10 de mai de 2013

Divergente (Veronica Roth)


Título: Divergente
Autora: Veronica Roth
Editora Rocco Jovens Leitores, 502p.

Em uma Chicago futurista, a sociedade se divide nas facções: Amizade, Audácia, Abnegação, Erudição e Franqueza. Chegou o dia em que Beatrice e seu irmão Caleb, da Abnegação (assim como seus pais), irão fazer o teste de aptidão para descobrir a qual facção eles deveram pertencer no futuro. Durante o teste, em que são simuladas situações que determinarão uma aptidão ou qualidade que se sobressai naquele individuo (qualidade ou aptidão essas que determinaram sua facção), os resultados de Beatrice são inconclusivos: ela apresenta resultados indicativos de que pode pertencer a Abnegação, a Audácia e a Erudição. O problema está no fato de que pessoas que apresentam esse tipo de resultado são chamadas Divergentes. Beatrice não tem idéia do que significa isso e por quê ela deve guardar segredo sobre seu teste. No dia da Cerimônia de Escolha, sua escolha é Audácia. Conformada e ao mesmo tempo relutante por ter que dar adeus a sua família, Beatrice, agora Tris, começa o treinamento que fará com que ela se torne definitivamente uma pessoa da Audácia. Os desafios são muitos, mas ela encontra amigos em Will e Cristina e algo que não esperava em Quatro... Durante o treinamento, Tris descobre que nem tudo é o que parece, e que a sociedade não é perfeita como imaginava. E que seu segredo pode matá-la. Ou ajudá-la a salvar aqueles que ela mais ama.

A moda agora é o gênero distópico. Depois da trilogia Jogos Vorazes, foi muito fácil me “adaptar” a leitura deste livro. A história consegue envolver o leitor. A mesma adrenalina que pulsa no sangue de Tris corre pelas veias de quem está lendo, porque o livro é quase pura ação. Mesmo existindo momentos tristes e suaves, é a tensão que predomina. Veronica Roth consegue com sucesso manter o leitor conectado a história, através do segredo de Tris (pois senti a mesma urgência em guardar o segredo dela). O fato de o livro ser narrado em primeira pessoa também é um ponto a favor, pois faz com que o leitor também sinta toda a tensão, o medo, alegria, revolta e tristeza de Tris. Uma distopia arrepiante e envolvente. Mal posso esperar por sua continuação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário