7 de fev de 2012

Bicentenário de Charles Dickens


Hoje, a blogosfera literária comemora o 200º nascimento de Charles John Huffam Dickens, ou simplesmente Charles Dickens. Nascido em Portsmouth, no dia 7 de Fevereiro de 1812, foi um dos mais importantes romancistas ingleses da era vitoriana. Suas obras são clássicas. Dentre as principais, temos David Copperfield e Oliver Twist. E a minha favorita, Christmas Carol ou Conto de Natal.

Ilustração de uma antiga edição do livro Conto de Natal.

Pessoalmente, fui apresentada a obra de Dickens ainda pequena, em uma das muitas influências do livro Conto de Natal: a história em que o tio Patinhas (em inglês, uncle Scrooge, referência ao personagem principal do livro), tio materno do personagem já existente Pato Donald, surgiu na HQ em "Natal nas montanhas" ("Christmas on Bear Mountain", de 1947), história escrita e desenhada por Carl Barks. Patinhas era um velho barbudo, de óculos e razoavelmente rico, que andava curvado sobre sua bengala e vivia isolado numa "grande mansão". Na história, ele convida seu sobrinho Donald e sobrinhos-netos Huguinho, Zezinho e Luisinho para sua cabana nas montanhas, planejando armar um susto e divertir-se com a desgraça dos sobrinhos. No Brasil a história foi publicada em "Mickey" 15 (1953), "Tio Patinhas" 137 (1976), "Natal de Ouro" 2 (1980), "Tio Patinhas Especial" 5 (1987) e "O Melhor da Disney" 10 (2005). (1) (Sinopse: Guia dos Quadrinhos)



Depois, vieram outras adaptações, como a do filme da Disney, Mickey's Christmas Carol, tendo Mickey como personagem principal, mas sempre tendo tio Patinhas como o velho avarento. Muito mais do que os filmes e adaptações, o livro mostra a verdadeira magia do Natal.

Charles Dickens faleceu em 9 de junho de 1870, deixando como legado um conjunto de obras que até hoje são lidas e apreciadas, e que continuam fazendo o leitor refletir sobre a realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário