14 de nov de 2016

A rainha vermelha (Victoria Aveyard) – RC 2016


Título: A rainha vermelha
Autora: Victoria Aveyard
Mês: Novembro
Tema: Do Goodreads Choice Awards 2015
Editora Seguinte, 419p.

Mare faz parte dos vermelhos, um dos grupos sociais de Nora. Desprivilegiados e fadados a servir os prateados, a elite. Ela não tem o talento da irmã, então ajuda a família como pode: roubando. Uma noite, um encontro com um estranho a leva a conseguir um emprego no palácio real, e no dia em que as moças prateadas competem para serem escolhidas a futura rainha, Mare descobre quem foi seu salvador e mais que isso, ela descobre sobre seus poderes. Na frente de todos. O rei e a rainha inventam rapidamente uma história para explicar o porquê de uma vermelha ter poderes que somente os prateados podem possuir. Assim, Mare se transforma na noiva do príncipe mais novo, Maven. O problema é que seu coração bate mais forte por Cal, o príncipe herdeiro, apesar de tudo... Enquanto isso, o rei fica cada vez mais apreensivo com os constantes ataques de rebeldes vermelhos. Em meio a intrigas e política, as ações de Mare a levam a um caminho sem volta, para ela e para o reino.

Eu li o conto Canção da rainha antes de ler este livro porque ele falava de um acontecimento chave para o início desta história, li para não ficar perdida, mas confesso que não funcionou muito bem. Só fui pegar o ritmo e me situar depois que Mare vai parar no meio da realeza, porque o tempo todo procurava uma brecha para a história do conto. Essa distopia é uma maravilha, apesar de que, como já é comum, a protagonista me irritou na maioria das vezes. Parece que é uma característica da maioria das distopias com heroínas femininas: elas fazem besteira, pagam por isso perdendo o controle da própria vida, o que leva a outras burradas que acabam custando muito mais. E isso me irrita de uma forma que eu nem sei explicar. Apesar disso, a história é bastante envolvente. Recomendado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário