10 de nov de 2014

Tenshi (Luciane Rangel e Ana Cláudia Coelho)


Título: Tenshi: um anjo sem asas
Autora e Ilustradora: Luciane Rangel e Ana Cláudia Coelho
Editora EraEclipse, 287 p.

Era sete de julho, dia do tanabata Matsuri, Festival das Estrelas. Umi, Kaori e Natsu foram comemorar um dos festivais mais importantes do Japão, mas a alegria acaba quando algumas colegas aparecem e começam a atormentar Umi. Ela foge correndo, enquanto Kaori dá uma lição nas colegas maldosas. Na fuga, Umi encontra um rapaz aparentemente machucado caído no meio da rua. Ela tenta ajudá-lo e descobre que além da aparência incomum (ele é chinês e tem olhos verdes), o menino não sabe quem é nem de onde veio. Como forma de ajudá-lo, o professor Hinoki, irmão de Kaori, aceita após muita insistência abrigá-lo em sua casa. Umi dá um nome para ele, Aki, e tenta de todas as formas descobrir que ele é, de onde veio, o que gosta e o que não gosta (ela chega ao cúmulo de achar que ele é um anjo e o põe a prova algumas vezes, na certeza de que suas asas aparecerão do nada), mas é tudo em vão. À medida que a convivência entre eles aumenta, Umi vai percebendo que gosta dele. E sente muito ciúme quando vê certa intimidade entre ele e a nova professora de história. Enquanto ela tenta entender isso, descobre que a verdade sobre o pai de Natsuo, e tenta ajudar a amiga. O que ela não conta para Natsuo é o verdadeiro caráter de Ken, paixonite da amiga. Só quando ele é pego agarrando Kaori a força, Natsuo percebe tudo. Na mesma noite, outra revelação é feita, e Umi descobre tudo a respeito de Aki, mas não tem mais certeza se gosta da “nova versão” (ou verdadeira identidade) do rapaz.

Eu comprei esse livro assim que a Luciane Rangel anunciou a pré-venda por um simples motivo: ele viria autografado por ela e pela Ana Cláudia Coelho, que a (talentosa) ilustradora. Desde que terminei a trilogia Guardians, da Luciane, andava querendo saber o que ela andava aprontando, então quando ela anunciou Tenshi pela editora EraEclipse, nós, seus fãs, ficamos loucos pra saber mais. E a história não decepcionou. A protagonista é muito bobinha, tanto que chega a ser hilária (como assim, fazer o coitado do menino pular da árvore achando que ele era um anjo? Ri alto). Além das ilustrações, o livro traz também as fichinhas dos personagens principais, com as opiniões da Lu (olha a intimidade rsrsrs) e da Ana sobre cada um deles, além de informações sobre os termos e nomes de lugares japoneses para os leitores, o que eu achei muito considerado da parte dela. Amei demais a história, como sempre Luciane prendendo o leitor, tanto com a história central, quando com as tramas paralelas (a história pessoal de Kaori me emocionou bastante). Recomendadíssimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário