8 de jul de 2016

Miss Brontë (Juliet Gael) – DL 2016



Título: Miss Brontë: um romance
Autora: Juliet Gael
Mês: Julho
Tema: Ambientado na Europa
Editora Lafonte, 399p.

Charlotte, Anne e Emily Brontë são hoje três das grandes escritoras e fascinantes nomes da literatura mundial. No entanto, na época em que elas viveram, as coisas não eram bem assim. Nascidas na Inglaterra do século XIX, elas viveram em um mundo onde o lugar da mulher era na casa e suas vontades estavam condicionadas as vontades do pai e do marido. Junto ao irmão Branwell, elas escreviam histórias como fonte de diversão. Já adultas, de volta a casa do pai depois de estudar e trabalhar em internatos, elas resolvem escrever e publicar suas histórias. Receosas da atenção (negativa ou positiva) que poderiam vir a receber, Charlotte, Anne e Emily publicam sob os pseudônimos de Currer, Ellis e Acton Bell. O começo não é muito promissor, mas a publicação de Jane Eyre muda tudo na vida de Charlotte.

Que livro mais lindo. Em vários momentos, achei que estava lendo uma biografia de Charlotte Brontë. Não me interprete mal. Sei que pelo título, parece um romance açucarado, e eu afirmando que o livro parece uma biografia, pode deixar a desejar para algumas pessoas, afinal, quem quer um livro de memórias meloso, com coraçõezinhos saindo das páginas? O bom de uma biografia é poder contar os fatos de forma impessoal. O primeiro livro que li das irmãs Brontë foi o de Emily, O morro dos ventos uivantes. E meu Deus, eu odiei. Odiei e ainda odeio a loucura de Heathcliff e o egoísmo enojante de Cathy. Então, quando vi um monte de resenhas boas de Jane Eyre, a curiosidade bateu, mas ainda fiquei reservada, porque afinal, o livro de Emily também faz um grande sucesso entre as mesmas pessoas que amam Mr. Rochester.
Quando terminei esse livro, aconteceu o mesmo de quando eu terminei de ler Razão e Sensibilidade, de Jane Austen: me apaixonei pela autora. Completamente e irreversivelmente. Então, nada mais natural que o interesse por esse livro tenha surgido e fincado pé, mesmo que eu tenha demorado um pouco para ler rsrs Amei a história, confesso que me deprimi com as mortes de Emily e Anne, gostei da forma como retrataram a amizade entre Charlotte e Elizabeth Gaskell, o epílogo é esclarecedor (o que é bem necessário em livros do gênero romance biográfico) e apesar de imaginar que o final seria do jeito que foi, ainda assim foi difícil ler e não me acabar em lágrimas. Super indicado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário