29 de dez de 2017

Letícia e a arca dos sete poderes (Alexandre Esteréiro Nascimento) – 52 Weeks Project 2017


Título: Letícia e a arca dos sete poderes
Autor: Alexandre Esteréiro Nascimento
Mês: Dezembro
Editora Mondeglieri, 386p.

O que seria um dia comum de aula acaba em uma suspensão para Letícia graças a Angus, que reoslveu aparecer para uma visita. Na mansão da Sra. Ventríglio, ela e Laila se reencontram e leem uma carta de Nick, o amigo que ficou no reino de Naranda. A carta, de despedida, acaba levando as duas a perceberem que o ciclo temporal foi alterado, assim Nick ainda poderia ser salvo de morrer na guerra entre Atlântida e Naranda. Letícia acaba se encontrando com Lungore e aprende muitas coisas com ele, sobre magia, sobre o cajado de Nóe e sobre a Arca dos sete poderes, o lugar onde estão escondidos os outros medalhões do feiticeiro. Letícia e seus amigos embarcam em mais uma aventura perigosa e muito louca para encontrar os medalhões, e ganham novos aliados na luta contra os Necrolas, um conde vampiro e o temível Galankor.

Mais um livro da série Letícia. Confesso que esse terceiro volume não prendeu a minha atenção como os outros dois, mas eu gostei. Dessa vez, Letícia embarca em uma viagem para a famosa Arca de Noé. A descoberta da arca foi a melhor parte da leitura, no início a história se arrasta um pouco, mas depois melhora. Quero muito ler o último livro da série.

22 de dez de 2017

A caverna das maravilhas (Matthew J. Kirby) – 52 Weeks Project 2017


Título: A caverna das maravilhas
Autor: Matthew J. Kirby
Mês: Dezembro
Editora Seguinte, 240p.

Dak, Sera e Riq estão agora em Bagdá, 1258, para corrigir mais uma Fratura. O problema é que eles não sabem quem é o Guardião da História dessa vez, enquanto os Guardiões do Tempo ainda estão atrás deles. Além disso, a cidade está a poucos dias de ser atacada pelos mongóis. O cerco é inevitável, e com ele, a destruição da cidade e da biblioteca, chamada Casa da Sabedoria, onde se encontram os manuscritos de Aristóteles que a SQ quer muito destruir. Mais uma vez, os três jovens alteram o rumo da história para tentar salvar não somente a cidade e seus habitantes quando a si mesmos.

Mais um livro da série Infinity Ring que eu leio saboreando cada uma das páginas. A leitura flui muito rápido porque a ação não para, você fica com roendo os dedos para ver em que confusões eles vão se meter. Dessa vez, eu fiquei mais surpresa devido ao fato de não se apontar desde o início quem seria o Guardião da História, ou seja, aquele olhar que se teve ao longo dos livros passados de que “qualquer um podia ser aliado, e qualquer um pode ser inimigo” aumentou mil vezes. Como sempre, eu me enganei sobre os inimigos, mas acertei quem seriam os amigos. E novamente, como sempre, livro completamente recomendado.

20 de dez de 2017

Contos de Natal Disney – IDY 2017


Título: Contos de Natal Disney
Mês: Dezembro
Tema: Conto de Natal
Editora Abril, 405p.

Sinopse: De 1945 a 1963, Carl Barks, um dos melhores artistas Disney que o século 20 conheceu, produziu 35 histórias em quadrinhos natalinas do Pato Donald e família.Pela primeira vez, todas essas aventuras, sem exceção, foram agrupadas em um unico volume, resultando nesta obra-prima feita para voce apreciar todos os natais - passados, presente e futuros - de sua vida.

Eu andava de olho nessa nova coleção da Disney desde o primeiro lançamento. Alguns dos livros são bem bacanas, outros não muito (mas acho que isso depende do gosto, por exemplo, eu não sou muito chegada no Mickey, prefiro o Donald). De qualquer forma, se os outros livros da coleção forem iguais a esse, então são todos ótimos. A diagramação é muito bem feita, além do que o livro também trouxe várias informações sobre Carl Barks e seu processo criativo. Adorei que resolveram incluir nesse volume a mesma história que eu tenho em um livro de outra coleção da Abril. O colorido, as informações do artista, as próprias histórias, tudo isso faz desse livro uma excelente publicação e uma ótima aquisição para a estante. Um dos melhores livro que li esse ano, completamente recomendado.

18 de dez de 2017

360 dias de sucesso (Thalita Rebouças) – IDY 2017


Título: 360 dias de sucesso
Autora: Thalita Rebouças
Mês: Dezembro
Tema: Livro de música
Editora Rocco Jovens Leitores, 304p.

Pedro e Theo são amigos de infância que adoram música. Um dia, depois de ouvi-los tocando, o pai de Pedro, seu Paulão, sugere que eles montem uma banda. É quando Pá, um garoto da escola, entra como baixista e Gualter, como bateirista. A primeira apresentação da banda é num churrasco organizado por seu Paulão, e faz os meninos se darem conta de que são bons. Babi, namorada de Pedro, mostra um vídeo de uma tecladista muito talentosa chamada Mari, que também se junta ao grupo. Banda formada, o primeiro show acontece no sarau na escola de Gualter, que compõe o sucesso da banda. Novas oportunidades surgem, eles ganham fã-clube e clipe, e começam as discussões. Apesar disso, a banda sai em turnê e o sucesso começa a mexer com a cabeça de alguns integrantes, levando a escolhas que podem prejudicar o grupo e levar ao fim da banda. 

Como todos os livros da Thalita Rebouças, foi uma delícia de ler essa história. O fato de ser narrado por um dos integrantes da banda foi o que eu mais gostei, quando peguei, achei que o narrador seria observador. A forma como são descritas as dificuldades e o deslumbramento que veio junto com o sucesso prendem a atenção, principalmente porque se percebe que o objetivo do grupo era tocar por prazer, não por negócio. Indicado.

15 de dez de 2017

Perdidos na Babilônia (Peter Lerangis) – 52 Weeks Project 2017


Título: Perdidos na Babilônia
Autor: Peter Lerangis
Mês: Dezembro
Editora Verus, 332p.

Jack, Cass e Aly voltaram da Grécia ainda sem saber o que pensar sobre o desaparecimento de Marcos. Eles acabam encontrando o amigo no Iraque (onde nos tempos antigos existiram os famosos Jardins suspensos da Babilônia), e aceitam a explicação para o sumiço. Agora que Marcos encontrou um tipo de portal que leva ao próximo loculi, os quatro resolvem partir em mais uma busca, e acabam indo parar na antiga Babilônia, que parece estar parada no tempo. Eles retornam e contam ao professor Bhegad sobre a estranheza da cidade e refletem sobre a questão temporal. De volta na Babilônia, eles querem pegar o loculi tentando evitar a destruição da cidade, mas uma traição de quem menos se esperava coloca tudo a perder. Nas mãos dos inimigos, Jack, Cass e Aly não sabem em quem mais acreditar, só querem uma coisa: tirar os dois loculi que já recuperaram das pessoas que não se importam em matar para conseguir o que querem. E no meio do caminho, Jack acaba fazendo uma descoberta inacreditável sobre seu passado...

Mais uma sequência que eu começo a ler já pensando que no futuro irei me desfazer. Geralmente isso acontece devido a demora com que a continuação da série leva para ser lançada no Brasil. A história é muito boa, cheia de ação do início ao fim, melhor até do que o primeiro livro. Depois desse final (que eu já estava suspeitando), fiquei completamente maluca para ter o terceiro livro logo nas minhas mãos e ver que reviravolta a revelação final vai ter na vida de Jack. Gostei da surpresa sobre Marcos, e como o autor me fez esquecer das minhas suspeitas sobre ele desde o início do livro, até chegar nos capítulos finais e descobrir que eu estava certa, adoro quando os autores despistam dessa forma.

13 de dez de 2017

Os arquivos perdidos (Pittacus Lore) – IDY 2017


Título: Os arquivos perdidos: guarda
Autor: Pittacus Lore
Mês: Dezembro
Tema: Para ler em um dia
Editora Intrínseca, 83p.

Lexa é uma hacker que veio parar na Terra fugindo da destruição de Lórien. Seus amigos foram mortos, seu esconderijo foi descoberto, e assim a moça passa a viver se escondendo. Como um gênio da informática, ela consegue hackear contas para ter dinheiro para sobreviver, ao mesmo tempo em que se cerca de vários aparatos de segurança para não ser pega de surpresa. Com uma vontade de ferro de se vingar pelos amigos e pelo seu planeta, Lexa busca a nave que levou a Garde para a Terra e a descobre em uma base de segurança máxima, em Dulce, Novo México. A partir daí, ela faz de tudo para recuperar a nave, enquanto descobre um aliado de Pittacus Lore.

O décimo segundo livro da mini-série Os arquivos perdidos, tão envolvente quanto os outros. Achei ele interessante porque mostra a perspectiva de quem era a tal pessoa envolvida na divulgação “por baixo dos panos” dos perigos que os mogs representam. Na verdade, isso ficou claro no ebook anterior, mas agora se viu mais sobre o que Lexa andou fazendo durante os anos em que a Garde estava se criando separada pela Terra. Muito bom, como sempre chegando ao final sem querer que acabasse a história.

11 de dez de 2017

Sherlock Holmes vol. 1 (Arthur Conan Doyle) – DL L&T 2017


Título: Sherlock Holmes vol. 1
Autor: Arthur Conan Doyle
Mês: Dezembro
Tema: Livre
Editora HarperCollins, 240p.

No romance “Um estudo em vermelho” (1887) temos o início da amizade entre o (único) detetive consultor do mundo, Sherlock Holmes, e John Watson, um médico do exército que volta para casa ferido e se encontra sem rumo na vida. Eles começam a dividir um apartamento e John começa a acompanhar Sherlock em suas investigações no auxílio a polícia de Londres do final do século XIX. “O sinal dos quatro”, outro romance (1890) e a coletânea de contos “As Aventuras de Sherlock Holmes” (1892) continuam a narrar os vários casos criminosos e misteriosos em que Sherlock e Watson se envolvem.

A primeira coisa a dizer sobre esse livro é que ele deve ser lido pacientemente e saboreado devidamente, não somente porque o gênio do detetive é incomparável, mas também porque cada uma das histórias, dos relatos e dos casos são simplesmente fascinantes e prendem a atenção. Além disso, a diagramação do livro é um primor. Fazia muito tempo que eu estava louca atrás de uma coleção que prestasse dos livros sobre Sherlock Holmes e nunca achava nenhuma, e quando encontrei essa, ainda demorei para conseguir comprar, então quando finalmente tive em mãos, li com toda a paciência e calma do mundo. A única coisa que me decepcionou foi o fato do conto “Escândalo na Boêmia”, no qual o MELHOR EPISÓDIO da série Sherlock da BBC foi baseado (aquela Irene Adler, QUE-MULHER!) ser muito curto, eu estava esperando uma longa história como no caso de “Um estudo em vermelho”, então fiquei chateada. Mas o livro em si é uma maravilha. Totalmente recomendado.

8 de dez de 2017

Sereia negra (Vinícius Grossos) – 52 Weeks Project 2017


Título: Sereia negra
Autor: Vinícius Grossos
Mês: Dezembro
Editora Selo Jovem, 199p.

A vida de Inês nunca foi fácil. Sua mãe morreu no seu parto, seu pai abandonou sua mãe quando ela estava grávida, ela nunca teve amigos nem namorados. No dia do seu aniversário de 15 anos, toda a sua revolta vem a tona. Uma tempestade estranha e repentina, sua vida muda de cabeça para baixo. Inês é tragada pelo mar e quando toma conta de si, descobre que é uma sereia, aliás, muito mais do que isso, Inês é uma sereia negra, uma lenda viva para o povo que habita o fundo do oceano. Jogada sem entender nada, num mundo que ela supostamente deve salvar, de inimigos que ela desconhece, a jovem se vê as voltas com tanto novo conhecimento, e acaba descobrindo a verdadeira história de seus pais.

Desde que achei por acaso este livro no skoob, fiz de tudo para consegui-lo. Não achava onde vendia, mas não demorou eu consegui em uma troca. Sabe quando você pega um livro cheia de expectativa, e até o meio da história ele consegue te satisfazer, mas depois fica tudo muito cansativo? Foi isso que senti quando terminei a leitura. Não que a história seja ruim, longe disso, ela até consegue prender a atenção, mas tem um momento em que a personagem principal se torna dramática demais. Algumas descrições de momentos e sentimentos também estavam um pouco repetitivas, e isso me cansou muito. De qualquer forma, eu gostei dessa nova visão apresentada sobre as sereias que o autor fez, misturando lendas gregas com o folclore brasileiro, além da forma como ele fala sobre magia. Recomendo para quem gosta do tema.

6 de dez de 2017

Assassinato no Expresso do Oriente (2017)

A história é essa: Hercule Poirot é um famoso detetive que está decidido a ter uns dias de descanso do seu trabalho. Ele embarca no Expresso do Oriente, mas uma tempestade causa o descarrilamento do trem, forçando o expresso a parar no meio das montanhas. Poirot havia sido abordado por um dos passageiros pedindo proteção. O homem dizia estar correndo risco de morte devido ao seu trabalho, e na noite da tempestade o homem é assassinado, transformando todos no trem em suspeitos. Assim, Poirot acaba se envolvendo para descobrir a causa do assassinato e quem foi o autor do crime.


Sabem aquele tipo de livro que é bem adaptado? Poucas vezes tive chance de ver uma adaptação tão bem feita, onde cortam detalhes não tão necessários e acabam adicionando outros que servem para introduzir determinado personagem ou somente para dramatizar mais a história, de qualquer forma ficando excelente.


Eu não sou do tipo que fica ligada nos nomes dos atores, principalmente quando estou conhecendo personagens pela primeira vez, então sim, eu sabia que o filme traria excelentes atores e atrizes, mas só vendo o elenco todo junto pela primeira vez tem-se o impacto do peso daquele grupo (considerando mesmo os atores mais novos e/ou não tão conhecidos) e já fica na torcida para que o filme não seja ruim, afinal, toda adaptação corre riscos.


Logo no início o filme já traz uma diferença em relação ao livro, que serve para dar uma pequena amostra da capacidade de dedução do personagem principal, Hercule Poirot. Aliás, Kenneth Branagh DO-MI-NA como o detetive. Simplesmente domina. Os outros dois que chamam atenção em seus papéis são Johnny Depp e Michelle Pfeiffer (a cena entre os dois pode ser meio banal, mesmo que você tenha lido o livro, mas também é fantástica e é nesse momento que vemos logo de cara o tom da história).



Poirot questionando a moralidade da justiça com as próprias mãos faz o detetive tirar uma lição da resolução do caso, e eu não me lembro se essas considerações estão no livro, mas de qualquer forma foi uma cena muito interessante e bem feita. As locações e paisagens são lindas, como as montanhas por onde o trem passa na Nova Zelândia:


Ou esse prédio inspirado na atual estação ferroviária Sirkeci, o antigo terminal do Expresso do Oriente em Istambul, na Turquia:


A trilha sonora é maravilhosa, composta por Patrick Doyle, só faz complementar a qualidade da adaptação, com certeza uma das melhores já feitas.

1 de dez de 2017

Liberte meu coração (Meg Cabot) – 52 Weeks Project 2017


Título: Liberte meu coração
Autora: Meg Cabot
Mês: Dezembro
Editora Galera Record, 404p.

Inglaterra, século XIII. Finnula é a caçula de seis irmãs e um irmão. As irmãs são todas casadas ou as vias de ser, gostam de tudo que é normal uma mulher gostar na época e estão satisfeitas cumprindo suas obrigações. Finnula não. Ela gosta de caçar, cavalgar e usar calças. Quando sua irmã Mellana engravida, Finnula se vê na obrigação de ajuda-la, já que a irmã cabeça de vento gastou todo o dinheiro do dote no que não devia. A solução encontrada: sequestrar um lorde ou cavaleiro rico por quem possam pedir resgate. Finnula acaba sequestrando Hugo, um cavaleiro que acaba de voltar das Cruzadas e que, apesar de ser rico, a jovem não imagina o quanto. Até porque ela não sabe que Hugo, na verdade, é o herdeiro das terras onde ela e sua família vivem... Ele também nem imagina com quem essa jovem, que está virando sua cabeça, já foi casada. Eles se metem em confusões tentando se livrar da atração mútua que sentem... até tudo ficar esclarecido. O problema começa quando Hugo toma conhecimento do que realmente aconteceu em sua casa durante seus anos ausentes.

Desde que eu li a série O diário da princesa, eu queria esse livro, mas como eu tive a impressão de que seria um daqueles romances de banca, por muito tempo fiquei atrás dele, consegui, e ele ficou mais um tempo na estante. Resolvi dar uma chance agora e não me arrependi. A protagonista é muito divertida e a partir do momento em que ela e Hugo se encontram, só melhora. Eu não consegui largar o livro, só de curiosidade para saber no que iam dar as provocações entre eles. Eu ri muito, me irritei, e acabei com meus dedos no final. Livro muito bom, um romance sem exageros que vale muito a pena.