3 de jan de 2011

J.K. Rowling


No primeiro livro, A Pedra Filosofal, Harry Potter descobre aos onze anos que é um bruxo, mas não qualquer bruxo: ele é o Menino-que-Sobreviveu. Matriculado na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, ele começa se integrar ao mundo de seus falecidos e pais, faz amigos e inimigos, descobre porquê foi criado por tios que o detestam e tem seu segundo confronto com Lord Voldemort ao descobrir o mistério da Pedra Filosofal. 
N’A Câmara Secreta, Harry é resgatado por Rony e seus irmãos no dia do seu aniversario da casa dos tios. Ele passa o resto das férias na casa do amigo e volta pra Hogwarts, lugar que, segundo um elfo doméstico chamado Dobby, seria muito perigoso para ele estar. Alguma coisa volta a atacar os estudantes, fato que preocupa todos. A Câmara Secreta foi reaberta, mas Harry, frustra novamente a tentativa de Voldemort de voltar ao poder. 
O Prisioneiro de Azkaban mostra o terceiro ano de Harry e seus amigos em Hogwarts. Ele está sendo vigiado por todos, pois um perigoso assassino, Sirius Black, está a sua procura. Um novo professor aparece na escola, Remo Lupin, que irá ajudar Harry no seu combate aos dementadores. Enquanto estuda e se diverte, uma nova aventura está prestes a acontecer, pois ele descobre a ligação entre Sirius, Lupin e seus pais. 
N’O Cálice de Fogo, Hogwarts está sediando o Torneio Tribruxo, evento onde campeões de três escolas competem para levar o troféu Tribruxo. Harry é misteriosamente inscrito na competição, o que foge às regras. Mesmo assim, ele compete ao lado dos outros três campeões. No meio dos problemas, Harry também descobre o amor. Esse ano escolar termina de forma drástica com a volta de Lord Voldemort. 
Em A Ordem da Fênix, Harry é escoltado para a Ordem da Fênix, sede do grupo que combate Voldemort. Acusado de usar magia impropriamente, ele é julgado e considerado inocente. Em Hogwarts, ele e seus colegas tem que lidar com Dolores Umbridge e se unem no Exército de Dumbledore para aprender a se defender da magia das trevas. Uma grande perda leva-o a descobrir toda sua história. 
N’O Enigma do Príncipe, o Ministério finalmente acredita que Voldemort está de volta e Harry é considerado o herói que irá derrotá-lo para sempre. Mas o garoto rejeita esse papel e entra em conflito com o novo Ministro da Magia. Ao mesmo tempo, se junta a Dumbledore na busca de informações que possam ajudar na luta contra Voldemort. Mas esse ano não termina bem. Uma grande perda para o mundo bruxo faz Harry seguir sozinho em sua jornada. 
O último livro, As Relíquias da Morte, mostra Harry, Rony e Hermione fora de Hogwarts em busca das horcruxes, objetos ligados diretamente a Voldemort. Eles também descobrem coisas não muito boas sobre o passado de Dumbledore e a existência (fictícia para alguns) das relíquias da Morte. De volta a Hogwarts, Harry e Voldemort travam a batalha final e decidem que rumo terá a profecia que os liga: “Um não poderá viver enquanto o outro existir.”


Foi a melhor saga literária que eu já li, com exceção d’O Senhor dos Anéis. J.K. Rowling consegue prender a atenção do leitor desde o início do primeiro livro até o final do último. Meu vício pela leitura se fortaleceu a cada aventura de Harry Potter e seus amigos. Longe de estimular culto satânico (como pregam muitos desavisados), a obra de J.K. Rowling ensina sobre amor, paciência, ambição, ódio, amizade, escolhas, preconceito, coragem, crescimento e mostra as complexidades da vida e da morte. Acima de tudo, os livros ensinam sobre responsabilidade moral. E estimulam o hábito pela boa leitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário