26 de mar de 2018

Úrsula (Serena Valentino) – BL 2018


Título: Úrsula
Autora: Serena Valentino
Mês: Março
Tema: Apenas uma palavra no título
Editora Universo dos Livros, 172p.

Úrsula é filha de Poseidon e irmã de Tritão. Quando criança, seu irmã abandonou-a em uma comunidade humana por não aceitar a forma que ela teria. Úrsula é criada por um homem, que acaba se tornando seu pai adotivo, e o carinho que ambos sentem um pelo outro é genuíno. Quando ele impede que as pessoas a matem, o homem acaba pagando com a vida, deixando Úrsula sozinha. Desejosa de vingança pela morte do pai e com ódio pelo irmão tê-la abandonado, ela ataca os humanos que mataram seu pai e resolve atingir a filha mais nova de Tritão, a jovem sereia que havia se apaixonado por um humano. Para isso, ela se une a 3 outras bruxas para encontrar Circe e planejar o ataque a Ariel.

Confesso que fiquei meio perdida nesse livro, foi difícil me situar sobre os acontecimentos. Outra crítica é pelo fato de não focarem tanto, a partir de certo ponto do livro, a atenção sai de Úrsula para a babá da jovem princesa que foi enganada pela Fera, o que eu não curti.  Nem tenho como falar muita coisa, para não dar spoiler já que o livro é pequeno. Queria somente que a autora tivesse focado mais nos pensamentos de Úrsula.Apesar dessa falha, o livro é bem escrito. Vale a pena, como os outros dois da coleção.

23 de mar de 2018

Enquanto Bela dormia (Elizabeth Blackwell) – BL 2018


Título: Enquanto Bela dormia
Autora: Elizabeth Blackwell
Mês: Março
Tema: 1º livro publicado do autor
Editora Arqueiro, 364p.

A rainha Lenore não consegue engravidar. Depois de tentar de tudo, ela resolve ir em peregrinação com a tia do marido, o rei Ranolf, em busca de ajuda, apesar dos métodos de Milicent tenderem para o lado pagão... Quando a rainha engravida e Rosa nasce, Milicent quer a todo custo manter uma autoridade sobre mãe e filha. O rei não admite e expulsa a tia, que jura se vingar. No dia do batismo, Milicent aparece e amaldiçoa a criança e todos os presentes, apavorando todo mundo. Assim, Rosa cresce aprisionada entre as paredes do castelo. Mas a menina se rebela e começa a desejar tomar as próprias decisões. O rei cede as vontades da filha e, sem saber, acaba ajudando a mantê-la mais segura, pois a maldição de Milicent já começou a tomar forma e as primeiras vítimas estão sucumbindo. Cabe agora a Elise, dama de companhia da rainha, manter Rosa viva e bem.

Eu tenho que falar que esse livro foi bem diferente do que eu imaginava. Claro, eu esperava uma variação do conto da Bela Adormecida, mas a história de Elise e Rosa leva esse conto a um outro nível. A história foi totalmente repaginada e o final então, ah, esse é o melhor! Gostei muito do fato de ser uma história narrada como se fosse a memória de um personagem, no caso, Elise, a jovem humilde que chegou para trabalhar no palácio e se torna vital para a sobrevivência da princesa. Um livro surpreendente do início ao fim, que acaba deixando um gosto de quero mais. Recomendadíssimo.

21 de mar de 2018

O diabo veste Prada (Lauren Weisberger) – D12ML 2018


Título: O diabo veste Prada
Autora: Lauren Weisberger
Mês: Março
Tema: Romance/Época/Erótico/Chick-lit
Editora BestBolso, 392p.

Andrea Sachs é uma graduada em jornalismo que resolve procurar emprego em Nova York. O sonho dela é trabalhar para um jornal de renome, e depois de ter espalhado currículo por todos os lugares, acaba sendo chamada para trabalhar na Runway, uma conceituada revista de moda. A vaga é de assistente júnior da famosa (e odiada) editora Miranda Pristely. Apesar de não ser o que ela quer, Andrea aceita o trabalho, não só porque é um trabalho que milhões de garotas no mundo se matariam parar fazer, mas porque um ano trabalhando com Miranda lhe renderia uma experiência enriquecedora, além dos contatos que ela poderia fazer. O que Andrea logo descobre é que o trabalho é, na verdade, um pesadelo só, pois ela tem que viver e respirar para realizar as tarefas (na maioria das vezes impossíveis) que lhe são designadas e qualquer falha pode lhe custar não somente seu emprego mas qualquer chance de uma boa recomendação para futuros projetos escritos.

Eu já tinha lido umas resenhas por aí sobre este livro, tanto comparando com o filme, quanto somente sobre a história dele. Eu já tinha visto o filme e não pude evitar comparar enquanto lia, mesmo sabendo que a Miranda do livro é mais nojenta e enlouquecedora que a do filme (no filme, são poucas as vezes, mas mostram um lado mais humano da mulher que no livro simplesmente não existe). As referências ao mundo da moda são inesgotáveis, o que rende até mesmo boas informações sobre grifes e seus criadores para quem curte o assunto. A leitura é muito divertida, as tiradas sarcásticas sobre a vida de Andrea são ótimas e eu adorei. Não costumo gostar de chick-lit, mas esse livro eu pretendo manter na estante. Recomendado.

19 de mar de 2018

O ladrão de crianças (Brom) – DLL 2018


Título: O ladrão de crianças
Autor: Brom
Mês: Março
Tema: Um livro de um autor que nasceu em Março
Editora Benvirá, 432p.

Nick tem 14 anos e está fugindo de casa após ser marcado e ameaçado por um traficante de drogas para quem sua mãe alugou a casa onde eles também vivem com sua avó idosa. Ao ser capturado pelos comparsas de Markus, ele recebe a ajuda de um menino estranho chamado Peter, que o convida para viver na ilha de Avalon, onde seus problemas teriam fim. Ele aceita e após jurar solenemente que está indo por vontade própria, Peter o leva até a Névoa, o limite entre os mundos. Na ilha, Nick conhece os Diabos, um grupo de crianças que passavam por apertos no mundo real e quem Peter salvou e ofereceu a mesma coisa que a Nick (cada criança vem de uma época histórica diferente). À medida que os dias passam, o menino é treinado para passar nos testes que irão fazê-lo se tornar um dos Diabos, mas Nick começa a querer voltar para casa. Enquanto Nick se sente dividido entre sua antiga vida e a guerra que já está acontecendo para salvar a vida das criaturas mágicas, Peter convoca seus seguidores para defender a ilha e salvar a Dama do Lago, a protetora da ilha.

Eu nunca mais irei pensar no Peter Pan como aquele garotinho inocente que só quer saber de não crescer para viver aventuras infinitas na Terra do Nunca. NUNCA MAIS. Se bem que, pensando agora, depois de ler o epílogo do autor, eu não sei porque não fiquei com a mesma dúvida que ele com o trecho que ele especifica. Só posso afirmar que nunca vi a coisa por esse ângulo porque eu estava querendo tanto ler a história original, que me perdi nos aspectos que pudessem parecer sombrios.
Adorei, simplesmente adorei, a mistura do conto de Peter com o que eu pude identificar dos elementos dos mitos arturianos e das lendas celtas, além da mitologia finlandesa e irlandesa, mais especificamente Avalon, a ilha onde vive a grande bruxa Mordred, e seu encobrimento para protege-la e seus habitantes das invasões dos cristãos que queriam erradicar os cultos satânicos (que a Marion Zimmer Bradley identifica como o culto a deusa na sua série As brumas de Avalon).
A leitura foi uma das mais intensas que já fiz de modo geral, porque a história não deixa que se respire fundo para se recuperar para o que vem a seguir. É violência direto, a ação não para nunca, e a violência é bastante gráfica, seja no mundo real (Nova York, não Londres) ou na Ilha de Avalon (não a Terra do Nunca). Peter não é de longe aquele garotinho simpático que a Disney nos fez crescer adorando, e sim um menino vingativo que não parece se importar com as vidas que deixa pelo caminho ao perseguir seus objetivos. O final definitivamente foi inesperado, me deixou com a mesma sensação absurda de desespero e como se faltasse alguma coisa para concluir a história. Sério, não estou aceitando bem esse final até hoje. Recomendo se você quer uma ficção que vai fazer você se desesperar do início ao fim.

16 de mar de 2018

Endgame (James Frey e Nils Johnson-Shelton) – DLL 2018


Título: Endgame: a chave do céu
Autores: James Frey e Nils Johnson-Shelton
Mês: Março
Tema: Um livro de capa vermelha
Editora Intrínseca, 507p.

Jogadores morreram para conseguir a Chave da Terra, mas ainda existem nove lutanto por sua linhagem. Antes, eles lutavam entre si em busca da mesma coisa. Agora, depois de perdas emocionais e físicas, os jogadores não estão dispostos a parar por nada em busca da Chave do Céu. O jogo agora mudou, pois as pessoas tem conhecimento do que eles estão fazendo e conhecem seus rostos e nomes. Então, além de lutarem entre si pela posse da segunda chave, eles também tem que lidar com outros que conhecem o jogo e não estão dispostos a tornar as coisas mais fáceis. Além disso, ainda tem aqueles que querem parar o Endgame.

O segundo volume da série Endgame não deixa nada a dever para o primeiro. Como a disputa agora mudou, a ação não para e os conflitos emocionais não são menos impactantes (principalmente no que diz respeito ao que fazer com a Chave do Céu). Além do que, não dá para escolher para quem torcer (eu só consegui escolher para quem não torcer) Eu não posso falar muito além disso, porque se não vou acabar dando todos os spoilers que não devo dar, e um livro desse é para ser saboreado. A única coisa contra que tenho a dizer é que, depois que soube que a Intrínseca não vai mais publicar o último livro, isso me desestimulou um pouco. Como, depois de um livro desse, eu vou ficar sem saber quem ganha esse jogo? Ou se alguém consegue finalmente pará-lo? Pois é, me decepcionei com essa.

14 de mar de 2018

Sherlock (Steven Moffat, Mark Gatiss, Jay) – DLS 2018


Título: Sherlock: um estudo em rosa
Autores: Steven Moffat, Mark Gatiss, Jay
Mês: Março
Tema: Um livro de suspense policial
Editora Panini Comics, 216p.

Jon Watson está de volta em Londres, depois de um ferimento na perna impossibilitar seu serviço militar no Afeganistão. Um encontro com um antigo colega de residência o leva a conhecer Sherlock Holmes, o único detetive consultor do mundo, que está a procura de alguém para dividir um apartamento. Mesmo surpreso com as deduções certeiras do detetive sem nem se conhecerem, eles resolvem se encontrar no apartamento, que fica na Baker Street, 221B, onde recebem a visita de Lestrade, um policial atrás da ajuda de Sherlock para desvendar uma série de mortes que todos acreditam ser suicídios. Quando Sherlock convida John para participar da resolução do problema, começa uma das amizades e parcerias mais conhecidas e amadas da literatura.

O mangá é a adaptação do primeiro episódio da primeira temporada da série da BBC, Sherlock. Sendo assim, obviamente que iria retratar os personagens e acontecimentos como foram mostrados na TV, e eu só posso dizer que adorei, me diverti com os momentos irônicos como se estivesse vendo o episódio de novo. Os traços do artista são muito bons, alguns conseguiram ser razoavelmente fiéis (como Benedict Cumberbatch), enquanto outros foram claramente melhorados (como Mark Gatiss). De qualquer forma, eu amei o mangá e estou me controlando para não ler logo os outros.