7 de dez de 2016

Spirit animals 1 (Brandon Mull) – DL 2016


Título: Spirit animals 1: nascidos na selva
Autor: Brandon Mull
Mês: Dezembro
Tema: Com animal na capa
Editora Fundamento, 181p.

No reino de Erdas, todas as crianças, ao completarem 11 anos, participam de uma cerimônia onde elas tentam invocar um espírito animal. Não é uma certeza, mas toda criança precisa passar por esse ritual. É assim que Conor acaba chamando o lobo Briggan, Abeke chama Uraza, o leopardo, Meilin chama o panda Jhi, e Rollan chama Essix, o falcão. Acontece que esses não são espíritos animais quaiquer, são espíritos dos animais conhecidos como Derrotados, que se sacrificaram para salvar a humanidade me guerras de séculos passados. Agora, esses quatro jovens devem se unir e treinar para os Casacos Verdes, a misteriosa organização que protege Erdas. O mundo já não é mais seguro, existem suspeitas que o Devorador está de volta, assim, Conor, abeke, meilin e Rollan devem aprender a coexistir e a trabalhar com seus animais para conseguir os objetos mágicos que irão ajudá-los na luta contra o Devorador.

Me encantei com essa série de livros desde a primeira vez que vi a capa. Achei uma graça e resolvi comprar. Como as séries The 39 clues e Infinity Ring, cujos livros são escritos cada um por autores diferentes, o primeiro livro da série Spirit animals é escrito por Brandon Mull, enquanto o segundo é de autoria de Maggie Stiefvater e o terceiro, de Garth Nix e Sean Williamns. Essa temática de espírito animal me lembrou demais a trilogia Fronteiras do Universo, de Philip Pullman, onde ele usa também os animais como os demons (que eu chamo de almas) dos humanos. Foi mais um chamariz para a história, mas mesmo assim fiquei na dúvida se iria gostar. Li em um dia e me apaixonei. Além de adorar o tema, o jeito como o autor constrói o enredo prende a atenção do início ao fim do livro e faz você querer ler logo os livros seguintes (eu vou tentar jogar o jogo online (não sei quando, mas vou). Livro totalmente recomendado.

5 de dez de 2016

O leitor (Bernhard Schlink) – DL 2016


Título: O leitor
Autor: Bernhard Schlink
Mês: Dezembro
Tema: Clube de leitura da Oprah
Editora Record, 239p.

Alemanha pós Segunda Guerra Mundial. Michael Berg tem 15 anos quando conhece uma mulher enigmática e muito atraente, Hanna, vinte anos mais velha que ele. Eles acabam tendo um caso amoroso, marcado pela descoberta dos prazeres dos sexo e da leitura. O romance segue todo um ritual; eles se banham, Michael lê para Hanna Goethe, Dickens, dentre outros clássicos, e eles fazem amor. A mulher é um mistério para Michael e após um encontro particularmente inebriante, ela some e o jovem se convence de que jamais irá vê-la de novo. Anos depois, ela a encontra em um tribunal: ele como estudante de direito, ela como acusada de crimes de guerra. Enquanto ele acompanha o caso, lhe vêm a lembrança de seu antigo caso, e Michael finalmente descobre o segredo de Hanna. Segredo esse que ela prefere levar para o túmulo, mesmo que dele dependa sua absolvição.

Eu não dava absolutamente nada para esse livro, nada mesmo. Mais uma vez, engoli meu preconceito e me surpreendi com o enredo, com os personagens, com a forma de escrita do autor, e muito mais com a forma como ele coloca os dilemas de Michael sobre o romance, e de Hanna sobre o segredo que ela carrega. Achei a forma de escrita tão diferente da simplicidade com que estou acostumada que algumas vezes tive que reler o trecho para assimilar o significado. Não me canso de admirar o porquê de tantos livros sobre a Segunda Guerra serem tão atrativos ao público, sejam eles biografias (como O diário de Anne Frank), sejam romances (como O menino do pijama listrado). Livro excelente, completamente recomendado.

2 de dez de 2016

Eu fico loko (Christian Figueiredo de Caldas) – DL 2016


Título: Eu fico loko
Autor: Christian Figueiredo de Caldas
Mês: Dezembro
Tema: Recomendado por quem acabou de conhecer
Editora Novo Conceito, 160p.

Christian tem 20 anos, um vlog de sucesso no youtube e muitos seguidores. Seu jeito bem humorado de falar de todas as primeiras vezes de uma pessoa (beijo, transa, amor...), de sentimentos comuns nos adolescentes (como insegurança, medo, vergonha...), de viagens, famílias e amigos alcançou muitos jovens e o transformou no sucesso que é.

Mais um livro de um fenômeno do youtube. Nada contra, não conheço o vlog nem o Christian, mas não entendo como esse tipo de livro pode fazer sucesso. Sério, desculpe quem o conhece. Sim, eu vi que ele tem muitos e muitos e muitos seguidores, fui pesquisar, e a maior parte de seus leitores deve vir desse público (não sei, estou chutando), mas para quê lançar livro sobre assuntos que já se falou no vlog? Oportunismo, talvez? Ver nisso uma chance de ter uma grana a mais? Repito, não conheço o autor nem vi seus vídeos e nem tenho interesse, só falo isso para poder expressar minha escolha de livro para o tema e minhas impressões sobre a leitura. Sim, ele se expressa de uma maneira divertida e aberta, isso é bem legal. Só não entendo a necessidade de livro quando seu vídeo fala a mesma coisa. Enfim. Não é algo que vá reler, mas gostei.

25 de nov de 2016

The Inheritance almanac (Michael Macauley) - DL L&T 2016


Título: The Inheritance almanac
Autor: Michael Macauley
Mês: Novembro
Tema: Livro de capa azul
Editora Knopf Books for Young Reader, 224p.

Um guia do tipo A-Z sobre o mundo de fantasia criado por Christopher Paolini. Personagens, lugares, objetos, acontecimentos, criaturas, tudo está reunido e explicado neste manual que oferece informações que não se encontram nos livros da série.

Um guia muito bom. Desde que eu soube dele, fiquei curiosa, mas como nem sempre esses guias são realmente bons, só fiz questão de comprar porque o Ciclo da Herança foi uma das melhores séries que li. Ele ficou na estante muito tempo, fiquei esperando porque imaginei que alguma hora ele se encaixaria em algum desafio literário. Dito e feito. O ebook é muito bom porque eu descobri coisas que nunca soube, mesmo lendo e relendo os livros várias e várias vezes, como o nome do dragão de Galbatorix. Adorei e indico.

23 de nov de 2016

Espirais (Roderick Gordon e Brian Williams) – IDY 2016


Título: Espirais
Autores: Roderick Gordon e Brian Williams
Mês: Novembro
Tema: Uma palavra só no título
Editora Rocco Jovens Leitores, 447p.

Os Styx agora chegaram a superfície e estão tomando a Inglaterra como os parasitas destruidores que são. Enquanto Will, Chester e Elliot desfrutam de um breve período de descanso na casa do pai de Drake, os styx continuam propagando o caos e planejam não só a escravidão, mas a aniquilação dos humanos. Agora seus métodos incluem a Fase, quando as fêmeas de sua raça começam a se reproduzir. Apesar de desta vez Will contar com aliados muito bem “equipados”, como Sweeney, Danforth e Jiggs, um espião quase põe tudo a perder, mas Will e seus amigos partem a caça das fêmeas e seus hospedeiros.

Mais um livro cujo anterior faz um tempo considerável que eu li, então fiquei perdida na história e só consegui me situar bem depois que comecei. E novamente esse foi outro livro que li em um dia porque não aguentei até descobrir se os personagens iriam se dar bem ou não. Cada vez que eu começo um livro dessa série, me pego desejando detonar aquelas gêmeas Rebecca. Nunca pensei que fosse achar personagens femininas tão odiosas depois de Dolores Umbridge, de Harry Potter, mas me enganei. Uma das cenas mais legais, e também mais nojentas, descritas neste livro fala sobre as fêmeas Styx e sua reprodução. Considerando o jeito que este livro terminou, estou muito ansiosa para ler o último da série.

21 de nov de 2016

Coroa da meia-noite (Sarah J. Maas) – RC 2016


Título: Coroa da meia-noite
Autora: Sarah J. Maas
Mês: Novembro
Tema: Da lista de Top 100 fantasia
Editora Galera Record, 404p.

Celaena Sardothien é agora a assassina do rei. Voltando de mais uma de suas missões de extermínio de inimigos reais, ela recebe mais um nome, mas desta vez ela resolve proceder diferente, pois ela conhece o alvo: Archer Finn. Enquanto tenta entender como ele entrou na lista de inimigos do rei, ela usufrue de suas recompensas. Durante o tempo que o rei lhe dá para matar Archer, Celaena procura descobrir mais sobre a magia proibida no reino. Sua amizade com o capitão da guarda Westfall cresce, enquanto ela se distancia do príncipe Dorian. Sua amizade com a princesa Nehemia cresce, enquanto a assassina continua envolvida com os mistérios sobre o túmulo da rainha Elena. Uma noite fatal leva a jovem assassina a se envolver muito mais com a magia proibida em todo o reino e a descobrir, finalmente, sua origem.

Sempre fico meio na dúvida sobre continuações. São poucas as que conseguem prender a minha atenção desde o início, geralmente eu me arrasto na leitura até pegar o ritmo. Mas essa foi diferente. Fiquei presa ao livro do início ao fim, li em um dia. Acho que isso se deve muito ao fato de o tempo todo eu ficar esperando para descobrir se Celaena matava mesmo os inimigos do rei ou não (essa surpresa foi muito boa). Outra descoberta muito legal foi sobre a origem da assassina (sim, eu não fazia nenhuma idéia). Gostei bastante do modo com a autora usa o acontecimento-reviravolta de uma maneira que até o último momento, o leitor acha que vai acontecer de outro jeito, e de repente, muda tudo. Muito ansiosa pela continuação.

19 de nov de 2016

Animais fantásticos e onde habitam (2016)


New Scamander é um magizoologista que acaba de chegar a Nova York em um momento que não poderia ser menos atrativo, pois o mundo bruxo está ciente e sofrendo com os ataques do bruxo das trevas Grindewald e também tenta de todas as formas evitar a exposição do mundo bruxo aos trouxas. Atrás de uma espécie para seus estudos de documentação e registro de criaturas mágicas, Newt carrega uma maleta repleta de criaturas mágicas que acabam fugindo. Na tentativa de capturar os animais, ele acaba se metendo em muitas confusões que o levam a conhecer a ex-auror Tina Goldestein, o trouxa Jacob Kowalski e a irmã de Tina, Queenie Goldstein.

Esse filme é maravilhoso!!!!! Como descrever a emoção de ver o mundo de Harry Potter de novo nas telas depois de 5 anos, na verdade eu não sabia muito bem o que esperar desse filme, já que Newt Scamander era o único dos personagens que já era conhecido dos fãs. O resto foi uma completa surpresa. Eddie Redmayne nos apresenta um Newt do jeito que eu imaginei que seria quando começaram a falar do filme: engraçado, desastrado e com um jeito de herói despretensioso. A relação dele com as criaturas mágicas faz você querer ter um tronquilho grudado em você :) Erza Miller é outro que está perfeito, Dan Fogler dá o alívio cômico da história e Colin Farrell foi a grande surpresa.


O set do Congresso Mágico dos Estados Unidos da América, conhecido como MACUSA, é fantástico. A primeira visão do prédio é a mesma de quando entramos no Ministério da Magia pela primeira vez, simplesmente enche os olhos a riqueza de detalhes que utilizam para caracterizar o local como algo diferente do mundo trouxa (não mágico). A própria Nova York de 1926, ano em que a história se passa e que foi um cenário construído, consegue prender a atenção na tela. Nada decepciona nesse filme: cenários, trilha sonora, figurinos (apaixonada pelo da Queenie), tudo combina.


As duas melhores cenas ficam, é claro, para o final: uma delas é a cena do feitiço Revelio lançada por Newt e a outra é a cena do feitiço Obliviate. Surtei em uma (junto com o cinema inteiro) e chorei feito bebê na outra. De forma geral, ao ter como pano de fundo principal o resgate das criaturas mágicas envolvendo o medo dos trouxas e a necessidade de segredo dos bruxos, o filme abre margens para variadas discussões e temáticas, além de remeter a acontecimentos que nós, fãs antigos, sempre quisemos aprofundar sobre a história da magia de antes do menino Harry Potter ter sobrevivido ao lorde Voldemort. Não tem como não gostar, simplesmente.
Sai do cinema com a óbvia sensação de quero mais. Tô nem aí se vou chegar aos 40 ansiando por filmes de Harry Potter. Quero mesmo!

18 de nov de 2016

As mais 3 (Patrícia Barboza) – RC 2016


Título: As mais 3: andando nas nuvens
Autora: Patrícia Barboza
Mês: Novembro
Tema: Da lista de sugestões que não entraram para o desafio
Editora Verus, 153p.

Aninha agora é a nova repórter do jornal da escola. Além disso, outra mudança acontece em sua vida: na festa de aniversário da Susana, ela conhece Eduardo e gosta dele logo de cara. Tendo acabado um namoro recente, Aninha não quer apressar as coisas, mas ela percebe que Eduardo também gostou dela, e com a força das amigas, eles começam a se encontrar e a namorar. Em meio a tanta coisa boa acontecendo, ela precisa aprender a lidar com as críticas que viram com seu novo trabalho de repórter. E aprende que ninguém pode ter o controle de tudo o tempo todo.

Esse livro é, como os outros dois da série, muito legal. Dá para ler em uma tarde, ele é bem fininho. A leitura é fácil, divertida e me fez lembrar dos meus anos de colégio (eu só queria que tivessem sido legais assim rsrsrs) Não tenho muito o que falar, além do fato de que eu gostei bastante, porque das quatro garotas, desde o primeiro livro eu me identifiquei com a Aninha, que sempre foi a nerd do grupo. Muito recomendado.

16 de nov de 2016

Loki (Robert Rodi, Esad Ribic) – RC 2016


Título: Loki
Autores: Robert Rodi, Esad Ribic
Mês: Novembro
Tema: Sobre anti-herói
Editora Panini Books, 100p.

Deus da Trapaça. Deus do Mal. O enjeitado de Asgard. Por incontáveis milênios, Loki Laufeyson suportou o fardo de viver em segundo plano na augusta corte de Odin. Hoje, porém, as coisas mudaram. Loki tornou-se o senhor supremo dos deuses nórdicos, sobrepujando tanto seu pai adotivo quanto seu odioso meio-irmão, Thor, o Deus do Trovão. Agora que tem tudo com que sempre sonhou, ele pode finalmente ser feliz. Ou será que não? Uma inquietante saga de desejo e poder, criada pelo roteirista Robert Rodi e magistralmente ilustrada por Esad Ribic, Loki finalmente está de volta numa belíssima edição especial encadernada, reunindo num único volume de luxo a minissérie mais surpreendente dos últimos anos. (Sinopse: Skoob)

Foi a primeira vez que li uma HQ desse tipo. Me surpreendi com a linguagem, mas adorei a história. Desde o primeiro filme de Thor que eu fiquei fascinada por Loki. Na minha opinião, um dos mais complexos da mitologia nórdica. A HQ mostra de uma forma brilhante a disparidade de sentimentos dele por Thor e o final me deixou meio louca de vontade de ir atrás de mais. Recomendado.

14 de nov de 2016

A rainha vermelha (Victoria Aveyard) – RC 2016


Título: A rainha vermelha
Autora: Victoria Aveyard
Mês: Novembro
Tema: Do Goodreads Choice Awards 2015
Editora Seguinte, 419p.

Mare faz parte dos vermelhos, um dos grupos sociais de Nora. Desprivilegiados e fadados a servir os prateados, a elite. Ela não tem o talento da irmã, então ajuda a família como pode: roubando. Uma noite, um encontro com um estranho a leva a conseguir um emprego no palácio real, e no dia em que as moças prateadas competem para serem escolhidas a futura rainha, Mare descobre quem foi seu salvador e mais que isso, ela descobre sobre seus poderes. Na frente de todos. O rei e a rainha inventam rapidamente uma história para explicar o porquê de uma vermelha ter poderes que somente os prateados podem possuir. Assim, Mare se transforma na noiva do príncipe mais novo, Maven. O problema é que seu coração bate mais forte por Cal, o príncipe herdeiro, apesar de tudo... Enquanto isso, o rei fica cada vez mais apreensivo com os constantes ataques de rebeldes vermelhos. Em meio a intrigas e política, as ações de Mare a levam a um caminho sem volta, para ela e para o reino.

Eu li o conto Canção da rainha antes de ler este livro porque ele falava de um acontecimento chave para o início desta história, li para não ficar perdida, mas confesso que não funcionou muito bem. Só fui pegar o ritmo e me situar depois que Mare vai parar no meio da realeza, porque o tempo todo procurava uma brecha para a história do conto. Essa distopia é uma maravilha, apesar de que, como já é comum, a protagonista me irritou na maioria das vezes. Parece que é uma característica da maioria das distopias com heroínas femininas: elas fazem besteira, pagam por isso perdendo o controle da própria vida, o que leva a outras burradas que acabam custando muito mais. E isso me irrita de uma forma que eu nem sei explicar. Apesar disso, a história é bastante envolvente. Recomendado.