6 de out de 2014

Convergente (Veronica Roth)



Titulo: Convergente
Autora: Veronica Roth
Editora Rocco Jovens Leitores, 526p.

Tris e as amigas que participaram da ação contrária as ordens de Evelyn Johnson estão presas, e serão interrogadas com o soro da verdade. Se culpadas, serão condenadas por traição, mas elas se livram da acusação. A cidade agora está sob controle de Evelyn e dos sem facção e Quatro tenta ganhar a confiança da mãe para descobrir o que ela está tramando. Algumas pessoas concordam com as ações dela em abolir as facções e manter todos dentro da cidade, mas Tris não. Ela acaba sendo convidada por um grupo denominado de Leais, cujas líderes são Cara e Johanna Reyes. O interesse do grupo é sair da cidade e ajudar as pessoas do outro lado da cerca. Caleb, como antigo seguirdor de Jeanine Matthews, foi julgado e condenado, mas Quatro leva ele junto e assim, os dois, junto a Tris, Christina, Uriah, Cara, Peter, Robert, Tori e Johanna partem para fora da cerca. Apesar de sofrerem uma perda, eles não param e todos exceto Johanna e Robert são recebidos por Zoe e Amah, que fazem parte do Departamento de Auxílio Genético, onde descobrem que a cidade de onde vieram faz parte de um experimento genético. Tris descobre mais sobre a vida de sua mãe e sobre ser Divergente, ou Geneticamente Pura (os não-divergentes são Geneticamente Danificados). No entanto, existem pessoas que não concordam com esses termos, apesar de estarem trabalhando no Departamento. Eles conhecem Nita, uma dessas pessoas, e Quatro se envolve no plano dela de roubar o soro da memória para evitar que a população da cidade perca a memória (é o que o Departamento faz com a desculpa de resolver um problema genético que na verdade não existe). Mas Tris descobre o verdadeiro plano e o atrapalha,salvando a vida do chefe do local. David se mostra agradecido e a convida para fazer parte do Conselho, onde Tris fica a par das decisões importantes. Quando o grupo resolve intervir mais uma vez no plano de David, Tris não permite que seu irmão seja sacrificado e o perdoa, mas esse seu ato terá conseqüências que ela não esperava.

Terminei. E aviso logo: se você, leitor, está esperando um final feliz, pode ir tirando o cavalinho da chuva. Como já havia dito, eu sabia do final desta série graças a um bando de desocupados que, na época do lançamento em inglês, não souberam manter suas bocas fechadas e saíram soltando spoiler pra todo lado. Óbvio, na época não me conformei. Até demorei pra começar Insurgente, mas assim que comecei, não parei mais, terminei e comecei logo a ler Convergente. Fui lendo e esqueci o tal final... Até chegar perto do acontecimento, mas, da forma como aconteceria a ação naquele determinado momento, eu já estava gostando, achando bonito até. Mas aí a coisa mudou, quem eu não esperava apareceu, e eu ODIEI. MUITO. A partir daí, fui desacelerando a leitura porque não queria crer que aquilo tivesse acontecido. A trama é envolvente, como nos dois primeiros livros, a ação é constante, o romance é explorado de maneira mais... envolvente. Adorei o fato de ver a história pelo prisma de Quatro, que é um dos chamarizes deste livro. Um final de tirar o fôlego.

Nenhum comentário:

Postar um comentário