25 de jan de 2011

Alice de Lewis Carrol – DL 2011


Tema: Literatura Infanto-Juvenil

Mês: Janeiro de 2011 (Livro I)

Título: Alice: Aventuras de Alice no País das Maravilhas & Através do Espelho

Autor do livro: Lewis Carrol

Editora: Jorge Zahar

Nº de páginas: 303

Sinopse: O livro conta a história das aventuras de Alice ao cair numa toca de coelho, que a leva a um lugar povoado por criaturas que misturam características humanas e fantásticas que lhe apresentam enigmas. Nesta edição comentada da obra 'Alice no país das Maravilhas' e 'Através do Espelho' o leitor encontrará notas de Martin Gardner - esclarecendo artifícios literários, estruturas narrativas e explicando trocadilhos da época, enigmas ou mesmo as alusões à vida pessoal do autor - buscando dar sentido a passagens não esclarecidas nas traduções até então disponíveis em português. O livro traz ainda esboços descobertos; uma introdução situando 'Alice no País das Maravilhas' e 'Através do Espelho' no contexto da Inglaterra vitoriana; bibliografia da obra de Lewis Carroll; Filmografia, com os filmes já produzidos sobre Alice e um episódio de 'Através do Espelho - O Marimbondo de Peruca'

Quando vi a capa do livro, o que mais chamou a minha atenção foi… a propaganda dizendo que o livro continha as ilustrações originais de John Tenniel. Algo como ele ter sido o principal ilustrador da história de Alice, o que tem mais credibilidade entre os carrolianos (amantes de Lewis Carrol, como as janeites, de Jane Austen, e os tolkenianos, de J.R.R. Tolkien. Fãs são mesmo uma loucura).

O livro é sobre… As aventuras de Alice no País das Maravilhas. Contém também um conto inédito que faz parte da história “Através do espelho”. Essa acontece depois que a Alice volta do País das Maravilhas e pelo que entendi, é nele que aparece a Rainha Branca (que eu não fazia idéia de quem era, porque eu só tinha visto um filme de Alice, da Disney, e odiei).

Eu escolhi este livro porque… queria deixar de odiar a história, ou pelo menos entender. Também queria saber de onde saíram alguns personagens que Tim Burton colocou na nova adaptação, como a Rainha Branca já citada.

A leitura foi… legal. Esclareceu bastante. Mas não sei se gosto de Alice. Uma coisa é certa: eu preciso ver o filme do Tim Burton, pelo Johnny Depp e pela história em si. Mesmo sem ter visto esse filme, comecei a fazer algumas associações entre os personagens do livro e do filme na minha cabeça e quero saber se estou certa. Como na cena do trailer em que as Rainhas Vermelha e Branca se encontram no meio de um... tabuleiro de xadrez? Na história, Alice passa por cada etapa do jogo de xadrez, desde o peão que luta até ela mesma se tornar uma Rainha, no lugar da Vermelha. É isso que acontece no filme quando Alice aparece de armadura, escudo e espada nas mãos? Ela vai lutar pra ser a Rainha Vermelha que o livro fala que ela se torna? Não, parem, não me digam se é isso que acontece no filme. Eu quero ver.
Esse livro foi uma odisséia. Eu tinha comprado ele ano passado, já pensando no Desafio. Mas antes de começar a ler, soube que estava a venda uma edição comentada. Quase pirei porque adoro esse tipo de livro, com notas esclarecedoras e coisas assim, então quis vender o primeiro e comprar a edição que li. Mas janeiro chegou, eu já devia começar a ler (o livro é grosso) e nada de ter dinheiro. Aí para o aniversário da mamãe eu dei de presente o que eu tinha comprado antes e corri pra livraria pra comprar a edição comentada. Mas comprei tarde. Comecei a ler. As notas explicativas realmente são demais, ajudam bastante a entender porque as pessoas consideram essa história uma obra-prima que os fãs da matemática e da lógica amam (ISSO não entendi e nem faço questão). Descobri que a Alice de Carrol foi baseada em Alice Libdell, uma das crianças que o autor tinha como amiga, ele contou a história para ela e suas irmãs durante um passeio de barco, existem discussões a respeito de Carrol ter se apaixonado pela menina e ter talvez pedido sua mão em casamento (calma, nada de pedofilia, ela cresceria é claro, mas a mãe não consentiu. Existe uma discussão desse tipo, imagem isso na Inglaterra vitoriana?), entendi o que é sorriso de gato de cheshirre (aquele gato da Disney me tirava do sério com aquele sorriso idiota), enfim aprendi muita coisa. Não odeio mais Alice, entendo mais. Só não vou assistir o filme da Disney nunca mais. Agora eu quero ver é o Johnny de Chapeleiro Maluco.

O personagem que eu gostaria de ter compreendido melhor é a Rainha Vermelha. Por quê? Ela é louca. Ou é impressão? Que coisa irritante de toda hora “cortem a cabeça, cortem a cabeça!”. Me enlouqueceu ler isso, mais do que ver na adaptação da Disney. Também queria entender mais: porque esse livro é um livro de lógica?!?!?!?! Fala disso e de matemática, mas... Sei lá, acho que pra captar a essência real dessa história vou ter que ler de novo.

O trecho do livro que merece destaque: Não sei. Mas o que com certeza eu adorei foram as ilustrações.

A nota que eu dou para o livro: 4

4 comentários:

  1. Oi, Natallie. O grande apelo do livro a meu ver é que, por meio de uma filosia da lógica e do nonsense, a narrativa estimula a fantasia e a imaginação. Sem contar que o livro traz luz à temática do que é a infância, entre tantas outras leituras.
    Ótima participação!
    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Natallie, temos o mesmo ponto de vista sobre Alice, também não gosto da história, comprei o livro ano passado por causa do filme que seria lançado, não li o livro até conhecer o DL. E continuo não gostando de Alice, e muito menos do filme.

    ResponderExcluir
  3. Não se se gosto de Alice mais ou menos do que antes... Pra saber mesmo, tenho que ver o filme com o Depp.

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li o livro e assim como você não gosto do filme da disney.
    Mas, gostei do filme do Tim Burton. Esse filme não têm a mesma história do livro mas é uma continuação da mesma.
    B-jus

    ResponderExcluir