21 de ago de 2017

O pequeno lorde (Frances Hodgson Burnett) – DL L&T 2017


Título: O pequeno lorde
Autora: Frances Hodgson Burnett
Mês: Agosto
Tema: Clássico
Editora 34, 203p.

Cedric vive com sua mãe em uma modesta casa nos Estados Unidos. Uma criança alegre e de bom coração, que contagia todos a sua volta com seu carisma e carinho. Um dia, ele descobre que deve ir morar na Inglaterra, pois é o último herdeiro de seu avô, um nobre cujos filhos (incluindo o pai de Cedric) estão mortos. O menino, agora Lorde Fauntleroy, estranha a situação, principalmente porque o seu melhor amigo, um vendedor de frutas, não tem muito amor por nobres e seus costumes estranhos. Mas Cedric logo fica alegre, pois descobre que pode ajudar muitas pessoas ao seu redor. E é exatamente o que ele faz antes de viajar. Já na Inglaterra, seu primeiro contato com o seu avô faz o velho ranzinza e egoísta gostar do que vê no neto, e a convivência entre eles transforma o homem a tal ponto que ele começa a realmente se importar com as pessoas abaixo de seu nível social. Cedric continua encantado a todos em sua volta e a vida está em paz, até que uma mulher aparece afirmando que seu filho é quem deve herdar a herança de Cedric devido à questão da primogenitura. Mas nada esmorece o coração do pequeno menino e as coisas se resolvem do jeito que devem.

Eu não sei porque estava com tanto pé atrás com esse livro. A autora é a mesma de O jardim secreto e A princesinha (do primeiro, eu já li o livro e vi o filme, do segundo, só vi o filme), então sei que tipo de histórias a autora escreve. Comecei sem grandes pretensões, o que foi bom, porque a autora de novo me surpreendeu. Sem dramas e sem rodeios, Frances Hodgson Burnett nos apresenta um pequeno personagem muito carismático e encantador. As mudanças que os outros personagens sofrem na história por causa do protagonista é uma coisa tão bonita de se ver, além de que o cenário, que mostra as paisagens rurais da Inglaterra, me fez lembrar muito de Downton Abbey, uma série que eu amo de paixão. Eu também sempre acho divertido, seja em filmes ou livros, a forma como os autores colocam um romance entre uma americana e um inglês. Sempre, sempre a coisa nunca é vista com bons olhos, a família do homem (porque ele tem que ser um nobre) sempre renega a esposa. Não sei se isso só passou a ser mal visto depois que o herdeiro ao trono inglês, Edward VIII, abdicou porque preferiu viver com a mulher por quem se apaixonou, Wallis Simpson. De qualquer forma, essa é uma temática que eu gosto de ver sendo explorada, e no livro é interessante como a autora coloca que o fruto de um casamento inglês-americano acaba sendo a salvação de uma família nobre, além das próprias lições de vida que podemos tirar do início ao fim. Amei de paixão essa história, já virou uma das favoritas ❤

18 de ago de 2017

Peixe grande (Daniel Wallace) – 52 Weeks Project 2017


Título: Peixe grande: uma fábula do amor entre pai e filho
Autor: Daniel Wallace
Mês: Agosto
Editora Rocco, 183p.

Sinopse: No dia em que Edward Bloom nasceu, uma nuvem carregada de raios, que queimavam a copa das árvores e ameaçavam fazer o mesmo com a cabeleira dos homens mais altos, trouxe a chuva que pôs fim à mais severa seca da história do estado do Alabama. Em seu aniversário de nove anos, ele se deparou com um homem congelado dentro de um imenso bloco de gelo, no caminho para o primeiro dia de escola. Mais tarde, já adolescente, derrotou com uma boa conversa um eremita gigante que morava numa caverna nas montanhas e devorava tudo o que via pela frente. É nesse clima de fantasia que Daniel Wallace dá forma a Peixe grande? Uma fábula do amor entre pai e filho, romance que ganhou às telas de cinema na adaptação de Tim Burton, com Albert Finney e Ewan McGregor dividindo o papel principal.
Peixe grande conta a história de Edward Bloom, um garoto do sul profundo americano que nasceu para ser peixe grande. O livro é montado sobre episódios cronologicamente ordenados que narram a vida de Bloom. Seu nascimento, suas aventuras de infância, a passagem para a vida adulta, a descoberta do amor, o nascimento do filho etc... E é justamente o filho, que tantas e tantas vezes ouviu o pai contar as aventuras de sua vida, o narrador do livro.
Costurando os episódios fantásticos que cobrem a vida de Edward Bloom, está a triste realidade de sua morte, que, sabiamente, foge da ordem cronológica para entremear toda a narrativa. É nessas horas que o filho/narrador assume também a função de diretor de cinema para, como numa filmagem, tentar alternativas diferentes de narrar o que será o último encontro entre pai e filho. Como quase sempre ocorre num set de filmagem, dificilmente a primeira tomada satisfaz.
Em Peixe grande, a morte de Edward Bloom é narrada em cinco diferentes takes. Embora a mecânica da cena varie em detalhes, nas quatro primeiras, o rio de lágrimas que costuma marcar esse tipo de desenlace na ficção é substituído por um alívio cômico no instante final. Menos na última. Mas, nem mesmo nesta, em que o realismo parece ser mais marcante, o autor cede à solução fácil. No lugar de um rio de lágrimas, ainda mais caudalosa, está a irresistível correnteza da fantasia.

Eu vi esse livro num sebo e fiquei curiosa, principalmente porque eu já havia visto o filme. No início, eu arrastei muito a leitura, quase desisti, mas depois que peguei o embalo, não larguei mais. O livro é dividido em quatro partes, a morte de Edward Bloom é narrada em cada uma delas e isso me confundiu um pouco. Quando chega no fim do livro, fica-se com um sensação de encantamento, por um filho inconformado com as histórias do pai, que ele acha que são pura invenção, enquanto o pai afirma até o fim que tudo é verdade. O mais tocante é o fato do pai estar em seu leito de morte e isso, mesmo quase sendo uma sombra em uma história que tinha tudo para ser infantil, acaba dando um toque mais suave, pois é através das histórias que o pai conta que o filho vai aprender a conhecê-lo mais antes do derradeiro fim. Um livro muito fofo e emocionante.

16 de ago de 2017

A promessa do tigre (Colleen Houck) – IDY 2017


Título: A promessa do tigre
Autora: Colleen Houck
Mês: Agosto
Tema: Passa na Índia
Editora Arqueiro, 111p.

Muitos anos antes de Kelsey Hayes aparecer na vida dos príncipes amaldiçoados como tigres, existiu uma outra jovem no caminho dos dois. Yesubai foi filha do temido Lokesh. Insatisfeito por sua mulher ter lhe dado um filha, ao invés do filho, Lokesh matou a esposa e trancou a filha, fazendo com que ela vivesse longe dos olhos alheios. Sempre submissa ao pai, pois desde pequena entendia o perigo que contradizê-lo oferecia, Yesubai cresceu linda, o que não passou desapercebido aos olhos dos que a cercam. Quando Lokesh que sua filha foi oferecida pelo rei em casamento com um nobre de qualquer reino vizinho em busca de fortalecimento diplomático, o feiticeiro logo começa a tramar para que sua filha se infiltre no reino dos príncipes Rajaram, pois é onde se escondem dois amuletos que ele deseja para se tornar invencível. Yesubai, que estava feliz de poder se ver livre do pai, se desespera com a situação, principalmente depois que se apaixona por Kisham, irmão mais novo de Ren, seu prometido.

Faz um tempo que eu ando esvaziando minha estante. Estou mais seletiva e decidi abrir mão das séries que eu sei que não vou mais ler. Fiz isso com os livros do Rick Riordan (porque apesar de tratar de mitologia egípcia, achei a história meio cansativa) e com a série Mago, do Raymond E. Feist. Essa série do Tigre eu ainda estou querendo ler o último da série, e apesar de achar a história chata na maior parte dos quatro primeiros livros (e eu ainda não me conformei com o final de O destino do tigre, ficou muito previsível, então espero que venha coisa forte por aí com o último da série), tenho certeza que, só pela perfeição das capas, eu nunca vou doar ou trocar esses livros. A capa de A promessa do tigre é a mais linda de todas, e a história, mesmo sabendo que não seria um fim bom, eu gostei muito. Adoro livros com contos prequel (histórias cujos acontecimentos vieram antes da história central), e esse não decepcionou em nada. Yesubai sempre foi um personagem misterioso, e o fato de ser pouco mencionada nos livros principais ajudou nessa percepção. Agora só posso desejar que o livro fosse maior, que ela tivesse vivido mais só para poder vê-la mais (sim, vê-la, porque a descrição da personagem fez com que eu tivesse uma imagem muito clara dela, como se a visse num filme). Amei o livro, fiquei apaixonada pela capa, e espero que o último livro me prenda a história exatamente como esse fez.

14 de ago de 2017

Guerra civil (Stuart Moore) – IDY 2017


Título: Guerra civil
Autor: Stuart Moore
Mês: Agosto
Tema: Autor que você nunca leu
Editora Novo Século, 318p.

Thor está morto. Nick Fury também. No lugar do líder da S.H.I.E.L.D, está Maria Hill, mais determinada que nunca em capturar e prender os superhumanos que não se cadastraram pela nova lei do governo. Tony Stark e Steve Rogers sentem uma espécie de culpa por ambas as coisas, pois eles se questionam se poderiam ter impedido a morte de Fury, já que agora os heróis não tem mais seu “líder” ou “mentor”. A morte de Thor também pesa na consciência de ambos: enquanto Stark acha que os Vingadores poderiam ter ajudado o deus do trovão no Ragnarok, Rogers pensa que se Thor estivesse com eles, de alguma forma a morte de Golias teria sido impedida. De um lado, o Homem de Ferro afirma que os heróis devem ser registrados e regulamentados, do outro, o Capitão América se recusa a tomar uma atitude que, a seu ver, só irá tolher a liberdade dos heróis. As discordâncias entre eles só fazem crescer, enquanto tentam recrutar aliados para suas respectivas causas. Famílias viram alvos dos inimigos, casais se separam por questões ideológicas, amigos viram inimigos, mortes com as quais ninguém sabe lidar muito bem, tudo isso vai fazendo com que os heróis percebam que a verdadeira guerra deve ser travada para proteger vidas humanas, não para destruí-las.

Ok. Sobre esse livro. A primeira coisa a falar dele é que eu arrastei demais a parte 1. Não sei porque, afinal, livros que são como este, onde a ação ocupa início, meio e fim da história, eu geralmente não consigo largar até terminar, de preferência no mesmo dia. Mas, nossa, como eu arrastei a leitura. Cheguei na parte 2 com muita força de vontade e só fui me interessar mesmo na parte seguinte. Sobre a história, é difícil falar além do óbvio (que tem muita ação, muita pancadaria, e morte que eu nem imaginava, já que estava com o filme na cabeça). Não li os quadrinhos, então até isso fica difícil de comparar, e não quero traçar paralelos com o filme também. Acho que o fator principal atraente deste livro (para mim) foi que, além de mostrar e me fazer lembrar de alguns super-heróis que até agora não apareceram nas adaptações, eu pude entender o porque de tanta gente tomando partido na briga entre o Capitão América e o Homem de Ferro. Finalmente me toquei que, como todo filme, a história é suavizada, tanto no caráter dos personagens quanto na questão da violência. Na época do filme, eu não escolhi lados e não entendia como as pessoas podiam preferir um ao outro, porque na minha visão limitada, ambos tinham bons motivos para agir como agiam. Agora, depois de ler esse livro, fiquei encucada e simplesmente não consigo tomar partido porque acho que estão ambos errados (percebam a visão lesada da pessoa). Minha percepção: Tony Stark é um sacana arrogante (me deu uma raiva imensa dele usando o Homem-Aranha, quando pelo que já foi mostrado no cinema, dá a impressão de que Tony realmente se importa com o menino, e com aquele Clor – WTF!!!) e o Capitão América, longe de ser aquele cara compreensivo dos filmes, é um cara ignorante que não está nem aí para quem vai machucar. Terminei o livro com uma raiva imensa de ambos os personagens. Um tema que eu gostei: a responsabilidade moral dos dois personagens líderes está mais forte e atuante que nos filmes, e isso, depois que você pega o embalo, te mantém pregado na leitura só para ver qual vai ser o fim de tanta desgraça.

11 de ago de 2017

Garotas da rua Beacon (Annie Bryant) – 52 Weeks Project 2017


Título: Garotas da rua Beacon: más notícias/boas notícias
Autora: Annie Bryant
Mês: Agosto
Editora Fundamento, 280p.

Finalmente a vida de Charlotte está entrando nos eixos. Ela tem quatro amigas ótimas, uma boa casa, e conseguiu alguma estabilidade. Mas tudo vai por água abaixo quando seu pai começa a questioná-la sobre novas mudanças, dessa vez para a Inglaterra. Chateada e sem saber o que fazer para seu pai mudar de ideia, ela começa a se conformar em deixar as garotas da rua Beacon para trás, mas suas amigas não vão aceitar. Entre planos para convencer o pai de Charlotte a ficar, as aulas de dança, o jornal da escola e um projeto comunitário, as meninas também tem que lidar com a chegada de Isabel. Enquanto Maeve e Charlotte fazem de tudo para a novata se sentir bem, Katani e Avery não gostam muito dessa história...

Mais um livro muito fácil e divertido de ler. A história não é nem um pouco parada, o que se pode esperar de uma série infantojuvenil. Tudo vai acontecendo ao mesmo tempo, o que mantém o leitor focado o tempo inteiro. Eu não consegui largar o livro até terminar, e o fato dele ter quase 300 páginas não desacelerou meu entusiasmo com a história. Recomendo.

9 de ago de 2017

Um conto sombrio dos Grimm (Adam Gidwitz) – IDY 2017


Título: Um conto sombrio dos Grimm
Autor: Adam Gidwitz
Mês: Agosto
Tema: Novas versões de contos de fada
Editora Galera Júnior, 272p.

João e Maria são filhos de um rei e uma rainha que, por remorso e mesmo com pesar, sacrificaram os dois para que seu fiel servo, Johannes, voltasse a vida. O que ninguém esperava era que as duas crianças também voltassem a viver. Não era para eles descobrirem o que o pai fez, mas eles ouvem o rei e a rainha conversando e magoados, resolvem fugir de casa. Assim, as aventuras dos dois irmãos começam. Eles encontram uma casa feita de doces. A confeiteira que morava nela os abriga, para comê-los mais tarde. Eles matam a mulher e fogem de novo, indo parar em uma casa onde o pai da família, que queria tanto uma filha mulher, reclama dos filhos homens que tem e faz com que todos se transformem em andorinhas. João e Maria vão atrás dos sete irmãos e fazem de tudo para que eles voltem para casa. A partir daí, os dois percebem que podem se virar sozinhos e tentam viver novas vidas, sem saber que seus caminhos irão separá-los, e que eles descobrirão muitas coisas na busca constante por uma família.

Eu tenho mania de querer comprar todo e qualquer livro que fale de contos de fadas, sejam novas releituras, sejam análises, seja o que for, eu quero. Este livro eu gostei da capa, gostei da sinopse e fiquei curiosa, até porque o conto de João e Maria original eu nunca li, e como não gosto de me basear em filme para dizer se uma versão é oficial ou não, fiz questão de ter ele na minha estante. Mesmo assim, demorei bastante para me entusiasmar a ler porque João e Maria nunca foi uma história que me enchesse os olhos. Fico muito feliz de dizer que eu me enganei totalmente quanto ao que esperava desse livro, simplesmente adorei a forma continuada de contar as várias histórias, ligando-as umas nas outras. É uma versão sombria que, confesso, me deixou meio desesperada em algumas partes. O mais legal é que, o autor do livro não reescreveu a história, ele só a adaptou. Seus comentários humorados até ajudam no suspense da história. Teve surpresa, teve aventura, teve morte, teve muita confusão, e foi isso que fez o livro se tornar um dos melhores que já li sobre o gênero. A diagramção é muito bem feita e as ilustrações são lindas. Muito indicado.

4 de ago de 2017

Hard to get (Anna Banks) – 52 Weeks Project 2017


Título: Hard to get
Autora: Anna Banks
Mês: Julho
32p.

Toraf quis fazer ciúmes para Rayna, e por isso beijou Emma. Por um momento, ele pensa que deu certo, mas depois percebe que Rayna quer somente “ganhar” de Emma, ao invés de ficar com Toraf porque ela quer. Eles tentam conversar, e Toraf acaba revelando a Rayna o porquê dele ter juntado os dois sem a permissão dela ou deles terem discutido o assunto antes. Mas é o jovem quem acaba descobrindo mais sobre Rayna do que imaginava.

Mais divertido que os outros ebooks, porque é sempre bom ler as confusões de Toraf e Rayna. Foi bem legal também saber da motivação de Toraf em juntar os dois sem a permissão dela (no livro fica bem claro que ela não gostou disso). Leitura leve e rápida.

28 de jul de 2017

Legacy lost (Anna Banks) – 52 Weeks Project 2017


Título: Legacy lost
Autora: Anna Banks
Mês: Julho
Editora Tom Doherty Associates, 32p.

Grom não quer saber de casar com quem lhe foi imposto. Ele é o primeiro filho de uma geração da família de Tritão, e sua prometida, Nalia, é da família de Poseidon. Quando ele chega a Câmera de Cerimônia em busca de uma forma de escapar desse destino, ele acaba encontrando a própria Nalia, mas agora ela está completamente diferente. Eles acabam se conhecendo mais e se envolvendo, e tudo parece perfeito, até que uma tragédia acontece e os planos de Grom para felicidade somem em um instante.

Mais um ebook que acrescenta a história original da série Poseidon. Esse foi mais interessante porque focou no povo das syrenas. Gostei de saber mais sobre Grom e sobre Nalia e qual foi a história deles. Nota 10.

21 de jul de 2017

The stranger (Anna Banks) – 52 Weeks Project 2017


Título: The stranger
Autora: Anna Banks
Mês: Julho
Editora Tom Doherty Associates, 32p.

Galen está a caminho de uma visita ao Dr. Milligan quando um barco se aproxima e uma pessoa cai na água. Ele a salva de um afogamento, e descobre que o nome da garota é Rachel. Sua irmã e Toraf o acompanham e um acaba sabendo mais sobre o outro, apesar desse contato entre humanos e syrenas ser estritamente proibido...

Não tenho muito a acrescentar, só que esse ebook é leve e divertido, serve para acrescentar a história original para se conhecer um pouco mais os personagens. 

17 de jul de 2017

Hilda furacão (Roberto Drummond) – DL L&T 2017


Título: Hilda furacão
Autor: Roberto Drummond
Mês: Julho
Tema: Hot
Editora Geração Editorial, 295p.

Sinopse: Hilda Furacão passa-se em Belo Horizonte no início dos anos 60, Hilda, a Garota do Maiô Dourado, enfeitiçava os homens na beira da piscina em um dos mais tradicionais clubes, o Minas Tênis. Por algum motivo secreto muda-se para o quarto 304 do Maravilhoso Hotel, na zona boêmia da cidade. Transformada em Hilda Furacão, a musa erótica tira o sono da cidade. Sua vida de fada sexual cruza-se com os sonhos de três rapazes vindos do interior: um é inspirado no notório Frei Betto, que queria ser santo, mas se tornaria frade franciscano, líder político e escritor. Outro queria ser ator em Hollywood - torna-se dom juan de aluguel. O terceiro, aquele que queria ter sua Sierra Maestra, é o próprio Roberto, narrador da história. Hilda Furacão é o desafio que o santo tem que enfrentar. O romance foi transformado em minissérie de grande sucesso pela TV Globo, com Ana Paula Arósio no papel de Hilda.

Mais uma vez participando de um desafio literário que coloca um tema desse. Sempre, sem exceção e exagero, é uma luta escolher qualquer livro que seja. Das outras vezes eu escolhia por curiosidade (no caso de A bibliotecária) ou por ser um livro bem pequeno que não me tomaria muito tempo de leitura (no caso dos livros da Sylvia Day). Outro critério de seleção que utilizo é o fato de não ser série, porque eu não aguento ler nem um livro, que dirá mais. Então fui procurar no skoob e esse me chamou atenção não somente pelo fato de que já ter sido adaptado para a televisão (e eu só guardei essa lembrança porque assistia escondido, achava a Ana Paula Arósio uma mulher lindíssima, ela ficava maravilhosa com os figurinos, e a temática me deixou curiosa, mas na época não deixavam nem eu nem minhas primas vermos porque ia mostrar sexo), mas porque ele não tem nem 300 páginas. 
Como toda obra adaptada, tiveram aspectos mudados (principalmente no que tange as cenas de sexo, claro que a Globo aloprou na época, e eu posso dizer que preferi o livro à série. Li com a Ana Paula na cabeça, e infelizmente as passagens com Hilda são muito poucas para uma personagem que dá nome ao livro. Outra coisa boa: o livro não pesa a mão na sacanagem, eu até achei por uns momentos que o livro não ia servir para o tema, mas agora já foi, não vou mudar. Recomendo.

14 de jul de 2017

Os arquivos perdidos (Pittacus Lore) – 52 Weeks Project 2017


Título: Os arquivos perdidos: a fuga
Autor: Pittacus Lore
Mês: Julho
Editora Intrínseca, 100p.

Mark James fugiu de Paradise e agora está numa louca corrida para encontrar Sarah e contar tudo que descobriu sobre os mogs. Sabendo que os mogs já se infiltraram no governo dos Estados Unidos, Mark se junta a quem conhece só pelo nome de Guarda para viajar pelo país usando todo e qualquer tipo de esconderijo para ficar longe dos mogs. O ex-jogador-e-cara-mais-popular-da-escola agora se vê envolto numa missão para proteger a Terra e alertar os humanos da presença perigosa de mogs no mundo. Em sua corrida em busca de Sarah, ele cada vez mais vai descobrindo sobre a verdadeira identidade do hacker que o ajudou desde o início…

Esse foi o segundo ebook da série onde Mark James é o protagonista. Achei que seria chato, mas me enganei. Não só porque a fuga dele serve para mostrar o que está acontecendo “do outro lado” da guerra, mas também porque o mistério sobre a identidade de Guarda finalmente acaba, esse ebook me prendeu na cadeira até eu terminá-lo.

12 de jul de 2017

As aventuras do barão de Munchausen (Rudolf E. Raspe) – IDY 2017


Título: As aventuras do barão de Munchausen
Autor: Rudolf E. Raspe
Mês: Julho
Tema: Autor alemão
Editora Iluminuras, 200p.

Sinopse: O Barão Munchausen chamava-se Karl Friedrich Hieronymous e viveu entre 1720 e 1797. Ele serviu no exército russo, participou de duas árduas campanhas contra os turcos e foi promovido a capitão de cavalaria em 1750. Por volta de 1760, retira-se para a propriedade rural da família em Bodenwerder, Hanover. Foi lá que passou a receber amigos e hóspedes, a quem tinha grande prazer em contar suas aventuras de guerra, caçadas e viagens, mas retocadas com as mais extravagantes mentiras, isso sem esboçar nem um sorriso; com tal naturalidade que quem não o conhecia chegava a acreditar nele. Quem transformou em livro suas histórias foram um bibliotecário e cientista chamado Rudolph Erich Raspe, nascido em Hanover em 1737. Era conhecido por sua versatilidade intelectual, pois escrevia profusamente sobre todo tipo de tema. Tendo se apropriado de objetos da importante coleção pela qual era responsável e que pertencia a seu patrão, o landgrave de Hesse, foge para a Inglaterra. Em Londres, graças a seu domínio do inglês aliado a seus vastos conhecimentos, vai publicar livros sobre vários assuntos para ganhar a vida, mas está sempre em apuros financeiros: chega até a ser preso por não poder pagar o alfaiate. Essa difícil situação mais o fato de que sua péssima reputação o alcançou em Londres, faz com que ele se mude para a Cornualha, onde põe em prática seus conhecimentos de mineralogia trabalhando em uma mina. Foi lá que, sempre atrás de dinheiro, escreve As Aventuras do Barão, a quem é muito provável que tenha conhecido pessoalmente quando vivia em Gottingen, perto de Hanover. Escrito o livrinho, preocupado com assuntos mais sérios, nem deve ter pensado mais nisso.

Um livro pequeno e bem divertido. O tom que o autor utiliza para contar as diversas aventuras do barão é tão engraçado quanto irritantemente convencido, fica aparente o grau em que as mentiras entremeadas com os eventos reais aconteceram. Recomendo porque é uma leitura leve e com muita ação, a narrativa não diminui o ritmo.

10 de jul de 2017

Os lobos de Loki (K.L. Armstrong & M.A. Marr) – IDY 2017


Título: Os lobos de Loki
Autores: K.L. Armstrong e M.A. Marr
Mês: Julho
Tema: Iniciar uma série
Editora Rocco, 320p.

Matt Thorsen é descendente do deus asgardiano Thor. Os primos Fen e Laurie são, por sua vez, descendentes do meio-irmão de Thor, Loki, o deus da trapaça. Como não podia deixar de ser, os três não se suportam. Ambos os meninos, Matt e Fen, tem características típicas de sua descendência: enquanto de Matt todo mundo gosta, Fen as pessoas apenas suportam. Durante um tipo de assembléia chamada de Thing (que tem a ver com o povo nórdico e que foi preservada pela família Thorsen), Matt, como descendente de Thor, é selecionado como o campeão que irá enfrentar a Serpente de Midgard para impedir a destruição do mundo (Ragnarök). Só que além disso, Matt também descobre que seu papel vai muito além do herói vencedor, ele terá que ser sacrificado para que o mundo realmente acabe e assim tenha início uma nova ordem. Chocado com essa informação, ele encontra as Nornes, ele descobre que não está sozinho. A primeira pessoa que ele busca é Fen, mesmo que no mito original seus antepassados tenham lutado em lados opostos. Sem querer, os dois acabam formando uma estranha aliança (e amizade), partindo em busca dos outros descendentes do norte e dos itens que irão precisar para impedir que o apocalipse nórdico novamente ocorra. No meio do caminho, eles encontram muitos perigos e vivem muitas aventuras, até que um acontecimento inesperado altera todos os planos.

Esse foi um livro que eu li que, assim que vi a sinopse e vi a capa, imaginei que seria como as Crônicas dos Kane, do Rick Riordan. Essa coleção eu li e gostei, porque eu adoro mitologia egípcia, então foi fácil. Lá para o fim, eu já estava meio em dúvida se seria uma série que leria de novo. Acabei trocando ela. Não sei se vai acontecer o mesmo com essa, das Crônicas de Blackwell. Na dúvida, prefiro nã opinar sobre isso ainda. Vale dizer que eu gostei do primeiro livro, estou curiosa para ler o segundo (até por causa da forma como a história terminou no livro anterior). Aliás, isso foi inesperado. Como tudo estava “dando certo”, achei que a história fosse terminar sem susto. Ainda bem que me enganei. Recomendo.

7 de jul de 2017

A guerra dos tronos (George R.R. Martin) – 52 Weeks Project 2017


Título: A guerra dos tronos graphic novel vol. 3
Autor: George R.R. Martin
Mês: Julho
Editora Casa da Palavra, 360p.

Eddard sofreu uma emboscada e agora precisa lidar com as consequências dos atos de sua mulher, que sequestrou Tyrion Lannister achando que ele é o responsável pela tentativa de assassinato de seu filho, Bran. Atuando como Mão do Rei novamente, o protetor do Norte descobre a traição de Cersei e começa a agir. Enquanto no Vale, Catelyn tem que aturar a insensatez da irmã Lysa, Jon na Muralha presta seus votos e descobre que os mortos estão voltando à vida. Robert morre, Eddard tenta tomar o trono de Joffrey, e é preso. Essa notícia faz com que Robb levante seus estandartes e convoque seus vassalos para a guerra. Enquanto que a família Stark vai se desmanchando aos poucos, do outro lado do Mar Estreito Daenerys, grávida, carrega a criança que as profecias apontam que será o “garanhão que monta o mundo”. Traições, esquemas, alianças, e a guerra pelo Trono de Ferro tem início.

Mais uma vez, a HQ fez jus a história que está contando. As ilustrações continuam de excelente qualidade e, mesmo que algumas retratações não sejam como o que eu imaginei quando li os livros, vale muito a pena.

3 de jul de 2017

No mundo dos livros (José Mindlin) – IDY 2017


Título: No mundo dos livros
Autor: José Mindlin
Mês: Julho
Tema: Seu item preferido na capa
Editora Agir, 104p.

Sinopse: Um guia feito especialmente para os apaixonados por livros. Leitor e colecionador voraz, José Mindlin começou a montar sua biblioteca particular ainda na adolescência. Passadas décadas, ele adquiriu um acervo invejável, com cerca de trinta mil volumes que abrangem desde a não-ficção histórica até a poesia. Em No Mundo dos Livros, o autor compartilha suas leituras favoritas e quais os escritores que considera fundamentais para qualquer um que se diga um amante dos livros.

Eu precisava de uma leitura leve para contrabalancear as leituras pesadas (cheias de mistério, reviravoltas, ação) que andava fazendo ultimamente, então esse livro veio bem a calhar. A escrita é simples e a narrativa de José Mindlin é muito rica, ele cita várias obras literárias simplesmente como dicas de leitura. Gostei de ver que ele soube, através desse seu pequeno livro que eu considero um pouquinho técnico (porque fele não fala somente de si mesmo e quando se tornou o colecionador que conhecemos, mas também aborda assuntos que encontro por aí quando leio teses acadêmicas), me cativar com sua história de vida de leitor. Não teve como não me reconhecer em alguns momentos, principalmente quando ele fala de novos leitores. Sua narrativa é uma conversa com o leitor, mais um chamariz. Um livro bem pequeno de grande qualidade. Recomendo.

30 de jun de 2017

Hans Staden (Jô Oliveira) – 52 Weeks Project 2017


Título: Hans Staden: um aventureiro no novo mundo
Autor: Jô Oliveira
Mês: Junho
Editora Conrad, 79p.

O alemão Hans Staden embarca em um navio em 1547 em direção ao Brasil. Era a época das grandes viagens de descobertas e explorações ao novo mundo. Ao chegar em Pernamuco, o alemão se envolve nas lutas contra os nativos e retorna a Europa. Não demora muito e ele parte de novo rumo ao Porto de Paranaguá, vindo de Sevilha. Algumas viagens complicadas depois, ele é designado pelo governador-geral Tomé de Sousa para combater indígenas como artilheiro da fortaleza de Bertioga. Em janeiro de 1554, Hans acaba sendo capturado pelos tupinambás e fica preso em Ubatuba. A partir daí, foram nove meses de cativeiro onde o alemão precisou se valer de toda sua esperteza para sobreviver.

Essa HQ é baseada nos relatos de Hans Staden sobre o tempo em que passou como prisioneiro. Seu livro original contem suas observações sobre a fauna e flora brasileiras, mas acima de tudo sobre os índios e os nove meses em que buscou sobreviver de todas as formas possíveis até seu resgate por um navio francês. A HQ se encerra com seu resgate, mas como seu livro vai mais além, vale a pena pelo seu conteúdo sobre esse período da história brasileira. Sobre a HQ, recomendo, a leitura é leve e divertida, além de conter uma breve cronologia história e mais informações sobre o próprio Hans Staden.

23 de jun de 2017

Aventuras maravilhosas do Capitão Corcoran (Alfred Assolant) – 52 Weeks Project 2017


Título: Aventuras maravilhosas do Capitão Corcoran
Autor: Alfred Assolant
Mês: Junho
Editora Companhia Editora Nacional, 174p.

Em meados do século XIX, o presidente da Academia das Ciências de Lyon anuncia que um antigo colega faleceu e resolveu deixar de herança cem mil francos ao homem que se dispusesse a viajar para a índia em busca do primeiro livro sagrado dos hindus, o Gurukaramta, missão que ele mesmo se incubiu de realizar antes de morrer. É então que o capitão Corcoran aparece junto a sua companheira tigresa Louison para avisar que ele vai em busca do manuscrito. Na Índia, Corcoran se vê envolvido nos conflitos entre ingleses, franceses e hindus e acaba se apaixonando por uma bela princesa.

Não sei porque livros sobre ou que retratem a cultura indiana são uma tortura para mim. Ok, exagerei, não foi uma tortura propriamente dita, eu consigo ler, mas me arrasto MUITO para terminar. Esse livro é muuito bom, a história é boa, eu amei a amizade da tigresa Louison e de Corcoran, mas ainda assim... Acho que a única coisa que me prendeu foi a tigresa mesma, e o final me deixou completamente surpresa. Muito bom.

19 de jun de 2017

A herdeira do fogo (Sarah J. Maas) – DL L&T 2017


Título: A herdeira do fogo
Autora: Sarah J. Maas
Mês: Junho
Tema: Fantasia
Editora Galera Record, 518p.

Celaena está nas terras distantes do reino de Adarlan para matar os líderes da rebelião. Mas ela decide não levar esse plano adiante. Ao invés disso, ela resolve descobrir mais sobre sua própria origem feérica. Em seu caminho aparece Rowan, um guerreiro féerico muito mais velho que Celaena. Ele a leva para encontrar sua tia, com quem a jovem faz um acordo: ela lhe dá as informações que precisa sobre uma forma de derrotar o rei de Adarlan se Celaena for digna o suficiente de entrar na cidade mística. Para isso, Celaena é treinada por Rowan. O relacionamento deles no início é bem difícil, mas a medida que vão se conhecendo, eles passam a se entender. Enquanto isso, Dorian está lidando com a própria magia, que ele ainda está aprendendo a controlar para que seu pai não perceba. Seu relacionamento com Chaol, o capitão da guarda do rei, está complicado desde que Celaena foi embora, e agora com a chegada de Aedion, um famoso general do rei de Adarlan e um dos únicos a sobreviver ao massacre que supostamente deveria ter matado seus parentes, a situação se complica mais. Longe dali, variados clãs de bruxas que estão do lado do rei se juntam para adquirem suas montarias, criaturas aladas ancestrais muito poderás e partirem para a guerra...

Esse livro é simplesmente maravilhoso. Eu achei que nada fosse superar as surpresas que Coroa da meia-noite trouxe, mas me enganei. A chegada de Aedion e sua verdadeira ligação com Celaena foi o que mais me surpreendeu. Além disso, Manon e sua relação com sua montaria alada me deixou completamente apaixonada (sim, eu sei que Manon é uma bruxa horrível, mas ela também é incrível, e sua ligação com sua criatura me lembrou muito de Eragon e Saphira. Terminei o livro e dei graças a Deus de já ter a continuação em casa. Sobre a diagramação do livro, o trabalho da Galera Record continua um primor. Completamente recomendado.

16 de jun de 2017

O mago de Rondo (Emily Rodda) – 52 Weeks Project 2017


Título: O mago de Rondo
Autora: Emily Rodda
Mês: Junho
Editora Fundamento, 336p.

Em casa e no seu mundo, Leo não consegue parar de se preocupar com a caixa de música que recebeu de herança. Isso porque ele se preocupa com o fato das pessoas em Rondo e suas vidas ficarem a mercê do ato de dar corda na caixa. Ao mesmo tempo, ele se preocupa porque sabe que existem regras a serem cumpridas quanto a isso. Quando ele percebe uma trilha de fumaça estranha saindo do castelo da Rainha Azul, ele se desespera, afinal, ela acha que a Chave para Rondo foi destruída e, portanto, Leo e a prima Mimi ainda estão lá. Assim, os dois partem para Rondo em busca dos amigos e de se fazer notar, e acabam tendo que achar na busca por um ajudante de mago desaparecido, sem saber que irão lidar com poderes bem mais poderosos que qualquer coisa que a Rainha Azul já tenha feito.

Uma continuação muito boa. Li em pouco tempo, porque queria saber no que ia dar as confusões de Leo e Mimi em Rondo, além do próprio mistério em torno do mago desaparecido. A leitura continua sendo leve, simples e divertida e o final consegue surpreender. O gosto de quero mais fica por conta, novamente, do paradeiro e das ações da Rainha Azul, eu fiquei me descabelando para saber mais sobre essa personagem. Se você leu o primeiro, vai gostar do segundo. Indicado.

14 de jun de 2017

Simplesmente acontece (Cecelia Ahern) – IDY 2017


Título: Simplesmente acontece
Autora: Cecelia Ahern
Mês: Junho
Tema: Passa na Irlanda
Editora Novo Conceito, 448p.

Alex e Rosie são amigos desde crianças. Na escola sempre ficavam juntos, iam aos aniversários uns dos outros, brigavam e faziam as pazes. Até que, no último ano de escola, o pai de Alex recebe uma proposta irrecusável de emprego e aceita, levando a família toda a se mudar para os EUA, enquanto Rosie ficaria na Irlanda. Apesar da distância, os dois continuam a se falar e ser amigos. No baile de formatura, Alex não aparece e Rose acaba indo com Brian. Um tempo depois, descobre que está grávida. A partir daí, sua vida vira de cabeça para baixo, pois apesar de ter o apoio dos pais, seus planos de faculdade são completamente abandonados. Do outro lado do mundo, Alex está cursando Medicina e tem grandes planos para sua carreira. Os anos passam, as circunstâncias mudam, pessoas vêm e vão da vida de ambos, mas a amizade entre eles permanece forte. Todo mundo apostava que eles ficariam juntos, mas será que vai acontecer, depois de tanto tempo?

Eu nunca fiquei tão frustrada com uma história quanto fiquei com essa. Nem Como eu era antes de você me deixou assim, mesmo com toda a questão de Will ter uma chance para felicidade e mesmo assim recusar. Mesmo assim, dá para avaliar a situação pelo ponto de vista do personagem e do porquê dele escolher outra coisa. Diferentemente de Rosie e Alex, que parece que tem tudo para ficar juntos, mas sempre acontece alguma coisa para impedir isso. As implicâncias com os respectivos parceiros (as partes divertidas ficam por conta de Rosie avacalhando as mulheres de Alex), as ajudas quando um estava por baixo, as brigas, tudo são momentos que um vive e o outro acaba fazendo parte também por tabela. Algo que eu gostei bastante foi a forma narrativa que a autora utilizou, através de cartas e e-mails, assim dava para ver os variados pontos de vista de praticamente todos os personagens que importavam para a história. Adorei e recomendo.

12 de jun de 2017

A probabilidade estatística do amor à primeira vista (Jennifer E. Smith) – IDY 2017


Título: A probabilidade estatística do amor à primeira vista
Autora: Jennifer E. Smith
Mês: Junho
Tema: Romance clichê
Editora Galera Record, 224p.

Hadley está viajando (quase obrigada pela mãe) para o casamento do pai, com quem ela tinha uma relação muito forte quando criança e que ela não vê faz muito tempo, em Londres. No dia do embarque, ela perde o vôo e acaba tendo que esperar pelo próximo no aeroporto, onde ela conhece um britânico chamado Oliver. Durante o tempo de espera no aeroporto, Hadley e Oliver não se desgrudam, quando embarcam estão na mesma fileira de assentos, e ambos se dirigem para ocasiões semelhantes, e é assim que os dois vão descobrir a probabilidade de se apaixonar a primeira vista.

O livro é bem pequeno e, apesar do final não ter trazido nenhuma surpresa, vale a pena por causa do jeito com que autora constrói toda a história até chegar nesse final. A forma como ela explora os sentimentos de Hadley sobre o pai, de quem ela acabou se distanciando, e com o Oliver, por quem ela se apaixona. Na verdade, o livro não é nada que eu esperava e isso foi bom, foi essa a surpresa. Recomendo.

9 de jun de 2017

O medalhão mágico (Mariana Lucera) – 52 Weeks Project 2017


Título: O medalhão mágico: a nova era
Autora: Mariana Lucera
Mês: Junho
Editora Amazon, 355p.

Após uma briga com Victor, Emy resolve ir conversar com a rainha dos elfos. Ela abre um portal para Elsoris, mas sente que tem algo de errado ao se deparar com vários corpos no caminho. Ela encontra Ehling a beira da morte, Victor a encontra e ambos fogem do Felgori. Eles pedem ajuda para Urik e contam da destruição da cidade subterrânea, enquanto o velho fala para eles a origem do medalhão e o poder contido no objeto. Presa a profecia que dizia que ela deve matar o Felgoris para destruir Elsoris (Emy e Amila podem vencer o Felgori, no entanto, a diferença é que a menina irá se voltar contra os seus e trazer para a terra um destino pior do que a presença do Felgori). Valentini resolve soltar o monstro pra evitar que uma das duas o mate. Ela o transforma em um homem, mas o monstro, que a odeia, mata-a e vai embora. Já Emy também se vê obrigada a trair seus amigos se quiser libertar Amyla e dar mais uma chance para a feiticeira. Nessa luta, Hank e Emy irão enfrentar muitos perigos para conseguir vencer de uma vez por todas.

O final da história de Emy e companhia, no início, não prendeu muito a minha atenção como os livros anteriores. Só quase na metade que a história começa a verdadeiramente atrair o leitor, porque é quando a aventura acontece. Eu gostei da citação de (quase comparação com) O Senhor dos Anéis. Fora isso, não tenho muito o que falar. Foi difícil ler os ebooks dessa série porque não curto ebook de mais de 150 páginas, mas valeu a pena. Recomendo.

7 de jun de 2017

Percy Jackson e a cantora de Apolo (Rick Riordan) – IDY 2017


Título: Percy Jackson e a cantora de Apolo
Autor: Rick Riordan
Mês: Junho
Tema: Autor famoso
Editora Guys Read - Other Worlds, 17p.

Percy se reúne com seu amigo sátiro Glover para comemorar o aniversário dele. A tarde está tranquila, até que Apolo aparece do nada com três de suas cantoras douradas. O problema é que ele tem um concerto no Olimpo a noite e precisa da quarta cantora, pois sem ela a melodia do grupo fica vazia. A quarta cantora se virou contra seu senhor e fugiu (sua garantia de dois mil anos expirou, então só podia dar nisso mesmo). Agora, Apolo quer que Percy vá em busca da fujona. Glover o acompanha e eles acabam se metendo em várias confusões, novamente para consertar um erro dos deuses.

Mais um ebook fininho do Rick Riordan que faz o leitor rir muito. Apesar de ter lido somente os dois primeiros livros da série Percy Jackson e os olimpianos (e não ter nenhuma pretensão de ler o restante), eu até que gosto desses personagens, consigo me divertir porque as confusões em que eles se metem são engraçadas. Recomendo dar uma olhadinha, quando você está com a mente cansada de leituras mais complexas para dar uma relaxada.

5 de jun de 2017

Lançamento de novo box de Harry Potter


Foi anunciado mais um box da série Harry Potter. Rocco e Amazon se uniram para lançar um novo box comemorativo pelo aniversário de 20 anos do lançamento da edição britânica de Harry Potter e a Pedra Filosofal.


O lançamento na Amazon é dia 26 de junho, no valor de R$ 249,50. O box já está em pré-venda.


3 de jun de 2017

Mulher-Maravilha (2017)

A história: Antes de tornar-se Mulher-Maravilha, ela era Diana, princesa das Amazonas, treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa isolada ilha paradisíaca, Diana descobre que um grande conflito assola o mundo quando um piloto americano cai com seu avião nas areias da costa. Convencida de que é capaz de vencer a ameaça de destruição, Diana deixa a ilha. Lutando lado a lado com homens numa guerra que pretende acabar de vez com todas as guerras, ela vai descobrir todos os seus poderes… e seu verdadeiro destino.

O pôster está gigante porque Diana merece :)

Bom, eu nunca fui fã de quadrinhos de super-heróis, não sei nada nem sobre DC nem sobre Marvel, só comecei a acompanhar de verdade esse tipo de filme depois do segundo filme do Capitão América (aí fui ver os do Homem de Ferro, dos Vingadores, etc), então não sou capaz de falar sobre o por quê das críticas aos filmes da DC (também não vi Esquadrão Suicida, e achei Batman vs. Superman um filme estranho, por falta de palavra melhor).
Só posso dizer, como fã de (alguns) filmes de super-heróis, que Mulher-Maravilha se equipara a Doutor Estranho: souberam como juntar elenco, trilha sonora, roteiro, cenários, figurinos e efeitos especiais em um único filme de forma que ficasse excelente!


O romance ficou de muito bom tom, as cenas de alívio cômico não ficaram forçadas ou fora de lugar e as lutas são muito bem coreografadas (as MELHORES CENAS são das lutas de Diana):


As amazonas  ❤❤❤ Robin Wright e Connie Nielsen estão maravilhosas!


Outra coisa que achei o máximo: Diana trabalha no Louvre (SO-NHO!). Em suma, amei. Não sou especialista nem fã ardorosa, mas o filme já está na minha lista de favoritos.

2 de jun de 2017

Amberblades e o novo reino (Gisele Bizarra) – 52 Weeks Project 2017


Título: Amberblades e o novo reino
Autor: Gisele Bizarra
Mês: Junho
Editora Clube de autores, 459p.

Driel vive com o pai Yuriel no Deserto de Fogo. Ela não é cega, mas tampouco pode abrir os olhos para ver, e isso é uma fonte constante de tristeza para a jovem. Ao apartar uma briga de bêbados em um bar junto com o dragão Bleizi, Driel descobre Deivian Colman, neto de Moran, de uma geração antiga dos amberblades. Eles conversam e Yuriel descobre que sua filha corre perigo, ainda mais com um ataque dos elfos das sombras ao pacato lugar onde vivem. Eles querem Driel porque seu mestre quer o poder da garota para voltar ao mundo dos deuses. No meio do perigo para proteger uma jovem que é a chave para tudo, mais uma vez surge uma nova geração de Amberblades.

Finalmente o fim dessa trilogia. Quando eu comecei a ler, achei que seria uma sequência, com os mesmos personagens do início da história, mas gostei do fato de não ser exatamente assim. Gostei do fato da autora ter usado algum personagem do livro anterior para fazer alguma conexão entre os livros, mas para aí, cada um traz uma história diferente, uma nova aventura que prende a atenção do início ao fim. Agora eu quero muito ler o conto Yomiko. Indico totalmente.

26 de mai de 2017

Cicatrizes de aço (Victoria Aveyard) – 52 Weeks Project 2017


Título: Cicatrizes de aço
Autora: Victoria Aveyard
Mês: Maio
Editora Seguinte, 98p.

Diana Farley, cujo codinome é Ovelha, é uma das líderes da rebelião vermelha. Quando ela finalmente tem a chance de comandar uma missão sozinha, começa a ficar receosa pelo fato de que antes sempre estava acompanhada de seu comandante, codinome Carneiro. Suas ordens agora são para se dirigirem para Harbor Bay, identificado como o lugar mais viável em Norta para se semear a rebelião, e recrutar todo tipo de gente para um primeiro ataque a capital. No meio do caminho, ela conhece Shade Barrow, que tem interesse em se juntar a Guarda Escarlate e cujo reconhecimento da irmã no meio da cerimônia de escolha de uma noiva do príncipe pode ajudar em muito a rebelião.

Demorei bastante para pegar o ritmo desse ebook, apesar de ser tão curto. Fiquei tentando situar os personagens na história do primeiro livro, ver se algum deles já havia sido mencionado antes. Fui levando a leitura, porque seja o livro que for, comecei, tenho que terminar, mas a história não conseguiu prender a minha atenção. Talvez se eu tivesse lido o primeiro livro e logo em seguida esse ebook, mas como não foi o caso... Recomendo porque complementa a história principal.

24 de mai de 2017

Doctor Who (Tommy Donbavand) – DL L&T 2017


Título: Doctor Who: a mortalha da lamentação
Autor: Tommy Donbavand
Mês: Maio
Tema: Ficção científica
Editora Suma de Letras, 176p.

A TARDIS parou de funcionar, e Clara e o Doutor não sabem em que época estão. Enquanto isso, as pessoas estão vendo os rostos de seus mortos por toda parte. A repórter Mae Calllon vê a avó em uma mancha de café; o guarda Reg Cranfield vê o pai na névoa ao longo de uma estrada; o agente do FBR Warren Skeet vê o rosto do parceiro morto nas gotas de chuva no vidro da janela; o médico Andrew Ross vê a esposa morta em uma poça de sangue no chão... Aí o Doutor percebe que aquele dia não é um dia comum, é a manhã seguinte ao assassinato do presidente John F. Kennedy. E que os rostos são as Mortalhas, que se alimentam da tristeza alheia. Agora, Clara e o Doutor terão que achar uma forma de impedir que as Mortalhas consumam a humanidade, mesmo que para isso o Senhor do Tempo tenha que reviver memórias muito particulares e dolorosas...

Toda vez que eu leio algum livro do Doctor Who, eu tenho que fazer uma pesquisa na internet para verificar algum personagem ou acontecimento que eu suspeito que terá um alguma significância na história (nunca vi a série, então é preciso pesquisar. Dessa vez, eu quase acertei no aspecto do luto do Doutor). O livro, apesar do nome, não é tão obscuro quanto se poderia pensar, considerando o título, e isso é bom. Eu ri em algumas partes e fiquei completamente chateada em outras. Gostei da forma como os personagens se interligam, e do jeito como o Doutor soluciona a história. Mais um livro super indicado.

22 de mai de 2017

A formatura (Joelle Charbonneau) – DL L&T 2017


Título: A formatura
Autora: Joelle Charbonneau
Mês: Maio
Tema: Distopia
Editora Única, 318p.

Entre Tomas, seus estudos, a preocupação com o irmão no meio dos rebeldes, o estágio e amizades inesperadas, Cia se vê as voltas com a verdade sobre a rebelião. O que ela não imaginava é que a presidente iria designá-la para uma missão muito séria: uma que irá acabar com as atrocidades do Teste de uma vez por todas. Ao aceitar, Cia precisa pensar em quem ela pode confiar para ajudá-la. Tomas está do seu lado, Raffe a ajudou e a acobertou, e ela gosta de Enzo, mas e o restante? E Stacia e Will? Será que ela confia neles? Seus questionamentos aumentam a medida que ela amadurece e ela se vê novamente não seguindo o conselho de seu pai: “Não confie em ninguém!” Porque ela não pode fazer tudo sozinha e precisa de ajuda, mesmo que venha daquele que menos se espera.

Confesso, não sei o que sentir depois de ler esse livro. Como toda distopia, a história começa cheia de ação, em seguida vem o terror (porque vamos combinar, distopia está virando sinônimo de “Não se apegue a nenhum personagem porque ele provavelmente vai morrer”), e depois vêm aquela sensação de “E agora? Acabou?”. É como se toda aquela ação diminuísse (até porque as coisas começam a ser resolvidas) até os personagens terem finalmente paz. Não sei lidar bem com o final de distopias desde Esperança, é como se eu não quisesse aceitar que tudo acaba, que os sobreviventes agora vão reconstruir seu mundo, as lutas acabaram, como se depois de tanta morte sem sentido (vide Prim, porque essa morte nunca vai fazer sentido para mim), ninguém merecesse tranqüilidade. Horrível isso, eu sei, mas é essa a sensação. O bom do livro é que as reflexões de Cia, que são uma constante na história, deixam o leitor analisando junto com ela o que é certo e errado, quem é mau ou bom. Novamente a autora consegue chamar a atenção para aquela questão: o líder que quer acabar com o terror mas que, quando você observa melhor, não se mostra tão simpatizante dos sofredores assim. Não que a presidente seja uma traíra, mas eu fiquei com o pé atrás com ela. Um final de prender a atenção do início ao fim.

19 de mai de 2017

Descendência (James Frey) – 52 Weeks Project 2017


Título: Descendência
Autor: James Frey
Mês: Maio
Editora Intrínseca, 163p.

Declan está com a filha nos braços quando eles chegam. Num flash, ele relembra que por não querer que Aisling fosse a próxima Jogadora, ele fez tudo que fez. Declan tenta explicar o perigo desse destino para a esposa, Lorelei, mas talvez por conta de anos de segredos, ela não entende. Então ele espera ela dormir e rapta a filha. A fuga vara a noite enquanto a busca por uma criança desaparecida tem início. Declan avisa onde está para a esposa, mesmo sabendo que ela irá trai-lo. Quando ela aparece com seu pai e Molly, uma jogadora que ele ensinou a ser implacável, acaba matando Lorelei. Declan foge e escapa várias vezes até cansar. É quando eles o encontram e o destino de Aisling começa a ser moldado.
Shari Jha será uma Jogadora. Ela sempre soube o que fazer, como controlar sua mente. Em um dia normal de escola, ela conhece Jamal e o convida para tomar um chai. Os dois conversam muito e Shari fica surpresa com a quantidade de informação pessoal que Jamal dá a ela sem que eles se conheçam de verdade. Eles se tornam amigos e depois namorados. Ela fica incomodada de estar sempre mentindo e fica esperando o dia em que ela poderá contar a verdade chegar. Só que um acidente faz Jamal perceber que Shari é muito mais do que diz ser. E agora a vida dos dois vai mudar drasticamente.
Maccabee está em uma missão. Ele deve roubar um pendrive de uma grande executiva muito rica, e sabe o que deve fazer para conseguir isso. Ele tenta seduzi-la, mas seu jogo dá errado porque Serena é muito mais esperta do que ele. Apesar disso, eles passam a noite conversando sobre o filho dela, que é colega de quarto de Macccabee, e sobre a vida dele (ou pelo menos o que ele pode contar de verdadeiro). Acaba que Maccabee consegue completar sua missão, mas começa a questionar, a despeito de si mesmo, a relação que tem com sua mãe.
Baitsakhan gosta de causar dor. Aos seis anos, ele e outras crianças começam os testes para eleger o Jogador. Vitorioso, descobre que gosta de ser porque gosta de matar. Ele despreza tudo e todos, tendo prazer em causar dor naqueles que lhe são mais próximos, matando-os para que deixem de ser inconveniências em sua vida. Baitsakhan finge aprender os princípios que seu treinador quer passar para ele, só gosta de assimilar os ensinamentos sobre práticas de matar. Cansado de fingir ter uma humanidade que nunca teve, ele não vê a hora de ser um jogador de fato.

Eu não tenho muita coisa para dizer desse ebook, só que como a primeira dessas pequenas histórias complementares ao primeiro livro de Endgame, prende completamente a atenção. O primeiro ebook falou sobre as origens de alguns jogadores; este falou da descendência de antigos jogadores que, de certa forma, acaba ligada aos jogadores atuais. Eu não consegui largar. Recomendo.

12 de mai de 2017

A crônica de fogo (John Stephens) – 52 Weeks Project 2017


Título: A crônica de fogo
Autor: John Stephens
Mês: Maio
Editora Suma de Letras, 308p.

Dr. Pym, depois de uma aventura perigosa, manda Kate, Michael e Emma de volta pra o Lar Edgar Allan Poe para Órfãos Incorrigíveis e Desamparados, mas seus inimigos acabam invadindo o lugar e na tentativa de fuga, Kate acaba viajando para uma Nova York de cem anos atrás. Lá, ela conhece Rafe e sem saber como, sente que ele está ligado a ela de alguma forma. No presente, Michael e Emma se vêem as voltas com o desaparecimento da irmã. Esperando que ela volte logo, eles e o Dr. Pym vão em busca do segundo volume dos Livros do Princípio, e acabam se metendo em várias confusões e enfrentando inimigos cada vez mais perigosos. Kate acaba voltando ao presente, mas o preço desse retorno será sentido por todos.

Eu não me lembrava de muita coisa do primeiro livro. Aliás, eu fiquei um pouco confusa e só fui entender a história no final. Já neste segundo livro, apesar de demorar para pegar o embalo, a partir da metade do livro a história melhora e muito e não se consegue largar. Tem uma única viagem no tempo, dessa vez, e o mistério sobre quem seria o garoto Rafe prende a atenção. O legal é que os capítulos alternam entre passado e presente e no final, tudo se interliga. E o final mesmo é simplesmente enlouquecedor, não vejo a hora de ter o terceiro livro em mãos, até porque depois que você descobre que Michael é destinado ao segundo livro e qual é o terceiro volume, não dá para não imaginar que algo de muito triste pode vir a acontecer no final da trilogia. Muito recomendado.

8 de mai de 2017

O conto da deusa (Natsuo Kirino) – IDY 2017


Título: O conto da deusa
Autora: Natsuo Kirino
Mês: Maio
Tema: Autor japonês
Editora Rocco, 278p.

Kamikuu e Namima são irmãs. Elas vivem com a família em uma ilha ao sul de Yamato. Kamikuu é a mais velha, e aos seis anos ela sai de casa para se preparar para se tornar o próximo Oráculo. Namima sofreu com a separação da irmã querida, o que ela nunca imaginou é que ela mesma teria um papel a desempenhar dentro dos costumes cruéis de sua gente. Pois aos dezesseis anos, Namima agora se tornou a guardiã do Amiido, local em que os mortos são enterrados. A obrigação de Namima, desse dia em diante, até a morte de sua irmã, a nova Oráculo, é velar pelos mortos. A jovem jamais imaginou que seria esse seu destino e se desespera, ainda mais por causa do romance proibido (e seu fruto) com o jovem Mahito, um jovem que faz parte de uma família de renegados. Eles fogem e Namima dá a luz uma menina, Yayoi. E mais uma vez sua vida dá uma guinada: ela é assassinada, sem entender por quê. No mundos dos mortos, ela descobre muito sobre os deuses, a criação do mundo, os acontecimentos de sua vida e finalmente assume seu papel como sacerdotisa das trevas e dos mortos.

Esse livro foi (mais ou menos) uma surpresa. Tenho ele na estante faz um tempinho, comprei por causa da capa e porque eu nunca havia lido nada de nenhum autor japonês. Li a sinopse e gostei, achei que devia guardar para algum desafio literário (e de novo, acertei). Confesso que no início eu li direto, não conseguia parar por causa das reviravoltas que esperava que acontecessem. E aconteceu uma, que me surpreendeu demais e fiquei sem saber o que esperar da história. É a partir desse ponto, em que a autora começa a falar dos deuses e da criação do mundo de acordo com lendas japonesas (eu só reconheci Amaterasu dos meus estudos antigos sobre lendas mundiais) que eu me perdi um pouco e comecei a achar a história arrastada. Depois que começa a mostrar a vida dos personagens, resultado do acontecimento-reviravolta, que a história volta a ficar emocionante. O engraçado é que você sabe que o tempo passa, mas não existem datas nem medições, então algumas coisas surpreendem quando você nota, por exemplo, o crescimento e nascimento de alguns personagens. Eu gostei bastante, o final foi inesperado, o que só acrescentou a história como um todo. Completamente recomendado.

5 de mai de 2017

Fazendo meu filme em quadrinhos vol. 1 (Paula Pimenta) – 52 Weeks Project 2017


Título: Fazendo meu filme em quadrinhos: antes do filme começar
Autora: Paula Pimenta
Mês: Maio
Editora Nemo, 78p.

O aniversário de Leo está chegando e Fani quer fazer algo especial para seu melhor amigo, até como forma de agradecer o CD que ela ganhou dele. Com a ajuda de seus amigos, Fani resolve fazer uma festinha surpresa. O dia chega, está tudo pronto e a surpresa dá certo. Só que quando a noite termina, Fani se surpreende pensando em Leo e se ele está gostando de alguma menina...

Aí está uma história que desde que conheci, achei que seria o máximo ver algumas ilustrações. Fiquei muito além de feliz quando anunciaram que viraria HQ e fiquei no aguardo para comprar. Já tenho ele na minha estante faz um tempinho, apesar da curiosidade imensa de ler e ver como seria Fani, Leo e todos os outros. AMEI! Não tem outro jeito de dizer, eu simplesmente adorei essa HQ. A história não está nos livros da série, é mais um complemento, o que eu também gostei. Ainda tenho o quarto livro da série para terminar, mas agora acho que vou ler as HQs primeiro, só para ver em quais partes elas vão se encaixar. Como todo livro da Paula Pimenta, completamente recomendado.

3 de mai de 2017

O paraíso perdido (John Milton) – IDY 2017


Título: O paraíso perdido
Autor: John Milton
Mês: Maio
Tema: Gênero que menos gosta
Editora Martin Claret, 485p.

Sinopse: Um dos pilares da cultura de língua inglesa, John Milton é um clássico em que a erudição épica renascentista se associa à sonoridade retórica e religiosa do barroco. Sua obra-prima é a epopéia Paraíso Perdido (1667), em que recria o conflito entre Lúcifer e Deus com uma metafísica monista e uma espécie de materialismo cristão. Composta de 12 livros e escrita em pentâmetros ingleses, a obra apresenta a inovação dos versos bancos (sem rima), com extraordinário senso de ritmo e sonoridade.

Todo mundo sabe que eu sou uma negação na leitura de poesias. Simplesmente me cansa e me enjoa rápido então é muito difícil eu ler livros do tipo. Tive que abrir uma exceção dessa vez, e não me arrependi. Na verdade, eu queria ter lido esse livro faz mais tempo, desde que comecei a estudar Tolkien e suas influências, e não me arrependi. Tem alguns livros na literatura atual que tratam dessa temática, dos anjos decaídos, e eu nunca consegui ler, mas Milton escreve de um jeito que é impossível não ficar presa na leitura. Enquanto lê, parece que você está vendo cada uma das cenas (a serpente tentando Adão e Eva, eles sucumbindo ao proibido, Gabriel tentando impedir Satã de seduzir Eva…), devido a força das palavras. Eu juro que fiquei arrepiada em vários momentos. Completamente indicado.

1 de mai de 2017

Spirit animals 2 (Maggie Stiefvater) – IDY 2017


Título: Spirti animals 2: a caçada
Autora: Maggie Stiefvater
Mês: Maio
Tema: Com animal na capa
Editora Fundamento, 176p.

Abeke agora faz parte do grupo dos Casacos Verdes. Junto a Connor, Rollan e Meillin, acompanhados de seus espíritos animais, devem partir em uma nova missão em direção ao norte de Eura, em busca de Rumfuss, o Javali. Eles devem encontrar o talismã do Grande Javali antes que Zerif, o Conquistador, o ache primeiro. Eles só não imaginam que Zerif conseguiu forçar uma ligação entre humanos e animais, semelhante a das crianças com os espíritos das Grandes Feras, mas que não é natural. Essa ligação forjada tem o objetivo de dar aos Conquistadores um exército que se equipare aos convocados dos Casacos Verdes. Até chegar ao destino, os quatro jovens passam por muitos problemas e perigos, descobrindo novas ligações com suas Grandes Feras e aprendendo novas lições sobre essa conexão.

Eu nunca havia lido nada dessa autora, Maggie Stiefvater, apesar de muita gente recomendar os livros dela. Gostaria de poder dizer que eu gostei da escrita dela, mas não sei se posso fazer isso porque essa série, Spirit animals, é escrita por autores diversos, eles simplesmente devem pegar o gancho do livro anterior e continuar de onde parou, então não dá para julgar uma autora que continuou uma história já existente. Sim, eu sei que cada autor tem seu modo de escrever e narrar, mas ainda assim. Então só o que eu tenho para falar de verdade é sobre o livro, que é ótimo. Ele nem é tão grande, a autora não se demora em descrições, a ação é constante, por isso não dá para largar o livro. Eu adoro as ilustrações das capas, são lindas demais, e especialmente adorei a capa desse segundo por causa do novo personagem introduzido na história (amo gatos!). Ainda não me entusiasmei para participar do jogo online, mas uma hora vai. Recomendo.

28 de abr de 2017

Garotas da rua Beacon (Annie Bryant) – 52 Weeks Project 2017


Título: Garotas da rua Beacon: piores inimigas / melhores amigas
Autora: Annie Bryant
Mês: Abril
Editora Fundamento, 255p.

Charlotte Ramsey está prestes a começar um novo ano, desta vez nos EUA, na cidade onde nasceu. Ela sempre viveu viajando com o pai e agora ela esperar passar sossegar um pouco mais. Para Charlotte, o primeiro dia em uma nova escola sempre trouxe problemas e dessa vez não foi diferente. O fato da professora querer manter o grupo de meninas em que ela está na hora do almoço não está dando certo para ninguém, até que uma das meninas, Katani, sugere que ela, Charlotte, Maeve e Avery passem uma noite juntas. Se elas não conseguirem lidar bem umas com as outras durante esse tempo, estão liberadas para mudarem de lugar no almoço. Assim, elas resolvem passar a noite de sábado na casa de Charlotte, e durante esse tempo, vão descobrir, além de um lugar fascinante na Torre (justamente onde Charlotte não tem permissão para ir), muito mais sobre si mesmas. Assim surge o novo grupo das Garotas da rua Beacon.

AMEI esse livro. Faz muito tempo que eu estava atrás dessa coleção, talvez por causa da capa que é toda colorida e tem aquela vibe de livro infantojuvenil (eu aprendi a não ignorar esses “sinais” depois da coleção do Diário da princesa), talvez por que eu ando catando livros leves (a leitura e teorias enlouquecedoras dos novos rumos da história das Crônicas de Gelo e Fogo fazem você buscar coisas divertidas e simples), o fato é que eu simplesmente adorei essa história, me senti cativada por ela. Li em uma tarde, não consegui largar, dei umas boas risadas e não consegui me conter, já fui atrás do segundo livro. Completamente recomendado.

21 de abr de 2017

A Guerra dos tronos (George R.R. Martin) – 52 Weeks Project


Título: A Guerra dos tronos graphic novel vol. 2
Autor: George R.R. Martin
Mês: Abril
Editora Casa da Palavra, 240p.

Tyrion Lannister ainda está na Muralha e no seu caminho de volta para Porto Real, é surpreendido por Catellyn Stark e feito prisioneiro, sendo levado para o Ninho da Águia. Enquanto isso, em Winterfell, Bran já está acordado e tenta se acostumar com o fato de que nunca mais irá andar. Seu pai em Porto Real tenta descobrir o mistério que cerca a morte de Jon Arryn e é levado a conhecer um dos bastardos do rei Robert, tentando estabelecer as conexões entre os fatos. De volta a Muralha, Jon Snow está se adaptando a sua nova vida, enquanto além do Mar Estreito, no mar dothraki, Daenerys está tomando consciência do que seu irmão Viserys realmente é.

Essa HQ continua do ponto onde o primeiro volume parou. O trabalho primoroso continua, tanto na seleção dos capítulos de A guerra dos tronos que são retratados no volume, quanto na qualidade das ilustrações e do colorido. No final, estão incluídos os esboços e rascunhos dos desenhos, assim como textos explicativos dos editores e ilustradores. Quando o livro/ HQ/ ebook que estou lendo é tão bom, eu tenho mania de correr e começar a ler logo a continuação, nem que seja um pouquinho. Com essas HQs estou conseguindo me controlar porque quero ter surpresa, mesmo sabendo muito bem qual será o final da história. Recomendo para todos os fãs da série.

17 de abr de 2017

Uma pitada de amor (Katie Fforde) – IDY 2017


Título: Uma pitada de amor
Autora: Katie Fforde
Mês: Abril
Tema: Romance proibido
Editora Record, 400p.

Zoe Harper está na Inglaterra para participar de um reality show de culinária, cujo prêmio em dinheiro pode ajudar e fazer com que ela finalmente abra a sua própria delicatéssen. Mas a medida que o reality vai acontecendo, ela percebe que não vai ser fácil. Cher, sua concorrente, não conhece limites para chegar a final e levar o prêmio, mesmo que para isso ela precise ficar num jogo de conquista com os jurados. Tudo piora para Zoe quando ela percebe que está se apaixonando por um dos jurados, Gideon Irving. Mas óbvio que ela não pode se envolver com ele, mesmo quando tudo parece estar contribuindo para isso, os dois tem muito a perder. É quando Zoe percebe que tem muito mais coisa em jogo do receitas de doces e técnicas de corte.

Livros desse gênero (chick-lit) são sempre um desafio, porque apesar de me fazerem rir das confusões em que a protagonista se mete, eu não curto muito o romance nas histórias. Apesar disso, eu curti bastante a leitura deste livro por causa da competição culinária, acho bacana assistir algumas competições do tipo na TV (não é frequente que eu assista) e desde que li a série Chocólatras, comecei a apreciar livros com temáticas culinárias. Como todo chick-lit que eu começo a ler bem reticente, depois que pega o embalo, vale bem a pena.

14 de abr de 2017

Os arquivos perdidos (Pittacus Lore) – 52 Weeks Project 2017


Título: Arquivos perdidos: a traição do número Cinco
Autor: Pittacus Lore
Mês: Abril
Editora Intrínseca, 150p.

O número Cinco vive com os mogs, aprendendo com eles e com o Grande Livro as razões para a invasão da Terra e a destruição de Lórien. Ele é levado até o número Nove, prisioneiro dos mogs, e descobre muita coisa sobre esse lorieno, estudando-o para poder matá-lo quando chegar a hora, e o que ele descobre o deixa com muito ódio. Cindo é testado e vai descobrindo sobre o destino e o paradeiro dos outros, enquanto percebe que ele agora já não é mais “imortal”, que sua vida não depende mais de seu número. Até que a base mogadorina é atacada e Cinco precisa de uma vez por todas provar onde está sua lealdade.

Eu sou o Número Cinco, o braço direito de Setrákus Ra.

Em uma frase, você pensa que já sabe toda a história… No início, eu achei que esse conto vinha antes de A vingança dos sete, mas na verdade ele vem antes de A queda dos cinco, quando o número Cinco ainda não conhecia ninguém da Garde. Considerando que eu já li os dois livros mencionados acima, foi interessante de ver como Cinco era, com toda a lavagem cerebral feita pelos mogs, e como ele ficou depois do que aconteceu… Fica bem fácil ver o motivo da sua antipatia em relação ao número Nove, porque ele nunca fez questão de se dar bem com ele quando começou a ser bem tratado pelos outros. O final, como sempre, foi enlouquecedor. Recomendo.

10 de abr de 2017

As aventuras de Tom Sawyer (Mark Twain) – IDY 2017


Título: As aventuras de Tom Sawyer
Autor: Mark Twain
Mês: Abril
Tema: Clássico
Editora Martin Claret, 270p.

Tom é órfão e vive com a sua tia Polly e com os seus primos. Ele adora faltar a escola, e sua tia acha que arrastá-lo para a Igreja vai corrigi-lo. Ele se apaixona pela sua nova colega, Becky Thatcher, e seu pequeno romance parece estar indo bem até que Becky se zanga com ele. Na mesma noite, ele foge de casa acompanhado de Huckleberry Finn. Os garotos vão para o cemitério e acabam testemunhado o roubo de sepulturas por parte do índio Joe, o Dr. Robinson e Muff Potter. Acontece uma discussão e Joe mata o doutor, aproveitando para incriminar Potter, que estava desmaido de bêbado. Quando acorda, ele acha que realmente cometeu o crime e foge. Huck e Tom decidem ficar quietos, mas o corpo e a arma do crime são encontrados, levando a Potter. No dia seguinte, os dois meninos percebem que a cidade inteira os procura e crê que eles morreram afogados. Eles levam a farsa adiante, mas depois se arrependem e resolvem voltar para casa. O julgamento de Potter se aproxima e Tom resolve contar a verdade, mas Joe foge. Ele é encontrado morto e Huck e Tom se tornam heróis da sua cidade.

Uma história bem divertida que eu li bem rápido. Devia ter lido primeiro este livro e depois As aventuras de Huckleberry Finn (que eu li ano passado), mas essa mudança não influenciou em nada na minha leitura. Na verdade, pareceu até que a história já me era familiar. Não tenho muito mais o que falar, só que eu gostei bastante. Indico.

7 de abr de 2017

Amberblades e a herança (Gisele Bizarra) – 52 Weeks Project 2017


Título: Amberblades e a herança
Autora: Gisele Bizarra
Mês: Abril
Editora Clube de Autores, 521p.

Brynhild está sendo perseguida quando Lena e Yamarin a salvam. A jovem não aguenta mais ter o mesmo pesadelo. Em seu encontro com Maron, ela descobre que estão tentando roubar os desenhos das armas muito poderosas que atiram cristais elementais, e que as criaturas que atacam ela e sua mãe nos pesadelos estão atacando cidades. Brynhild acaba sofrendo um ataque e é salva por um anjo, Xariel, descobrindo também que as tais armas servem para caçá-la, pois ela é descendente de Lena e Joh, os primeiros amberblades. Xariel descende de Yomiko e Azazel e Maron lembra de quando falavam que esses frutos dessas descendências se reconheceriam como o sol e a lua de cada um. Maron se une aos dois e assim surge os novos amberblades, que irão lutar para acabar com a ameaça que transformou o mal na doença que exterminou os dragões e que está afetando todas as raças.

O segundo livro da série Amberblades não fica em nada a dever ao segundo (só quero ver se o terceiro vai superar o segundo). Gostei da leitura, conseguiu me prender de tal forma que eu só larguei depois que terminei e isso é MUITO difícil quando se trata de ebook. De início, achei que seria uma continuação das aventuras dos primeiros amberblades, então fiquei meio perdida quando vi que os personagens eram diferentes, mas talvez tenha sido isso que me prendeu a atenção. Muito recomendado.

5 de abr de 2017

Meu monstro de estimação (Dick King-Smith) – IDY 2017


Título: Meu monstro de estimação
Autor: Dick King-Smith
Mês: Abril
Tema: Passa na Escócia
Editora Galera Record, 111p.

Em 26 de março de 1930, uma tempestade atingiu a costa oeste da Inglaterra. No dia seguinte, Kirstie, sua mãe e seu irmão Angus descem para a praia e acabam encontrando um ovo de um animal que eles não fazem ideia do que seja. Eles levam o animal para casa e começam a cuidar do filhote quando o ovo eclode. O avô de Kirstie e Angus, Resmunga, descobre que o animal é um kelpie que mais tarde eles chamam de Crusoé. Eles cuidam do animal e tentam de todas as formas mantê-lo escondido. O único problema é que o cavalo-do-lago não para de crescer.

Foi uma dificuldade imensa encontrar um livro para esse tema do IDY. Geralmente é assim porque eu não gosto de ler qualquer coisa. Pesquisei, pesquisei e só encontrei esse porque lembrei de livros adaptados. Revi o filme um dia desses e aí percebi que eu podia ler o livro, que eu queria faz bastante tempo. Não vou me prender a comparações entre o livro e o filme, até porque para fazer isso teria que ver a adaptação novamente (gosto de prestar atenção aos detalhes). O livro é bem infantil, li durante uma tarde e foi uma delícia de leitura, bem leve e agradável. Recomendo.

3 de abr de 2017

A fera em mim (Serena Valentino) – DL L&T 2017


Título: A fera em mim
Autora: Serena Valentino
Mês: Abril
Tema: Livro da editora Universo dos Livros
Editora Universo dos Livros, 190p.

A Fera nem sempre foi uma fera. Antes, ele foi um homem, um príncipe arrogante, metido, ignorante, orgulhoso, que não se importava com ninguém. Seu melhor amigo, Gaston, é um grande companheiro de caça, cuja arrogância é igual a do príncipe. Quando decide se casar, sua escolha recai em uma moça belíssima, mas sua verdadeira natureza egoísta se revela quando ele descobre que ela não passa de filha de um criador de porcos. O “amor” do príncipe pela moça termina, mas Circe, seu nome verdadeiro, aparece para lhe dar uma nova chance. Quando ele recusa, ela e suas irmãs bruxas o amaldiçoam e ao castelo: ele se transformaria em uma fera e o feitiço só teria fim quando ele se apaixonasse de verdade e alguém o amasse em retorno, sem ligar para sua aparência. Elas lhe dão um espelho para observar tudo que acontecesse fora de seus domínios e uma rosa, cuja última pétala caída sinalizaria o limite de seu tempo para amar e ser amado. Quando nada acontecesse e achando que tudo não passou de um pesadelo, o príncipe resolve procurar outra moça com quem pudesse se casar. Seus parâmetros de escolha não mudaram: a moça deve ser linda e maleável, disposta a atender todos os seus desejos. No entanto, a maldição finalmente se completa. Um tempo depois, Bela já é sua prisioneira e ele aposta que ela possa ser sua salvação. Quando as bruxas percebem que ele se apaixonado e sendo correspondido, elas impedem Circe de ajudar a fera e continuam atrapalhando o caminho dos apaixonados.

Pode o amor transformar alguém tão profundamente?

Quando eu vi a capa desse livro e a sinopse, achei que a história mostraria um novo ponto de vista da história de a Bela e Fera, tendo como enredo o que é mostrado no filme da Disney. A história parte sim de um novo ponto de vista, o da Fera, e tem alguns personagens novos, e também tem o filme como pano de fundo, o interessante é como a autora, Serena Valentino, utiliza isso para dar um embasamento para o que ela escreve sem copiar tudo. Não é que o livro traga a visão da Fera dos acontecimentos exatamente como aconteceu no filme, porque os personagens novos que ela insere (as três bruxas que ficam torcendo para que o príncipe continue como Fera, por exemplo) fazem toda a diferença. Melhor surpresa: Gaston e Fera foram amigos (!!!). A história da Disney fica bem como um pano de fundo bem no fundo, e o que ela conta mostra mais algumas coisas que vão complementar o que vemos no filme, por isso achei o livro uma boa pedida para quem gosta de contos de fadas. Tinha minhas dúvidas, apesar de amar o tema, mas agora quero muito ler os livros seguintes, que falam de Malévola e Úrsula. Indicado totalmente.