o governo britânico deseja saber por quê. Sherlock e seu amigo Matty encontram o homem e seus companheiros, mas quase é morto, e Matty acaba sendo sequestrado. Para salvar o amigo, Sherlock se junta a Amyus e Virginia e embarcam para a América, onde vão descobrir o que existe por trás do reaparecimento do criminoso Booth.

Este era um livro que eu não tinha pretensão de ler agora, mas por causa do tema do desafio, as participantes resolveram montar um amigo secreto de brincadeira onde nós escolhíamos as leituras umas das outras. Dentre as minhas opções, quem me tirou escolheu esse. Eu achei o início desse livro um pouco arrastado, mas depois do sequestro de Matty, as coisas começam a melhorar porque os acontecimentos se sucedem uns aos outros sem intervalos chatos (até mesmo a viagem de navio, que poderia ser enfandonha, é cercada de ação). Gostei de como foi introduzido o ensino de violino na vida de Sherlock e várias outras questões que mais tarde acabam se enraizando na cabeça do futuro detetive e se tornam dados nas resoluções dos casos. De forma geral, eu adorei. Recomendo.

10 de mai de 2019

Rainhas das sombras (Sarah J. Maas) – DLL 2019


Título: Rainha das sombras
Autora: Sarah J. Maas
Mês: Maio
Tema: Que foi best seller
Editora Galera Record, 644p.

Celaena Sardothien não existe mais. Em seu lugar, Aelin Galathynius está de volta para recuperar seu reino e livrá-lo do domínio sombrio de Adarlan. Na tentativa de salvar seu primo Aedion, ela se junta a antigos aliados e novos amigos. Quando seu ex-mestre Arobynn, rei dos assassinos e responsável pela sua prisão em Endovier, aparece com uma proposta de ajuda para que ela consiga invadir a cerimônia de execução do primo e salvá-lo, Aelin sabe que com ele tudo tem um preço, mas desta vez eles irão jogar de acordo com as regras dela, até porque ela tem Rowan para ajudá-la dessa vez. Enquanto isso, Dorian, possuído por um príncipe valg, virou uma marionete maligna nas mãos do pai, o rei de Adarlan, cujo pacto com as bruxas para criação de um exército de feras aladas está indo adiante. Sua líder, Manon Bico de Ferro, se vê cada vez mais indignada com o tratamento dispensado as suas iguais. Enquanto Aelin consegue a sonhada vingança contra Arobynn e a liberdade de Lysandra, Manon acaba se envolvendo com a jovem ao pagar uma dívida. Acordos, tramoias e selvageria marcam o caminho de Aelin para recuperar seu reino e os que lhe são caros.

A melhor parte coisa desse livro, e eu me enganei feio achando que seria a parte mais chata, foi sobre as bruxas. Manon está se revelando uma personagem maravilhosa de se observar, assim como Asterin. O relacionamento entre as bruxas atinge um novo patamar (como elas são quem são, óbvio que tinha que ter violência), e mesmo quando a gente acha que sabe tudo sobre elas, vem a autora e adiciona novos elementos surpresa (o envolvimento delas nos planos de Aelin me deixaram eufórica). O livro é intenso, a ação não para, o que é um milagre, já que esse é o volume mais grosso (até agora) dessa série. Uma série que surpreende a cada livro lançado, estou louca para ver no que vai dar a relação entre Aelin e Rowan. Completamente recomendado.

19 de abr de 2019

Lendo o Brasil: GOIÁS - Meu livro de cordel (Cora Coralina)

Cora Coralina faz uma homenagem em 43 poemas aos menestréis nordestinos. Ela os considera 'irmãos do nordeste rude'. Apresenta a alma dos rios, das pedras, dos gestos exaustos das lavadeiras, a simplicidade da vida, do amor e da morte.


Cora Coralina é uma autora que eu só conhecia por nome, nunca havia lido nada dela, então quando achei na biblioteca este livro, foi fácil pegar e ler. Poesia não é comigo, mas decidi arriscar porque não conhecia nenhum outro autor nascido em Goiás. E a leitura me levou a perceber como nós não valorizamos o que é nosso, muitos escritores brasileiros que o público em geral desconhece, e como isso se revela uma perda para nós. Gostei de ter encontrado o livro e a autora.

Editora Global.
112 páginas.

17 de abr de 2019

198 livros: ESTADOS UNIDOS – Qualquer outro lugar (A.G. Howard)

Alyssa e seu pai Thomas, que recuperou suas memórias, estão atrás de uma maneira de salvar a mãe, presa no País das Maravilhas, assim como Jeb e Morfeu, que foram sugados para dentro de Qualquer Outro Lugar, o mundo do espelho onde os seres exilados do País das Maravilhas ficam presos, sem poder usar magia. Depois de enfrentarem alguns dos perigos que esse lugar tenebroso oferece, Thomas e Alyssa encontram Jeb e Morfeu, mas a jovem descobre que seu namorado está muito mudado e não é mais aquele jovem encantador e cheio de alegria que ela conheceu. No meio da luta para derrotar a Vermelha e restaurar o País das Maravilhas, Alyssa também precisa lidar com esse novo Jeb e com a promessa que fez a Morfeu, e nesse caminho, ela vai descobrir a verdadeira história da primeira Alice e de Lewis Carrol.


Basicamente, minha parte favorita deste livro é justamente essa, a verdadeira história de Alice e Lewis Carrol. Foi bem engenhoso o papel que a autora quis dar a ambos em sua história, e complementou de várias maneiras a história da própria Alice. Eu li um pedaço do final enquanto estava no meio do livro, mas surpreendentemente isso não estragou a história, porque até aquele final, ainda tinha muita coisa para acontecer. Essa história foi uma excelente maneira de finalizar essa trilogia, eu nunca fui chegada a história de Alice, sempre me pareceu confusa demais, mas A. G. Howard conseguiu me fazer mudar de opinião. Série completamente recomendada.

Editora Novo Conceito.
416 páginas.

12 de abr de 2019

Dumbo (Kari Sutherland) – DC 2019


Título: Dumbo: o circo dos sonhos
Autora: Kari Sutherland
Mês: Abril
Tema: Um livro com adaptação a ser lançada em 2019
Editora Universo dos Livros, 301p.

O circo dos Irmãos Medici está a beira da falência. Por isso, o dono está cancelando números e se desfazendo de animais. Milly e Joe são filhos das antigas estrelas da montaria, Holt e Annie e vivem no circo desde sempre. Sua mãe faleceu devido a uma doença, enquanto o pai estava voltando da guerra. Mas Holt perdeu o braço e agora precisa se adaptar a um novo serviço. Ele, a contragosto, se torna cuidador do filhote de elefante que Medici aposta que será a nova estrela do circo. Quando eles descobrem que o bebê pode voar, Milly e Joe ajudam o elefantinho, que só quer voltar para a mãe. Quando um famoso empresário oferece uma proposta irrecusável que pode tirar todo mundo do vermelho, Medici aceita sem questionar... até perceberem em que tipo de situação eles estão metidos, e que o mundo mágico prometido por Vandevere não é tão encantador assim.

Você é um milagre de elefante, Dumbo. E nós vamos trazer sua mamãe de volta para casa.

Eu infelizmente não fui ver a versão live-action de Dumbo no cinema. A versão animada lançada em 1941 eu vi, mas foi um daqueles filmes de Disney, como O cão e a raposa, que eu não faço mais questão de ver porque é garantia de choro forte. Algumas coisas mudaram de uma versão para outra, e mesmo sem ver a live-action, consegui identificar alguns dos atores do filme pelo personagem, mas o que eu gostei mesmo foi o final desta versão, muito mais satisfatória (apesar de, e por causa do, tom mais sombrio e realista da história). Uma curiosidade que descobri é que o filme de 1941 foi adaptado no livro infantil de Helen Aberson Mayer, falecida a 10 anos (3 de abril de 1999).


Pesquisando aqui e ali, também descobri que Helen se inspirou na história de Jumbo, “o maior elefante do mundo”, que foi capturado na África e chegou ainda filhote no zoológico de Londres em 1865. O elefante manso que permitia que visitantes subissem em seu lombo durante o dia para passear, tinha ataques de fúria durante a noite e só era acalmado por seu cuidador, cujas pesquisas sugerem que dava uísque para acalmar o animal.


Dentre outras coisas, David Attenborough e outros especialistas que examinaram o esqueleto de Jumbo para um documentário da BBC descobriram que o elefante tinha lesões nos quadris provavelmente causadas pelos visitantes que Jumbo tinha que carregar em seus passeios. Também para explicar o comportamente violento do animal, descobriram que os dentes dele eram malformados, o que, somado as lesões no quadril, causavam dores horrendas.


Quando foi vendido para o circo PT Barnum (o mesmo que virou tema de filme em 2017) em 1882, Jumbo só aceitou ser embarcado quando seu cuidador foi com ele. Sucesso nos EUA, o circo fez uma turnê que chegou no Canadá, onde morreu ao ser atropelado por um trem. Os pesquisadores concordaram que se tivesse vivido mais, provavelmente Jumbo teria se tornado o maior elefante do mundo (ele media 3,45m na época que morreu e ainda estava em crescimento). Em Ontário, cidade canadense, do acidente, existe uma estátua em homenagem a Jumbo.


Voltando ao livro e aos filmes, fico feliz de ver que a Disney fantasiou a vida de Jumbo. É menos traumatizante, mas também abre a discussão sobre a situação de vida de animais selvagens em circos e zoológicos. Graças a Deus a mentalidade humana já conseguiu evoluir um pouco sobre o assunto. Sobre o livro, indico. Vai fazer chorar, mas vale a pena.

10 de abr de 2019

Calling all witches! Novo livro sobre o mundo de Harry Potter


Anunciado lançamento de Calling all witches! The girls who left their mark on the Wizarding World. A sinopse (traduzido pelo site Garotas Nerds): 

Para todas as garotas tão espertas quanto Hermione Granger, tão dedicada quanto Tina Goldstein, e tão ferozes quanto Minerva McGonagall, este incrível livro está repleto das histórias das extraordinárias heroínas de Harry Potter e Animais Fantásticos! Além dos personagens mais conhecidos da série, conheça as mentoras, fundadoras, separadoras de regras e – sim, até mesmo vilões como Bellatrix Lestrange e Vinda Rosier – que fizeram do mundo mágico o que é hoje.
Completo, com lindas ilustrações coloridas e fotografias de momentos do filme, os fãs vão adorar esta brincadeira com as bruxas mais poderosas de nossa era. Explore as muitas maneiras pelas quais essas mulheres construíram, enriqueceram e salvaram o mundo mágico, e se inspiraram em suas histórias neste manual atraente – um must-have para os fãs! 

O livro já está em pré-venda na Amazon Brasil.

8 de abr de 2019

Maurício de Sousa (Maurício de Sousa) – DLS 2019


Título: Maurício de Sousa: biografia em quadrinhos
Autor: Maurício de Sousa
Mês: Abril
Tema: Um livro nacional
Editora Panini Livros, 116p.

Uma edição colorida e capa dura que conta a vida de Maurício de Sousa narrada por suas criações. Cada personagem narra um pequeno conjunto de acontecimentos marcantes da vida de Maurício de Sousa, dede seu início de carreira como criador de histórias e seu encontro com Stan Lee, até a transformação do personagem em um símbolo nacional de cultura.

Essa edição é uma coisa muito gracinha. Com a comemoração dos 80 anos do autor, saíram várias publicações biográficas do Maurício, este livro é uma delas. Adorei a ideia de pegarem os próprios personagens para contarem a história do seu criador, e acabei descobrindo muitas coisas interessantes, como uma exposição realizada em 2009 sobre Maurício e a turma. Outra coisa que gostei muito foi a inclusão de fotos pessoais. Como sempre, o colorido do livro chama atenção, e as notas no final do livro explicam um tiquinho mais sobre alguns acontecimentos. Completamente recomendado.

5 de abr de 2019

Conversando com Mrs. Dalloway (Celia Blue Johnson) – DLL 2019


Título: Conversando com Mrs. Dalloway
Autora: Celia Blue Johnson
Mês: Abril
Tema: Que na capa tenha uma das cores da bandeira do Brasil
Editora Casa da Palavra, 256p.

Sinopse: Celia Blue Johnson apresenta nesse maravilhoso livro as histórias por trás de 50 clássicos. O que inspirou e fez cada uma ganhar corpo e tornar-se um sucesso da literatura. Autores como J.R.R. Tolkien, Gabriel García Márquez e Lewis Carroll tiveram inspiração em frases aleatórias, lugares ou fatos corriqueiros para compor verdadeiras obras-primas. Os clássicos da literatura universal tratam não só da crítica e pensamento da época em que foram escritos, mas da universalidade dos sentimentos humanos no decorrer do tempo, tornando-os imortais. Conhecer mais do processo criativo dos grandes escritores nos aproxima tanto dessas histórias como de nossas próprias vidas.

Esse livro é mais um desses lançamentos que trazem listas de livros e autores, e eu particularmente estou adorando essa leva de publicações. Cada capítulo traz um autor diferente, cuja obra (no total, 50) se adequa a categoria em que a autora dividiu o livro. Por trazer autores que eu já conheço e livros que já li e adoro (Orgulho e Preconceito, por exemplo), a leitura foi fácil e empolgante, nem vi o tempo passar. Mais um recomendado.

3 de abr de 2019

O cavaleiro dos sete reinos (George R.R. Martin) – DLL 2019


Título: O cavaleiro dos sete reinos
Autor: George R.R. Martin
Mês: Abril
Tema: Que você comprou há mais de 2 anos
Editora Leya, 384p.

Um cavaleiro andante precisa se agarrar com força ao seu orgulho. Sem isso, não era mais que um mercenário.

Em O cavaleiro dos sete reinos, Dunk acaba de herdar as armas e os cavalos do cavaleiro a quem servia de escudeiro, Sor Arlan de Centarbor, quem o sagrou cavaleiro antes de morrer. Ele decide participar do torneio da Campina de Vaufreixo e acaba conhecendo Egg, sem ter noção da verdadeira identidade do menino. Ele entra no torneio com o nome de Sor Duncan, o Alto, mas acaba se metendo em problemas com os príncipes Targaryen.
O cavaleiro andante narra os acontecimentos de um ano e meio depois do torneio de Vaufreixo, quando Dunk já sabe que Egg é Aegon, um príncipe Targaryen. O menino agora é seu escudeiro o acompanha na tentativa de resolver a disputa territorial entre Sor Eustace Osgrey e Lady Rohanne Webber, a Viúva Vermelha, e Dunk acaba descobrindo mais do que imaginava sobre a Rebelião Blackfire (que começou quando os bastardos de Aegon, o Indigno, resolveram tomar o trono do herdeiro por dirieto).
Em O cavaleiro misterioso, Dunk e Egg estão a caminho do Norte para lutar com os Stark quando encontram uma comitiva de cavaleiros e são convidados para uma festa de casamento, sem saber da trama que está se desenvolvendo por debaixo dos panos nupciais. O que está acontecendo na verdade é uma reunião entre antigos apoiadores Blackfire que objetivam tirar do trono Aerys e com ele sua Mão, Brynden Rivers, e colocar lá um pretendente de descendência bastarda. A coisa toda muda quando o próprio Olho de Corvo entra em cena.

“Um cavaleiro andante é o tipo mais verdadeiro de cavaleiro, Dunk”

Faz é tempo que eu tenho esse livro e estava esperando a hora certa para ler. Quando se trata do mundo criado por Martin, todo novo livro eu resolvo guardar na estante para ver se não acabo tão rápido, já que não se tem uma data certa para o lançamento dos livros que faltam para completar a série Mundo de gelo e fogo. Tinha minhas dúvidas sobre esse livro em particular, mesmo sendo esses personagens muito importantes para a construção do enredo que se vê na série, e ainda bem que não fiquei decepcionada. 
Vale cada minuto da leitura. Egg acaba sendo um personagem bem divertido e sua interação com Dunk, um dos futuros soldados mais aclamados da Guarda Real. São três contos retratando três acontecimentos durante a infância de Aegon e juventude de Duncan, e eu confesso que por mostrar mais de Brynden Rivers (aquele que os fãs tem absoluta certeza de ser o vidente na árvore que auxilia Bran Stark), o último conto se provou o meu favorito. Livro completamente indicado.

18 de mar de 2019

Lendo o Brasil: AMAZONAS - Relato de um certo Oriente (Milton Hatoum)

Após vinte longos anos vivendo fora, uma mulher retorna a Manaus, sua terra e onde vive a família em que foi criada. Em tom epistolar, cada um dos seus familiares, a matriarca Emilie e seu marido, Soraya, os irmãos da recém-chegada, relembra os fatos a recém-chegada.


Uma volta ao passado, é disso que se trata esse livro. Geralmente quando pensam na Amazônia, pensam logo em cidades coberta de florestas, mas o que Milton nos apresenta é os contrastes das versões antiga e moderna de uma cidade. O livro é curto, um dos motivos que me faz escrever uma resenha tão curta, e confesso que fui e voltei na leitura várias vezes para entender melhor a história. Apesar disso, eu recomendo.

Editora Companhia das Letras.
152 páginas.

15 de mar de 2019

198 livros: ANDORRA – O mestre de Quéops (Albert Salvadó)

Natia acaba se tornando escrava no Egito após sua cidade ser tomada numa guerra. Sabendo que seu rosto desfigurado não inspiraria nada além de nojo, seus sentimentos sobre algum homem a querer como mulher entram em conflito com o fato dela ter sido estuprada. Ela engravida e seu filho cresce para ser a companhia do senhor da casa. Mas a época era de constante guerra e seu filho perde o dono (ele era escravo também) e o mestre. Inteligente e sagaz, Sedum consegue se tornar mestre dos filhos do faraó, e o leva a testemunhar a construção das grandes pirâmides do Egito.


Achei que a leitura desse livro seria uma coisa, se provou outra. Não é um livro top, e também não é ruim. Fazia tempo que eu não sentava para ler algo desse gênero, o último romance histórico que li foi sobre Cleópatra, e apesar de já ter gostado bastante desse gênero, foi algo que comecei a deixar de lado. Mas como para este desafio nem sempre encontro livros correspondentes (até agora eu dei sorte), não pude ignorar. O fato de falar sobre o Egito em uma época sobre a qual até hoje os historiadores ainda buscam maiores referências, nada mais nada menos do que o momento da construção das grandes pirâmides do Egito incluindo a pirâmide de Quéops (a única das sete maravilhas do mundo antigo a existir até hoje) foi um chamariz. Gostei muito, apesar das minhas reservas iniciais.

Editora Ediouro.
191 páginas.

13 de mar de 2019

Óculos, aparelho e rock'n roll (Meg Haston) – DC 2019


Título: Óculos, Aparelho e Rock'N Roll
Autora: Meg Haston
Mês: Março
Tema: Um livro sobre música
Editora Intrínseca, 288p.

Kacey Simon tem 13 anos, é jornalista no canal da escola, sempre fala o que acha e dita as tendências, além de ser a protagonista no musical da escola, onde ela vai atuar junto com Quinn, por quem é apaixonada. Ela, Molly, Liv e Nessa são as garotas super populares da escola. Kacey adora suas lentes violetas, mas acaba pegando uma infecção e é obrigada a usar óculos fundo de garrafa. Quando ela vai ao dentista, descobre que precisa de aparelho. Então, de uma hora para outra, a garota super popular se torna uma pária na sociedade escolar: ela perde o papel no musical para Molly e seu posto de jornalista, além de começar a ser humilhada pelos colegas. É nesse momento que ela descobre uma amiga em Paige, sua vizinha nerd, e as duas começam a traçar um plano para Kacey virar popular de novo, mas a menina começa a perceber o valor da verdadeira amizade e se sente arrependida por tudo que fez com os colegas. A partir daí ela questiona se realmente vale a pena voltar para sua vida fútil de antes...

Foi uma dificuldade achar livro para esse tema, principalmente porque eu queria fugir de literatura infanto-juvenil ou chick-lits, mas não teve jeito. Gostei porque apesar de abordar adolescentes com suas vidas populares (ou não), foi divertido. Ao invés de mostrar alguém se tornando popular, a autora mostra justamente o contrário, e isso foi muito bom de ver (não nego que só pensei nos meus anos de colégio). Recomendo.

11 de mar de 2019

Middlesex (Jeffrey Eugenides) – DLS 2019


Título: Middlesex
Autor: Jeffrey Eugenides
Mês: Março
Tema: Um livro ganhador do prêmio Pulitzer
Editora Companhia das Letras, 576p.

Cal Stephanides, nascido Calíope Helen Stephanides, vive em Berlim. Ao relembrar sua história, percorre os caminhos de três gerações de sua família, quando seus avós se mudaram do vilarejo onde moravam nas encostas do Monte Olimpo para Detroit, nos Estados Unidos. Na época da Lei Seca, a cidade estava em pleno desenvolvimento até os protestos da população negra obrigarem a família a se mudar pra Michigan, quando ela tinha doze anos. Criada como menina, Cal desde cedo desenvolve um interesse em meninas (ela não conhece a própria anatomia). A medida que cresce, conhece pessoas que a ajudam a entender a si mesmo.

Nasci duas vezes: primeiro como uma bebezinha, em janeiro de 1960, num dia notável pela ausência de poluição no ar de Detroit; e de novo como um menino adolescente, numa sala de emergências nas proximidades de Petoskey, Michigan, em agosto de 1974.

Esse livro é bem diferente e nada do que eu imaginava que seria quando vi o título e a capa. Mesmo que os acontecimentos sejam narrados com lentidão, a história não deixa de chamar atenção, mas uma observação: por causa do tema, o leitor precisa ter a mente aberta. Milton, Tessie, Desdêmona, Esquerdinha, o livro está lotado de personagens interessantes, além, obviamente, do próprio Cal. É muito difícil fazer uma resenha de um livro assim sem sair contando logo a história inteira. Eu recomendo porque gostei de como o personagem a própria história como se fosse a de outra pessoa.

9 de mar de 2019

Capitã Marvel (2019)

A história é essa: Carol Denvers é uma piloto da Força Aérea norte-americana durante a década de 90. Durante uma missão fracassada, ela é exposta a energia emanada de uma explosão de um motor experimental de tecnologia Kree e se transforma em uma criatura com super poderes. A partir daí, ela se vê envolvida em uma guerra intergaláctica entre duas raças alienígenas, os Kree e os Skrulls, enquanto tenta descobrir mais sobre sua vida e seu passado.


Como todas as vezes em que vi filmes da Marvel, não conhecia nada dessa heroína e tive que fazer uma pesquisa básica. Mesmo assim, sinopse oficial liberada não me ajudou em nada, então fui de mente aberta para o cinema.


Achei que seria um filme do tipo do primeiro do Capitão América, onde tudo é contado cronologicamente, e nós vemos o Steve Rogers se transformar no herói, acabei ficando meio confusa porque o filme começa mostrando a ação logo de cara. Não faço ideia se mostrar Carol primeiro no meio dos aliens para depois, através das lembranças dela, ir mostrando seu passado e o que realmente aconteceu, foi intencional, ou se a ideia era outra, mas ficou excelente.
Brien Larsons está maravilhosa como Carol Danvers, e seu encontro com Nick Fury (Samuel L. Jackson) ainda com os dois olhos funcionando eram as cenas que eu mais fiquei ansiosa para ver e não me decepcionei. Mas quem roubou a cena mesmo foi esse bonito aqui, o gato Goose:



Visualmente, o filme é ótimo. Aquela vibe da década de 90 com as músicas, que nem no filme dos Guardiões da galáxia, dá um toque saudosista para quem viveu a adolescência nessa época (que nem eu :P ). Ainda não entendi as críticas de que o filme não é bom, que a heroína é meia-boca e tudo isso. 


Capitã Marvel é uma heroína incrível cuja proteção (pelo menos é o que parece) vai além da capacidade dos Vingadores, e isso é demais. Não conheço nada dos quadrinhos, então não sei se ela será capaz de derrotar Thanos ou qual será sua importância nos próximos filmes da Marvel, mas estou no aguardo para ver mais dessa mulher incrível.

8 de mar de 2019

O castelo no ar (Diana Wynne Jones) – DLLC 2019


Título: O castelo no ar
Autora: Diana Wynne Jones
Mês: Março
Tema: Um livro em que o protagonista foge
Editora Record, 304p.

Abdullah é um vendedor de tapetes em Zanzib. Em um dia comum, ele compra um tapete voador de um vendedor muito insistente. Com medo do tapete voltar para o dono, ele dorme em cima do objeto, e quando acorda, está no jardim de um palácio, onde mora a bela Flor da Noite. Abdullah é um jovem que sonhador, que quando acordado sonha que o filho sequestrado de um príncipe. Então, nesse belo jardim, ele acredita que seus sonhos viraram realidade. Ele se apaixona pela moça, mas ela é sequestrada por um djin, e o pai dela acha que Abdullah é o culpado. O jovem consegue fugir e se mete nas maiores confusões para resgatar Flor da Noite.

Continuando com os livros da série O castelo animado, esse livro é o segundo na minha lista de preferência da autora. Achei meio chata no início, mas depois do rapto de Flor da Noite, o ritmo muda e se torna mais intenso. As fugas loucas de Abdullah e as situações em que ele se mete são muito engraçadas. O final foi inesperado e por isso eu gostei. Recomendo.

6 de mar de 2019

Sandman (William Joyce) – DLL 2019


Título: Sandman
Autor: William Joyce
Mês: Março
Tema: Do gênero infantil ou juvenil
Editora Rocco, 44p.

Quando está nublado, o Homem da Lua precisa de ajuda para manter as crianças seguras e longes dos pesadelos. Sanderson Soneca morava dentro de uma estrela cadente, por onde viajava e de onde mandava um sonho para toda criança que fazia um pedido a sua estrela (por isso Sanderson vive sonhando). Breu, no entanto, continua querendo destruir todas as estrelas cadentes e todos os sonhos bons. Quando encontra Sanderson e o atinge, Sandy precisa se virar para proteger as crianças e seus sonhos.

O segundo livro da série Os guardiões da infância (o primeiro foi O homem da lua, já resenhado aqui) é igualmente fofo e encantador. Desde que eu comecei a ler essa série do William Joyce, me apaixonei pelas ilustrações e pela qualidade do livro em si. Essencialmente infantil, a história conta um pouquinho sobre Sanderson Soneca, o ajudante do Homem da Lua. Encantador e simples, este pequeno livro chama atenção pelo resgate do universo dos contos de fadas.

4 de mar de 2019

Anne de Avonlea (Lucy Maud Montgomery) – DLL 2019


Título: Anne de Avonlea
Autora: Lucy Maud Montgomery
Mês: Março
Tema: Escrito por uma mulher
Editora Pedrazul, 220p.

Anne já terminou seus estudos de nível médio e voltou para Green Gables, em grande parte devido a saúde de Marilla. Ela se torna professora da escola de Avonlea, assim como seus amigos se tornam professores em outros condados da ilha. Alguns de seus alunos são fáceis de lidar, enquanto outros nem tanto. Em casa, Anne tem que ajudar na criação de Dora e Davy, irmãos gêmeos cuja mãe faleceu e os deixou aos cuidados de Marilla. Á medida que o tempo vai passando, Anne vai conhecendo novas pessoas e vivendo novas histórias, e seu relacionamento com Gilbert começa a mudar também...

[...] — Parece-me, Anne, que você nunca vai superar a mania de colocar demais o coração nas coisas, e, depois, cair em desespero porque não as consegue.

Continuando a história de Anne, essa órfã fofa, a “Pollyanna canadense”. A jovem Anne agora está mais madura, mas não perdeu nem um pouco de sua essência, o que foi ótimo de ver. Como no primeiro livro, a história é rica e envolvente, o humor fica por conta de Davy e suas traquinagens. Gilbert aparece pouco, mas a cada aparição, me faz torcer mais um pouco para que ele conquiste Anne de vez. Um livro encantador, recomendo.

25 de fev de 2019

Lendo o Brasil: MARANHÃO - Dom Pedro I vampiro (Nazarethe Fonseca)

D. Pedro I, ou somente Pedro, está fugindo. Ele já foi um mortal, um príncipe, com todas as obrigações que sua posição exige e das quais ele não aguenta falar, principalmente aquela sobre casamento arranjado. Ele se torna amigo do conde Durval e de sua linda prima Lucille, e eles oferecem a Pedro todo o apoio que nunca conseguiu obter da família. O que o príncipe nem imagina é o preço que irá pagar por essa amizade. Nos dias atuais, ele conhece Eva, uma jovem aparentemente comum, cujos caminhos se cruzam com os de Pedro, pois ele está atrás da caixa misteriosa de Eva recebeu de um amigo. Eles se sentem atraídos um pelo outro, mas Pedro sabe que se envolver com ela a colocará em perigo, principalmente porque Lucille não sossegará até que ela tenha em mãos a caixa e também Pedro.


Dessa leva de livros que misturam clássicos e personagens históricos com criaturas sobrenaturais, este é o primeiro livro que leio. Já vi a adaptação de Orgulho e preconceito e zumbis, e até achei o filme legalzinho, mas não li o livro para não me decepcionar. Apesar de não curtir muito essa mistura, estava curiosa para ler esse porque pelo que eu vi, o livro de Nazareth Fonseca é o primeiro que mistura uma personalidade histórica com vampiros. 
O que eu mais gostei foi a mistura entre passado e presente, com D. Pedro vivendo no século XIX e nos dias atuais. Particularmente, acho que os autores utilizam esse lá e cá para manter o interesse na leitura, porque faz com que o leitor fique grudado na história, querendo saber como o acontecimento que irá determinar o enredo da história se desenvolveu (no caso, D. Pedro virando vampiro). Livro para entreter que cumpre o que promete.

Editora Planeta do Brasil.
336 páginas.

22 de fev de 2019

198 livros: ESLOVÊNIA – O ano em que sonhamos perigosamente (Slavoj Zizek)

Sinopse: Este livro se propõe a recuperar os principais eventos de 2011 e analisar tanto os sonhos emancipatórios (Primavera Árabe, Occupy Wall Street, levantes em Londres e Atenas) quanto aqueles destrutivos que motivaram a chacina de Anders Breivik na Noruega e outros movimentos racistas que eclodiram por toda a Europa. A questão que o livro coloca é - essas explosões têm a mesma raiz? Invocando a expressão persa 'war nam nihadan' - 'matar uma pessoa, enterrar o corpo e plantar flores sobre a cova para escondê-la' - para descrever o processo de neutralização crítica em marcha próprio da ideologia hegemônica, o esforço crítico de Zizek consiste em situar esses eventos no interior da totalidade do capitalismo global. Para tanto, ele articula uma contribuição ao conceito de mapeamento cognitivo, desenvolvido por Fredric Jameson, sem abrir mão de anedotas e análises da cultura pop.


Quando procurava livros deste país, este foi um dos que me deixaram com um pé atrás, apesar das minhas pesquisas iniciais e do tema do livro ser interessante, porque o autor é um filósofo e eu sempre tive dificuldade em ler livros do tipo. Ainda bem que me enganei. A leitura flui bem, são oito ensaios que exploram desde a situação do capitalistmo global até o anúncio de um “descontentamento em marcha”. Muito recomendado.

Editora Boitempo.
144 páginas.

20 de fev de 2019

Turma da Mônica Jovem Especial (Maurício de Sousa) – DC 2019


Título: Turma da Mônica Jovem Especial: o segredo do acampamento
Autor: Maurício de Sousa
Mês: Fevereiro
Tema: Um clássico brasileiro
Editora Panini, 97p.

Mônica e seus amigos estão de férias, e acabaram indo parar em um acampamento de verão. Alguns curtem a ideia, enquanto outros só sabem reclamar que não tem internet, que só tem mosquito, etc. Quando Cebola começa a manifestar interesse pela monitora bonita, Mônica fica se roendo de ciúmes, enquanto Xaveco tenta provar que os acontecimentos estranhos relacionados ao rio da cidade tem a ver com ETs... Quando os meninos começam a desaparecer, Mônica resolve ir atrás do mistério, e a verdadeira identidade de Iara é revelada.


Sobre clássico brasileiro, a primeira coisa que me veio a cabeça foram aqueles livros que no ensino médio se transformam em literatura obrigatória para o vestibular e que, consequentemente, eu não aguento. Minha segunda opção para esse tema, depois de Machado de Assis, era Monteiro Lobato, mas não encontrei nenhum dos títulos que queria de nenhum dos dois autores. Então, pensei na Turma da Mônica, que eu adoro desde sempre, e a Panini tem feito uns lançamentos muito bons da coleção. Apesar de curtinho, ele é muito bom, o colorido salta aos olhos (principalmente se vocês está acostumado as edições em preto e branco da revista) uma ótima aquisição para quem gosta dessa nova fase da turma mais famosa do Brasil.

18 de fev de 2019

Malévola (Serena Valentino) – DLS 2019


Título: Malévola: a rainha do mal
Autora: Serena Valentino
Mês: Fevereiro
Tema: Um livro de contos
Editora Universo dos Livros, 236p.

Malévola sempre foi diferente. Ela é uma fada-bruxa que sentiram, desde o seu nascimento, que ela seria um instrumento do mal. Mesmo vendo isso, Babá, diretora da escola de fadas, procurou lhe dar oportunidades que a levassem a um caminho diferente. Mesmo sendo a mais inteligente, aplicada e perpicaz, na escola de fadas Malévola era criticada e sofria preconceitos. No dia do teste para a formatura na escola das fadas, seus amados corvos viram alvo da maldade de algumas colegas implicantes e assim, sela o destino de Malévola.

- Sua mente é tão obtusamente de fada. Se algo não se encaixa na sua versão ideal de mundo, se a atrapalha de algum modo, então quer que isso saia da sua frente. Malévola é como uma orquídea negra em meio a um campo de peônias cor-de-rosa. Você é incapaz de deixar que a orquídea floresça. Você a removeria por não combinar perfeitamente.

Que livro! Os contos de fadas já são uma coisa tão imbuída na nossa mente, já crescemos com aquela ideia fixa de princesa boa, rainha ou bruxa má, que quando aparecem autores que resolvem encarar o desafio de repaginar histórias e personagens já fortemente estabelecidos no imaginário comum, acaba sendo um sopro de ar fresco. Toda essa série da Serena Valentino faz isso, mas Malévola: a rainha do mal, leva tudo a outro nível, muito mais complexo. Se o filme com a Angelina Jolie conseguiu redimir a personagem, este livro mostra que as suas motivações (diferentes das mostradas no filme, e prestem atenção, nem este livro é a novelização do filme, nem vice-versa, estou meramente comparando) foram muito mais fortes, e mesmo assim, durante todo o processo, você espera que ela realmente se redima. Depois de ler que eu percebi que o livro era o último lançado da série, vindo antes dele A mais bela de todas, que ainda não li, então não sei se algum acontecimento influencia a história de Malévola. Muito recomendado.

15 de fev de 2019

A coroa (Kiera Cass) – DLLC 2019


Título: A coroa
Autora: Kiera Cass
Mês: Fevereiro
Tema: Um livro com um triângulo amoroso
Editora Seguinte, 310p.

Eadlyn Schreave agora é uma princesa mais consciente. Seu pai está cansado e abatido, sua mãe está entre a vida e a morte, seu irmão fugiu e o povo a odeia. Sua Seleção, processo de escolha de seu futuro marido, ainda não terminou, mesmo com a atmosfera pesada no palácio. A jovem princesa tomou consciência de que sua postura arrogante lhe trouxe problemas, então ela resolve mudar. Enquanto seu pai está impossibilitado de governar devido a saúde da rainha, Eadlyn se torna regente, o que leva a Seleção a se reduzir a Elite. Ela recebe ajuda e as coisas começam a melhorar um pouco, até ela se descobrir apaixonada por um jovem que não estava na competição e alguém que ela julgava seu amigo resolver atacá-la pelas costas, criando um triângulo amoroso absurdo. Agora a princesa precisa tomar decisões importantes não somente para si mesma, mas para seu reino inteiro.

Um excelente final de série. Achei que A escolha seria o último livro dessa série, mas fiquei feliz que a autora resolveu mostrar a vida seguinte ao casamento de Maxon e America, com uma herdeira e seu próprio período de escolha de marido. O final me surpreendeu e me lembrou do que acontece no final de O diário da princesa. O final de A herdeira me deixou imaginando mil coisas (America morta, o príncipe enganado, uma guerra à vista), mas ainda bem que a história segue por caminhos bem diferentes. Vale a pena, livro recomendado.

13 de fev de 2019

Contos de A fúria e a aurora (Renée Ahdieh) – DLL 2019


Título: Contos de A fúria e aurora
Autora: Renée Ahdieh
Mês: Fevereiro
Tema: Com a capa roxa ou lilás
Editora Globo Alt, 104p.

Em A coroa e a flecha, Khalid conhece Sherazade, sua 72ª esposa. Depois das outras 71 primeiras mortas logo após o casamento, Khalid não consegue acreditar que uma jovem se ofereceria para morrer. Sua curiosidade vence sua objetividade e o menino-rei resolve desvendar esse mistério.
O espelho e o labirinto narra o ataque de Salim Ali el-Sharif a cidade Rey, de onde Khalid havia saído e onde ainda estão as pessoas com quem ele se importa e ama. Ao entrar na idade, ele acha que vai encontrar luta, mas tudo que vê é destruição. Apavorado por Sherazade, Khalid descobre que a moça está com Tariq. È nesse momento que ele deve escolher entre cumprir seu dever para com seu povo ou seguir seu coração.
Em A mariposa e a chama, Despina reflete do porque não ser a dama de companhia da nova califa, Ava, primeira esposa de Khalid. Em um momento de reflexão, ela encontra com o notório mulherengo Jalal, capitão da guarda real. Sem querer ceder ao flerte, Despina acaba chamando atenção de Jalal, que vê nela um belo desafio...

Esse livro proporciona uma leitura rápida e muito prazerosa. Eu pensei que os contos estariam na ordem que seguem separados, na sequência dos livros da série A fúria e a aurora, mas não. O primeiro e o último trazem histórias que acontecem antes do que mostra o primeiro livro, enquanto o segundo vem depois do primeiro livro: "A coroa e a flecha" é o de número 0.5; "O espelho e o labirinto" é o número 1,5; e "A mariposa e a chama" é o conto número 0,25. Foi interessante ler tudo fora de ordem assim, e fez eu perceber que terei que reler A fúria e a aurora para me lembrar de certas coisas, principalmente referente ao relacionamento de Khalid com Ava e também certos fatos sobre Despina. Um ebook muito pequeno que eu adorei e me deixou mais ansiosa para ler o segundo livro da série. Recomendo.

11 de fev de 2019

Star Wars Rogue One (Alessandro Ferrari) – DLL 201



Título: Star Wars Rogue One
Autor: Alessandro Ferrari
Mês: Fevereiro
Tema: Que o personagem principal seja mulher
Editora IDW, 80p.

Os cavaleiros jedi já foram praticamente extintos, a república virou império e a Estrela da Morte ainda não foi utilizada. Jyn Erson, filha de um ex-cientista imperial, é obrigada a se esconder quando seu pai é recrutado a força para terminar o projeto da Estrela da Morte, uma estação imperial capaz de destruir planetas. Treze anos depois, Galen Erso consegue enviar um piloto, Bodhi Rook, com uma mensagem para a Aliança Rebelde sobre a tal arma. Jyn, agora adulta, é libertada do cativeiro imperial pela Rebelião, que planeja usá-la para rastrear e matar seu pai. Ela se junta a Cassian Andor e seu droide imperial reprogramado K-2SO. Ao receber a mensagem enviada por seu pai, Jyn tenta convencer a rebelião a roubar os planos da arma que estão em Scarif, mas sem poder confirmar sua história, sua missão é negada. No entanto, Cassian junta um grupo de infiltrados, incluindo Rook, o guerreiro Chirrut e o mercenário Baze, e eles partem para Scarif, com a esperança de roubar os planos da Estrela da Morte e avisar a todos da falha na super arma.

Na época, eu não fiz questão de assistir esse filme no cinema, até porque não sabia o que esperar dessa nova leva de filmes de Star Wars. Eu sabia a premissa, mas não esperava muita coisa, então deixei para ver quando chegasse no Telecine. Vou falar, poucas vezes me arrependi tanto de não ir ver um filme no cinema. A história é ótima, tem uma excelente conexão com a trilogia original e os personagens são carismáticos ao ponto de você torcer para dar tudo certo para eles, mesmo você sabendo que não vai ser assim (quem viu o filme, entende o apelo da imagem abaixo):


A graphic novel é uma graça. Entre ela e a adaptação em quadrinhos, resolvi escolher ela justamente porque a adaptação mantem o rosto dos atores, enquanto a graphic novel mostra um novo traço, mesmo a história sendo a mesma. Ela é bem curtinha, traz no início uma pequena introdução sobre os personagens e os atores que os viveram, mostrando tudo que acontece no filme, diminuindo certas cenas, mas nada se perde. Recomendo, tanto essa adaptação quanto o filme.