12 de set de 2018

A lâmina da assassina (Sarah J. Maas) – BL 2018


Título: Lâmina da assassina
Autora: Sarah J. Maas
Mês: Setembro
Tema: Um livro YA (young adult)
Editora Galera Record, 406p.

Em A Assassina e O Lorde Pirata, Celaena Sardothian já é uma renomada assassina. Prestes a fazer 17 anos, a protegida favorita do líder da guilda Arobynn é enviada com Sam, parceiro que ela não suporta, para as Ilhas Mortas. Achando que iria se vingar pela morte dos quatro membros da guilda por piratas, ela se vê comerciando escravos, pois era esse o negócio de Arobynn com o capitão Rolfe. Sem estar disposta a aceitar isso, ela trama para que os escravos fujam e sem querer, começa a trilhar um caminho que irá mudar sua vida. 
A Assassina e A Curandeira narra o início da viagem de punição de Celaena por ter feito Arobynn perder um rico negócio. Enquanto se hospeda em uma estalagem e conhece Yrene Towers, a jovem que trabalha nesse lugar desprezível e a ajuda a sair de problemas.
No conto A Assassina e O Deserto, Celaena continua sua viagem em busca do Mestre Mudo e dos Assassinos Silenciosos, com quem ela deve voltar a ser aprendiz para que Arobynn aceite-a novamente na guilda. Quando finalmente a jovem acha que encontrou uma amiga e um senso de pertencimento, tudo vira de cabeça para baixo por motivos além do alcance de Celaena de evitar.
Em A Assassina e O Submundo, Celaena está de volta pronta para enfrentar Arobynn e se desligar da guilda. Mas os pedidos de desculpa e seus presentes apelam para a jovem. Ela aceita um novo trabalho: matar o responsável pela construção de uma estrada que exigirá um comércio de escravos muito ativo. Sem disposição para ver isso acontecer, ela planeja e executa o ato, descobrindo mais tarde que foi usada e qual era o nível da falsidade de seu antigo protetor.
A Assassina e o Império mostra Celaena e Sam já juntos, livres da guilda e prontos para recomeçar em outro lugar. Mas Arobynn não vai facilitar a vida do casal. Ao aceitar um trabalho para que enfim possam se desligar da guilda para sempre, Sam e Celaena caem numa armadilha cruel e a jovem, que pensa estar tomando as rédeas de sua vida, se vê frente a frente com um destino cruel: passar o resto dos dias como escrava nas minas de sal.

Que. Livro! Completamente diferente do que eu esperava, até porque eu imaginava que as histórias seriam intermediárias aos livros já lançados, depois que notei que ele falaria da vida de Celaena desde o início. Li em uma tarde de domingo porque não conseguia parar. Como cada um dos contos narravam acontecimentos quase imediatamente aos outros, foi difícil largar, principalmente porque eu queria ver onde iria dar o chove-não-molha entre ela e Sam. Os momentos entre eles são muito bonitos, mas fiquei desesperada porque já sabia onde tudo aquilo ia dar, considerando o primeiro livro da série. 
Confesso que me irritou várias vezes a impetuosidade de Celaena, que parecia uma coisa boa, como no caso da libertação dos escravos, mas na maioria das vezes se tornava prejudicial (o aviso, O MALDITO AVISO da armadilha preparada que ela sequer deixou o informante terminar!). E eu ficava esperando a cada topada que ela percebesse e aprendesse, mas não. E eu só tinha vontade de gritar! O último conto, o mais intenso de todos, me levou a duvidar mais uma vez das reais intenções de Arobynn até aquele parágrafo final (O QUE FOI AQUILO PELOAMOR!!!). Esse livro foi outra maravilhosa surpresa que esclarece muito da vida de Celaena. Recomendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário