28 de fev de 2018

O bicho-da-seda (Robert Galbraith) – BL 2018


Título: O bicho-da-seda
Autor: Robert Galbraith
Mês: Fevereiro
Tema: Assinado por um pseudônimo
Editora Rocco, 464p.

A esposa de um escritor, Leonora Quine, procura por Cormoran Strike para que ele encontre o marido desaparecido. Ela acha que é mais um dos sumiços temporários de Owen, mas a coisa muda de figura à medida que Strike se vê mais envolvido com a vida do escritor, seu trabalho e as pessoas que o rodeavam. Muita gente gostaria de ver Owen morto, porque recentemente seu novo livro retrata essas pessoas de forma maldosa, e se o romance fosse publicado, as vidas delas estariam arruinadas. Quando Owen é encontrado brutalmente assassinado com requintes de brutalidade, Strike tenta entender a motivação do assassino em um corrida contra o tempo, para evitar que inocentes paguem pelo crime que não cometeram.

Esse foi o segundo livro da série do detetive Cormoran Strike, e apesar da leitura me manter tão envolvida quanto a de O chamado do cuco, eu ainda prefiro este. A história é mais envolvente, o crime é mais complexo e o relacionamento de Strike com Robin também melhorou bastante, ainda assim prefiro o primeiro livro, talvez pelo fato de ter ficado confusa quanto as conexões entre os personagens do livro de Owen e as pessoas reais. Como sempre acontece nesses livros de suspense, eu não cheguei nem perto de descobrir o assassino rs Para o próximo livro, minha ansiedade está para ver como vai ser o relacionamento entre Strike e Robin. Recomendo.

Um amor de cinema (Victoria Van Tiem) – BL 2018


Título: Um amor de cinema
Autora: Victoria Van Tiem
Mês: Fevereiro
Tema: Gênero fora da sua zona de conforto
Editora Verus, 294p.

Kenzi Shaw é uma fanática por filmes. No mesmo dia em que ela vai visitar a família com o noivo para anunciar a novidade, sua cunhada anuncia que está grávida. Chateada pelo atenção ter sido novamente para Ren e as coisas que ela faz, Kenzi também tem que começar a lidar com a reaproximação de Shane Bennett, um ex-namorado por quem ela foi muito apaixonada mas que a traiu anos atrás. Agora ele é um cliente importante da empresa em que ela trabalha, sendo responsável (indiretamente) pela continuidade de seu emprego, e ela tem que lidar com o fato de que irá trabalhar diretamente com ele, tentando não demonstrar ao noivo que Shane ainda mexe com ela. O que Kensi nem imagina é que o reaparecimento de seu ex vai leva-la a descobrir muita coisa sobre sua família e repensar tudo que sabia sobre seu compromisso.

Não tem coisa para me dar mais raiva do que um livro que me decepcione. Eu tenho, viu, eu tento, mas chick lit é um estilo que não me agrada, não tem jeito. Esse livro começou tão bem, fui com tanta fé de que ia ser diferente dos outros... acabei ficando com raiva da protagonista e do fato dela simplesmente não conseguir se controlar toda vez que o ex se aproximava. Tudo bem, ela estava com a cabeça cheia de perguntas sobre essa reaproximação e com o fato da família dela não estar dando a mínima para o noivado dela, mas mesmo assim. Uma mulher jovem, trabalhadora e independente, que acaba ficando idiota por alguma questão sentimental que, segundo ela, está bem resolvida. Claro que nem sempre essa questão está bem resolvida, mas não é desculpa para as burrices e pelo modo como ela sempre faz o que o cara da história quer, justo o cara que a magoou e ela devia manter o mais longe possível. O que salvou a história foram as menções aos filmes, porque nem o final conseguiu me cativar. Se tivesse que dar estrelas, daria somente 2, pelos filmes e mais nada. Recomendo somente para quem gosta de chick lits.

26 de fev de 2018

Sweet sixtenn princess (Meg Cabot) – D12ML 2018


Título: Sweet sixteen princess
Autora: Meg Cabot
Mês: Fevereiro
Tema: Um autor aniversariante do mês
Editora Harper Teen, 96p.

O aniversário de 16 anos de Mia está chegando. Todo mundo quer comemorar, menos, é claro, a aniversariante. Considerando o fiasco que foi sua festa anterior (onde lily beijou um menino que não era seu namorado), além da loucura que foi o Natal em Genovia, Mia quer tranquilidade. Mas como sempre sua avó louca tem outros planos: Grandmère quer que Mia participe de um reality especial para comemorar seu aniversário. Os amigos de Mia adoraram a ideia, mas a princesa nem quer ouvir falar do assunto. O que ela quer é passar o dia com Michael. Será que dessa vez ela consegue fazer a avó desistir de seu plano louco?

Sempre é uma diversão imensa ler alguma história de Mia Thermopolis. Depois de ler o último livro da série sobre o casamento dela e de Michael, foi ótimo fazer essa volta no tempo e lembrar como a Mia era doida na sua época escola. Mais divertido ainda é voltar a ver as confusões em que sua avó a enfia simplesmente por prazer hahahaha Sempre adorei Grandmère, a histeria de Mia com os e planos loucos da avó são o que tem de melhor no livro. Adorei essa nostalgia. Leitura rápida e muito recomendada.

23 de fev de 2018

O casamento da princesa (Meg Cabot) – DLL 2018


Título: O casamento da princesa
Autora: Meg Cabot
Mês: Fevereiro
Tema: Um livro de um autor que nasceu em Fevereiro
Editora Galera Record, 448p.

Mia está prestes a fazer 26 anos, ainda namora com Michael e dirige um centro comunitário para jovens que ela mesma criou. Ela ainda escreve em um diário, mas desta vez mais por recomendação médica para aliviar o estresse pelo qual ela vem passando. Seu pai foi preso por dirigir irresponsavelmente, um stalker chamado “Demagogo real” a ameaça, a mídia vive especulando sobre seu relacionamento com Michael... Como se isso não fosse suficiente, Mia ainda tem que lidar com uma descoberta que sua avó fez: ela tem uma irmã de 12 anos que seu pai nunca reconheceu. Somando a isso os preparativos para seu casamento, que terão que ser mudados por uma notícia muito reveladora...

Depois de tanto tempo, voltar para a história de Mia e a turma dela foi, no mínimo, nostálgico. O diário da princesa foi a primeira série que eu ficava ligada para saber se já tinha sido lançado nos EUA, quando sairia a tradução, guardando dinheiro assim que lançasse. Foi a série que acompanhou minha adolescência antes de Harry Potter, então quando soube que Meg Cabot iria lançar um novo volume com o casamento de Mia e Michael, fiquei louca e comprei assim que lançou, apesar de só ler agora. Adorei. Confesso que no início, aquela loucura da Mia e o fato dela meter os pés pelas mãos sem se preocupar com as consequências me irritou, afinal neste livro ela já não é mais nenhuma adolescente louca. Mesmo assim, consegui me divertir e gostei muito no que diz respeito aos pais dela (coisa que eu nunca imaginei que fosse acontecer) e o final dela e do Michael também foi surpreendente. Continua sendo uma das minhas séries favoritas.

21 de fev de 2018

Azar no jogo, sorte no amor (Paula Pimenta) – DLL 2018


Título: Azar no jogo, sorte no amor
Autora: Paula Pimenta
Mês: Fevereiro
Tema: Um livro de autor brasileiro
Editora Nemo, 80p.

Sinopse: Neste segundo volume de Fazendo meu filme em quadrinhos você vai descobrir uma característica dos personagens que ainda não conhecia... o time do coração de cada um deles! Alan se mete em uma briga de torcida e os amigos acabam se envolvendo. Todo mundo termina tendo muito azar naquele jogo, mas será que isso significa que - como diz o ditado - terão mais sorte no amor? Descubra nessa nova aventura da Fani e sua turma.

Mais uma HQ dessa série que eu já aprendi a amar. A história é bem leve e divertida, como no primeiro volume, os acontecimentos desta HQ narram um algo somente mencionado no primeiro livro da série, focando apenas nos personagens em questão. O colorido destas HQs são muito lindos, coisa bem feita mesmo que atrai logo de cara. No fim do volume seguem os capítulos extras que deram origem aos quadrinhos. Agora estou é curiosa para ler o próximo volume.

19 de fev de 2018

Livro dos sith (Daniel Wallace) – DLS 2018


Título: Livro dos sith
Autor: Daniel Wallace
Mês: Fevereiro
Tema: Um livro que um amigo recomendou
Editora Bertrand Brasil, 159p.

O Livro dos Sith traz trechos variados de livros perdidos dos sith, que foram reunidos por Darth Sidious e mostram como o lado sombrio ganhou seguidores, quem foram os sith mais famosos, como funcionava a Regra de Dois, quando a existência de um Mestre e um só Aprendiz serviam para potencializar a força do mestre. Também falam da origem do título Darth.

O terceiro livro da série de guias sobre Star Wars, desta vez sobre os sith. Faz parte da série Legends, e como os outros dois que já li, é um excelente item para se ter na estante. Adorei a diagramação, como cada uma das partes em que ele se divide tem acabamento próprio, as páginas com letras diferentes, assinalando de quem são os textos e as observações (Luke, Palpatine, Mace, Yoda, dentre outros). O livro não é bem um manual de ensinamentos e sim um dossiê de fatos. Tiveram três partes que eu mais apreciei neste livro: a criação das bestas e feras criadas pelos sith, as anotações megalomaníacas de Palpatine e as observações de Luke sobre o lado negro. Um livro rápido de ler e bem informativo. Recomendadíssimo.

17 de fev de 2018

Pantera Negra (2018)


A história do Pantera Negra: depois dos eventos ocorridos em Capitão América: Guerra Civil, T'Challa, que agora é rei da fictícia nação de Wakanda, está em casa. Coroado, T’Challa começa a perceber que existem facções dentro de seu país que o desafiam. Dois adversários resolvem se unir para colocar Wakanda no mapa como a terra que realmente é (avançada tecnologicamente), não como a terra que os outros pensam, o novo rei que agora assumiu também o manto de Pantera Negra se junta a Everett Ross para evitar que seu mundo tranquilo e recluso seja tragado pela guerra.

Esse foi o primeiro filme do ano, e devo dizer que comecei bem. Como sempre quando se trata de filmes de super-heróis, eu não sei nada da história de antemão, então quando lançam o trailer eu nunca perco tempo avaliando os personagens ou o tema porque sei que não vai adiantar, preciso assistir o filme. A única coisa que eu presto atenção é o elenco, isso quando já conheço de outras produções. Então vou falar primeiro dele.


Nesse filme, quando vi que Lupita Nyong'o estaria nele, já gostei. Não sabia do personagem, nem fazia ideia de que seria o interesse amoroso do herói, e mesmo assim, quando ela apareceu junto com o Chadwick Boseman, eu já estava shippando loucamente. Gostei do fato dela não querer largar tudo que ela considerava importante, a sua missão na vida, para ser a rainha de T'Challa.


Aliás, mulher de opinião e caráter fortes é o que não falta nesse filme. Além de lutarem super bem, o elenco feminino é simplesmente maravilhoso, encarnando personagens igualmente atraentes. O fato do rei ter uma guarda real SÓ de mulheres e sua general ser a melhor lutadora é um atrativo singular. Danai Gurira como a general Okoye, a princesa Shuri (Letitia Wright), que foge do que se espera de uma princesa e ao invés disso, é expert em tecnologia e ciência, a rainha-mãe Ramonda (Angela Bassett, que é uma atriz linda e cujo olhar é capaz de fazer você se sentir totalmente paralisado e avaliado).
A fotografia, os cenários, e os figurinos do filme são outros fatores que enchem o olho. Particularmente, o colorido me atraiu muito, além do fato de ser tudo tomando forma no meio da natureza.


A temática como um todo desse filme foi bem mais construída do que qualquer outro dos filmes de super-heróis que já vi, incluindo nisso a história do vilão, Erik Killmonger (Michael B. Jordan), que foi o que deu contexto ao primeiro desafio como governante do novo rei. T'Challa não somente descobriu um dos maiores erros (talvez o mais grave) do pai, como rei e como figura familiar, mas também se viu tentando consertar esse erro. Killmonger foi um dos vilões mais bem feitos porque desde o início você sabe da história dele, de como ele se perdeu e acaba tendo algum tipo de compaixão por ele.


Esse é um tema que pode sim ser considerado bem batido (o novo rei que tem que se virar para ser um rei melhor do que o antecessor consertando os erros dele), mas da forma como foi construída, com essa temática familiar, deu um tom mais pessoal à história como um todo. Além de retomar a colocação que fazem no início do filme: de que Wakanda não é o país subdesenvolvido que todos pensam que é, mas sim uma terra que tem todos os requisitos para atuar em contexto mundial, e que se mantém no isolamento por questão de sobrevivência, considerando-se o caos em que o mundo inteiro se vê envolvido. 
De forma geral, esse filme é muito bom. Diverte como uma boa arte de entretenimento, mas também faz belas críticas a sociedade atual.

16 de fev de 2018

Box clubes de assinatura

Uma coisa que eu já tenho visto desde 2016 mas que só fui me interessar mesmo em 2017. Ainda não assinei nenhum por falta de cash, então quero ver se as finanças agora em 2018 melhoram para participar de algum ou pelo menos comprar algum caixa aleatória. 

Existem vários clubes de assinatura desse tipo por aí (já vi até alguns para pets), mas esses são os que mais me interessaram por razões óbvias. Para saber como cada um funciona, é só clicar abaixo:


 A primeira edição desse box foi com livros e brindes e itens relacionados a Animais fantásticos & onde habitam na época da estréia do filme. Cada coisa maravilhosa que só vendo.


Esse me deixou meio louca ano passado porquê no mês da estréia de Assassinato no Expresso do Oriente no cinema, eles enviaram uma porção de brindes relacionados. Uma maravilha só.


O diferencial desse é que os autores não são muito conhecidos e/ou as obras são verdadeiras raridades.


 Esse é novo, descobri recentemente. No site da Vitrine 42, eles vendem várias coisas bonitas relacionadas a filmes e livros e pelo que vi, alguns desses itens vem nas caixas.

Esse é de papelaria, e confesso que anda me tentando muito, principalmente com essa mania nova de usar planners:


Deixo aqui essas indicações. Existem vários formas de se associar ou comprar a caixa que lhe interessar e pelo que vi das opiniões, vale a pena.