13 de mar de 2015

A rainha do castelo de ar (Stieg Larsson) – RC 2015


Título: A rainha do castelo de ar
Autor: Stieg Larsson
Mês: Março
Tema: Mistério ou suspense
Editora Cia. das Letras, 688p.

Lisbeth foi resgatada e está internada no hospital, se recuperando de ferimentos muito sérios. Seu pai, a quem ela tentou e não conseguiu matar pela segunda vez, também está internado no hospital devido aos ferimentos causados pela filha. Enquanto isso, Mikael Blomkvist está fazendo de tudo para mudar a imagem que a imprensa está pintando de Lisbeth como uma psicopata lésbica satânica. Enquanto isso, a investigação da polícia aponta Lisbeth como responsável por crimes que ela não cometeu. Mikael fica furioso, arranja um jeito de conversar com Lisbeth clandestinamente e consegue ajudá-la. Investigando por conta própria sobre os acontecimentos relacionados a espionagem russa, principalmente no que diz respeito ao pai de Lisbeth. O julgamento se aproxima e apesar da promotoria querer fazer com que Lisbeth seja internada para sempre, a investigação paralela de Mikael, aliada a excelente defesa da Annika Giannini, levam ao final esperado. Mas a vida de Lisbeth só está começando....

Esse livro foi, como os dois primeiros da trilogia Millenium, uma surpresa atrás da outra. Comecei e não consegui largar, li em 3 dias, tal era o desespero para saber o final que Lisbeth teria. Considero essa trilogia umas das melhores publicações da editora Cia. das Letras. Fiquei meio desesperada em algumas partes, principalmente quando o autor falava de política, porque tinha horas que não conseguia acompanhar, queria logo pular para o julgamento de Lisbeth. No entanto, essa “enrolação” (por falta de palavra melhor) aumenta a credibilidade da história, porque mostra que, para cada acontecimento e personagem, o autor criou uma história de base que se encaixa perfeitamente no enredo como um todo. Eu amei cada minuto da leitura, amei o final (pra lá de merecido) de Zalachenko, amei a defesa que Anika faz de sua cliente, amei cada minuto do sangue frio de Lisbeth e só queria ter matado o desgraçado do Teleborian. O final do livro, para alguns, depois de tanta tensão, pode ter sido decepcionante (um pouquinho), mas fiquei satisfeita. Completamente recomendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário