21 de fev. de 2020

198 livros: EGITO - A garota oculta (Shyima Hall)

Shyima é a sétima filha entre onze filhos. Sua família é pobre, seu pai é um homem violento e sua vida não é fácil. Mas tudo muda para pior quando, aos oito anos de idade, ela é vendida a família para quem sua irmã mais velha trabalha (em um quase sistema de escravidão) para pagar por um erro da irmã. Agora Shyima é empregada: acorda antes de todo mundo, só tem uma refeição por dia e dorme depois de todos. 
Um tempo depois, a família a quem a menina serve se muda para os EUA, mas as coisas melhoram um pouco porque o sistema é outro e a família precisa ter cuidado para que não descubram que Shyima é uma escrava. Em 2002, a vida de Shyima muda de vez quando a polícia aparece para tirá-la da casa depois de uma denúncia, e a partir daí a menina consegue se libertar de seu passado doloroso.


Eu não tinha muita experiência de vida, mas sabia que famílias deveriam permanecer unidas. Pais deveriam cuidar e dar apoio a seus filhos, não vendê-los a estranhos.

Essa história é muito pesada. Quando li a sinopse, imaginei que não seria uma leitura fácil ou divertida, mas o que se encontra nele é muito forte. A vida de pobreza no Egito, o pai violento, depois a venda para a família que se muda e o fato de que ela tem que aguentar todo tipo de humilhação, até mesmo quando já está nos EUA (foi nessa parte que achei que tudo mudaria bem rápido). Foi bom ver que ela conseguiu seguir adiante, deixar para trás as experiências dolorosas da vida. O fato de Shyima falar sobre escravidão no mundo de forma tão pungente torna toda a leitura, de certa forma, mas atrativa porque você percebe o quando isso ainda é muito real. Esta foi uma daquelas biografias que encontrei por sorte e que marcaram muito. Completamente recomendado.

Editora V&R.
248 páginas.

19 de fev. de 2020

O livro do feminismo – DLS 2020


Título: O livro do feminismo
Mês: Fevereiro
Tema: Um livro polêmico
Editora Globo, 352p.

Sinopse: Nasce-se mulher ou torna-se uma? Homens podem ser feministas? Ainda precisamos do feminismo no século XXI? Este livro responde questões como essas e outras ao explorar a luta por igualdade ao longo da história. Escrito em linguagem clara e recheado de imagens, infográficos e boxes que vão direto ao ponto e explicam as teorias mais complexas, O livro do feminismo examina as ideias inovadoras e ações pioneiras que serviram de modelo para esse movimento tão fascinante e diverso. Quer você seja uma feminista desde sempre ou esteja buscando informações sobre o movimento, aqui você vai encontrar muito conteúdo para se inspirar e se engajar.

Desde que começaram a lançar em português os livros da série “As grandes idéias de todos os tempos”, eu passei a pesquisar sobre a coleção lá fora. Até entrei em contato com a editora para saber sobre os livros de Sherlock Holmes, Shakespeare, Arte e Star Trek (eu quero muito que lancem um sobre Star Wars) e do Feminismo. Até tinha conseguido em inglês, mas ficou guardado na estante, então quando vi que seria lançado em português, comemorei. O livro traz uma cronologia muito boa que ajuda a entender o movimento feminista desde o início, assim como as suas quatro ondas e suas variações. Questões polêmicas como aborto e controle de natalidade são muito bem abordadas e até me ajudaram a tirar algumas dúvidas que eu tinha (honestamente, foi a parte que mais gostei do livro). Completamente recomendado.

17 de fev. de 2020

A biblioteca desaparecida (Luciano Canfora) – DLL 2020


Título: A biblioteca desaparecida: histórias da biblioteca de Alexandria
Autor: Luciano Canfora
Mês: Fevereiro
Tema: Um livro de autor italiano
Editora Companhia das Letras, 200p.

Sinopse: Ptolomeu Filadelfo quer reunir todos os livros do mundo; o califa Omar pretende queimá-los todos, salvo o Corão. Entre esses dois sonhos, nasceu e foi destruída a monumental biblioteca de Alexandria, cidade que por mais de mil anos serviu de capitalcultural do Ocidente. Para narrar a história dessa imensa coleção de livros, Luciano Canfora retoma uma antiga técnica dos bibliotecários de Ptolomeu: a montagem e a reescritura das fontes, fundidas numa prosa aparentemente romanceada, mas na realidade baseada, quase frase por frase, em textos antigos. A história da maior biblioteca do mundo se confunde assim com a história dos livros que acumulou e dos livros que a descreveram, como uma última crônica de um erudito bibliotecário de Alexandria.

Fazia tempo que eu queria ler esse livro. Na minha época de faculdade, encontrei uma edição da biblioteca e sempre pegava, mas acabava deixando de lado por causa de outras leituras e dos trabalhos. Talvez ficasse empacado na lista de leitura por mais tempo, se eu não descobrisse (na sorte) que o autor é italiano. Gostei da leitura, apesar de ter sido um pouco complicado se acostumar com a narrativa, porque esse parece ser um desses livros que se usa na hora de escrever artigos e textos acadêmicos. Não é um romance histórico, fica mais para o lado da biografia, mas achei ele bem técnico, apesar do autor falar muito dos maiores momentos do Egito que marcaram a existência da biblioteca. Livro indicado.

14 de fev. de 2020

Vitória (Daisy Goodwin) – DLL 2020


Título: Vitória: a jovem rainha
Autora: Daisy Goodwin
Mês: Fevereiro
Tema: Um livro romance de época
Editora HarperCollins, 398p.

Aos 18 anos, por falta de herdeiros masculinos, a jovem Vitória se torna rainha do império britânico. Sem experiência, tendo passado toda sua vida protegida por sua mãe e sem as noções mais básicas de como governar, agora deve mostrar a todos, principalmente ao seu tio e próximo na linhagem a herdar o trono Duque de Cumberland, que é uma rainha de fato e não uma marionete. Ela encontra um professor e amigo em Lorde Melbourne, mas a proximidade entre os dois incomoda todo mundo, e assim começam a planejar o casamento da jovem com seu primo Alberto, com quem ela não tem afinidade nenhuma. Ou assim Vitória pensava, até encontrar Alberto depois de tantos anos...

Uma pessoa poderia ser uma monarca e uma mulher?

Eu só fui atrás desse livro porque vi que era a novelização da primeira temporada da série, e de fato, é mesmo. A autora, que é a roteirista da série Vitória, da PBS, entrega mais detalhes no livro (foi muito bom estar “dentro” da cabeça de Lorde M. e ver como ele se sentia perto da jovem rainha, na série é muito implícito o que ele sente, e eu sei que deve ter sido dessa forma que os produtores pretenderam construir esse relacionamento entre os personagens, mas foi bom ver a partir da perspectiva dele).

12 de fev. de 2020

Spirit animals: tales of the Great Beats (Brandon Mull, Nick Eliopulos, Billy Merrell, Gavin Brown, Emily Seife) – DLL 2020


Título: Spirit animals: tales of the Great Beats
Autores: Brandon Mull, Nick Eliopulos, Billy Merrell, Gavin Brown, Emily Seife
Mês: Fevereiro
Tema: Um livro de fantasia
Editora Scholastic, 186p.

Feliandor, o rei menino de Steriol, quer ser um bom rei como seu pai, mas parece que seu povo não está contente com ele. Em uma de suas audiências com as pessoas que trazem problemas para serem resolvidos com o rei, ele encontra uma mulher estranha, que lhe entrega um frasco com Bile e lhe dá certas indicações do que fazer se quiser mudar as coisas para si mesmo. Ao tomar o líquido, ele toma para sim um espírito animal, na forma de um crocodilo, e se torna o Rei Réptil.
O espírito animal de Yin é um estorninho, Luan. Quando o irmão de Yin, Yu, fica muito doente, sua família vai atrás da curandeira, mas o que ela oferece está além das possibilidades, pois a cura da doença de Yu pode estar nas mãos da Healthbringer, o Grande Panda, que vive no Grande Labirinto de Bambu. Mas o Grande Panda não é visto há muito tempo, além do perigo que é entrar no labirinto. Mas Yin está decidida, e em troca da espada de sua família, Yin consegue com a curandeira um tipo de tônico, mas a situação de seu irmão não melhora. Os dois resolvem ir até o labirinto e acabam descobrindo um grupo de que quer capturar Jhin, o Grande Panda.
Uraza é um leopardo, umas das Grandes Feras. Em uma de suas caçadas, ele encontra um grupo de invasores e ataca, exigindo que saiam de seu território. Por uma semana, ela não vê mais ninguém, mas depois descobre um grupo de homens, maior que o anterior, que quer capturá-la para roubar algo dela. Em sua arrogância, ela dispensa ajuda do garoto dos Vendani que foi alertá-la, e acaba sendo capturada. O garoto, Tembo, ajuda a libertar Uraza, e ela descobre que os invasores sabem onde ela esconde seu talismã, e assim eles partem em busca do precioso objeto.
Katalin e seu espírito animal, uma marta chamada Tero. Ela faz parte do grupo de rebeldes que luta contra os Conquistadores, e está a procura de Briggan, uma das grandes feras, para pedir ajuda em sua luta. Ela consegue escapar de seus perseguidores pelo rio, recebe ajuda e continua em sua busca por Briggan, mesmo recebendo constantes mensagens do grande lobo para não se aproximar. Ela acaba descobrindo que seus perseguidores capturaram um dos lobos que fazem parte do grupo de Briggan e ela o liberta. É quando ela consegue finalmente ficar cara a cara com a grande fera.
Essix é uma das grandes feras ligadas a humanos. Ela se reúne com outras grandes bestas para decidir o que fazer. Todos concordam, e assim, Essix, Uraza, Briggan, Jhin e vários outros conseguem salvar Erdas. Mas a história não acabou aqui....

Eu adorei esse livro. Na sequência da série Spirit animals, esse é o primeiro extra, que fala das grandes bestas que, no primeiro livro, se ligaram as crianças protagonistas da história. Foi interessante ver como tudo começou e de que forma eles se juntaram para lutar ao lado dos humanos. Eu queria muito que a editora continuasse a publicar os livros dessa série, inclusive os extras (eu li este em inglês), mas não sei se vai acontecer. Indicado.